Melhore o diálogo do seu casamento Manaus, Amazonas

Na dinâmica da conquista, há que se cuidar para não ignorar o tênue limite entre agradar o outro e desagradar a si mesmo. É preciso aprender a encontrar o equilíbrio. Aprenda mais no artigo abaixo.

Lacouth
(92) 3681-8523
rua rio itapitanga
Manaus, Amazonas
 
DR Manoel Dias Galvão
(92) 656-0693
r Jacareubas, 54, cj kyssia i, Dom Pedro
Manaus, Amazonas
 
Rosimar Van Dyke de Lima Canto
(92) 622-9460
bc Eduardo Ribeiro, 639, sl 903, Chapada
Manaus, Amazonas
 
Consultório de Psicanálise Clínica
(92) 236-8540
r E, 50, São José Operário
Manaus, Amazonas
 
Tarcisio Machado Sol Machado Psicanalistas
(92) 642-5220
r Dois C Coml Ica Paraíba SL, 11
Manaus, Amazonas
 
SOS RAZOES
(92) 8106-7001
RUA 27 qdr 173 cidade nova II
MANAUS, Amazonas
 
Maria Odeth A de Mendonça
(92) 234-8740
bc Eduardo Ribeiro, 520, Chapada
Manaus, Amazonas
 
LM Psicologia Aplicada
(92) 633-5147
r Acre, 125, Parque 10 De Novembro
Manaus, Amazonas
 
Roselis MG Bitar
(92) 234-9700
r F Pena, 415
Manaus, Amazonas
 
Casa do Psicologo
(92) 233-5224
bc Ipixuna, 1886, Centro
Manaus, Amazonas
 

Melhore o diálogo do seu casamento

Na dinâmica da conquista, há que se cuidar para não ignorar o tênue limite entre agradar o outro e desagradar a si mesmo. É preciso aprender a encontrar o equilíbrio, cedendo e se impondo simultaneamente, num ritmo saudável e evolutivo.

Claro que uma relação não é resultado de uma equação matemática, mas também não pode acontecer tão inadvertidamente, sem que se note a descompensação que tem acabado com tantos casamentos de forma tão recorrente.

Só um cede, só um se dá e, assim, ocupam lugares extremados e insatisfatórios na relação. Um só provém e o outro só usufrui. Valendo ressaltar que não há culpados ou inocentes, já que, por mais que reclamem, ambos aceitam o lugar ocupado e agem de modo a reforçá-lo.

É possível, portanto, que ao tentar agradar o outro, você perca a dimensão do ‘nós’ e termine considerando apenas os desejos dele. Afinal, você deseja tanto manter o prazer descoberto na dinâmica anterior que pode interpretar equivocadamente esta fonte.

Tudo de bom que for vivido é resultado da interação entre os dois e não mérito somente de um. É a alquimia que proporciona o prazer e não o individualismo em detrimento da dedicação mútua.

Se o desequilíbrio acontecer, você termina abrindo mão de seus desejos para deixar que o outro exerça a vontade de forma soberana. Deixa-o decidir aonde ir e o que fazer porque se omite.

Se você tem medo de se mostrar, porá fim a qualquer possibilidade de vínculo e cumplicidade. Não abra mão de suas vontades e nem vista a carapuça da submissão.

Seja maduro o suficiente para ser você e estará evitando que um grande buraco seja cavado em sua relação, porque quando isso acontece, as conseqüências desastrosas são inevitáveis.

Na próxima dinâmica, veja como seduzir também a si mesmo, para que se torne de fato uma pessoa apaixonante.

Seduzindo a si mesmo

Autenticidade é característica de gente grande. Não dá para arriscar ser você quando se é pequeno demais. Por isso, quem é pequeno interpreta, age de modo mascarado; mas quem é grande, é autêntico.

Amadurecer significa ter a ousadia de se colocar na sua relação e mostrar quem você realmente é, com todos os seus méritos e débitos. E para ter coragem o bastante de ser você, precisa reconhecer a importância da reciprocidade.

Reciprocidade é troca, é dar-se ao outro e recebê-lo como ele é. Para tanto, depois de reconhecer o prazer de estar com ele, precisa fazer o mesmo consigo mesmo: conhecer-se, interessar-se por si, apaixonar-se pela sua singularidade.

Caso contrário, terminará concedendo todo o espaço da relação para que o outro a ocupe e, em seguida, inevitavelmente ocupará o lugar de vítima. Aí, estará instalada a dinâmica doentia da insatisfação.

Você só poderá se sentir realizado, inteiro e autêntico quando aprender a reconhecer suas vontades e inseri-las no relacionamento. Pode (e deve, em alguns casos) ceder, fazer concessões e deixar que as vontades do outro prevaleça; mas perceberá que existe uma enorme diferença entre fazer isso conscientemente, com bom senso e justiça, e fazer somente para receber reconhecimento em troca.

Clique aqui para ler este artigo na Portal CMC