Saiba como preparar um programa de nutrição para cavalos Brasília, DF

"Um cavalo alimentado corretamente poderá abrir as portas para o sucesso", afima o especialista em equinos Marcelo de Sousa. Ele descreve quais são as bases nutritivas para fortalecer cavalos de competições esportivas. Entenda sobre a influencia da digestibilidade e a produção de energia.

Casa do Gato CLínica Veterinária
(61) 3965-4090
CLN 105, Bloco A, Loja 42
Brasília, DF
 
Consultório Veterinário Santa Maria
(61) 393-5180
r Qr, 208, lot 25 cj b, Santa Maria Sul
Brasília, DF
 
Jaime R Sanchez Jr
(61) 302-2500
r Império dos Nobres CL, 1, lj 1
Brasília, DF
 
Ernesto R Torres
(61) 346-7356
r Sais, 19
Brasília, DF
 
Carlos Dubois Neto
(61) 225-4261
r Srtvs Q, 701, bl e sl 333
Brasília, DF
 
canil macedo
61 33392898 61 98184999
shis conj 28 casa 35
brasilia, DF
 
Distr Bebidas Rio Preto
(61) 591-1766
r Ae, 11, lot 2 gp 10
Brasília, DF
 
Clínica Veterinária Bernardo
(61) 248-4770
r Shis Qi, 13, bl f lj 55, Com Local Lago Sul
Brasília, DF
 
Antônio Clemenceau Hospital Veterinário
(61) 245-1907
r Sais, 14, Asa Sul
Brasília, DF
 
Bicho Estimacao Veterinária Ltda
(61) 443-0848
r CLS, 209, bl a lj 33
Brasília, DF
 

Saiba como preparar um programa de nutrição para cavalos

Editoria: Vininha F. Carvalho30/3/2007

Um cavalo alimentado corretamente poderá abrir as portas para o sucesso

Toda vez que se institui um programa de nutrição deve-se buscar o equilíbrio entre o requerimento nutricional, que varia de acordo com o peso, idade, tipo e intensidade do esforço físico realizado, e a disponibilidade de nutrientes presentes nos alimentos concentrados, volumosos e suplementos.

Tomando pôr base o tempo que os alimentos permanecem nos diferentes compartimentos do tubo digestivo dos eqüinos, preconiza-se que haja um intervalo de pelo menos duas horas entre o fornecimento de alimento concentrado (RAÇÃO) e volumoso (CAPIM FRESCO/FENO), para otimizar a digestão e absorção dos nutrientes contidos nos alimentos. Esta prática evita dois acontecimentos indesejáveis: perda de nutrientes nas fezes e sobrecarga do sistema digestivo (CÓLICAS).

A glicose é a principal molécula utilizada para a produção de energia no organismo e pode seguir duas rotas metabólicas diferentes. Na presença de oxigênio a glicose gera muito mais ENERGIA. Na ausência de oxigênio a quantidade de energia produzida é muito menor.

As principais fontes de energia presentes nos alimentos são as FIBRAS, AMIDO, GORDURA e por último a PROTEÍNA.

A fibra presente no alimento volumoso (Feno de Gramínea ou Leguminosas e Capim fresco) é o nutriente mais importante para os eqüinos. Herbívoros por natureza, os cavalos precisam receber volumoso de boa qualidade e em quantidade adequada. Normalmente preconiza-se o fornecimento de 1,5 a 2% do peso vivo em feno diariamente.

A qualidade do feno depende de alguns fatores como: tipo do capim utilizado para fenação; características do solo bem como adubação corretiva; idade do capim (influencia na digestibilidade); técnicas de produção do feno, dentre outras.

As fontes de amido mais comumente utilizadas são o milho e a aveia. Os eqüinos têm dificuldade na digestão do AMIDO. Uma maneira de amenizar este problema é a utilização de alimentos concentrados 100% extrusados.

A extrusão é um processo utilizado para a produção de rações especiais e seu objetivo é aumentar a digestibilidade dos alimentos, principalmente dos carboidratos, que compõe o amido, uma vez que as moléculas de amilopectina são convertidas em amilose, que pode ser digerida pela ação da enzima a-amilase.

A melhor maneira para aumentar a energia de uma dieta é a utilização de rações ricas em óleo (EXTRATO ETÉREO: “GORDURA”). Além de aumentar a performance dos cavalos, diminui a produção de ácido lático e conseqüentemente, diminui a incidência de problemas musculares.

O sistema digestivo dos eqüinos tem capacidade de digerir facilmente o óleo, após um período de adaptação. Além disto devemos lembrar que o óleo de linhaça em especial, possui níveis elevados de ÔMEGA 3 cuja principal função é prevenir o desenvolvimento de doenças articulares e musculares, devido ao seu efeito anti-inflamatório, além de promover um brilho extra na pelagem dos cavalos.

As proteínas não devem ser consideradas com fonte de energia. O organismo só utiliza proteína para obtenção de energia em situação de emergência, por exemplo, quando há privação alimentar.

As proteínas têm várias funções importantes, mas quando em excesso prejudicam a performance dos cavalos atletas. Um eqüino adulto deve receber uma dieta total (Ração + Feno) com 10 a 12% de Proteína Bruta. Dentro desta faixa estreita de variação, isto pode ser adequado às características comportamentais de cada atleta.

Autoria: Marcelo de Sousa e Silva - TP COLORADO STATE UNIVERSITY 1997 -ESPECILISTA em EQÜINOS SOCIL EVIALIS

Fonte: SKS Promoções

Clique aqui para ler este artigo na Animalivre