Entendendo sobre julgamentos de pequenas causas Boa Vista, Roraima

O Juizado Especial Cível (JEC) possibilita soluções em tempo menor, se comparado com o procedimento comum. Além disso, o processo é mais econômico, tanto para o cidadão quanto para o Judiciário. Esse tipo de rito também é conhecido como pequenas causas.

Maria Brasil Lourdes da Silva
(91) 269-0206
tr 9 de Janeiro, 2383, bl d ap 1 102, Belém
Belem, Pará
 
Própria Marcas e Patentes
(313) 213-4877
r Goitacases, 71, sl 207, Centro
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Temphus s Marcas e Patentes S/C Ltda
(116) 198-2313
r Azevedo Soares, 1491, Tatuapé
São Paulo, São Paulo
 
Gessoarte Artesanatos e Presentes Ltda
(11) 272-4545
r Gonçalves Ledo, 475, Ipiranga
São Paulo, São Paulo
 
CWB Marcas e Patentes
(41) 233-7374
al Prudente de Morais, 349, Cj 1, Centro
Curitiba, Paraná
 
Registros de Alimentos e Afins Crb Asses
(41) 244-5503
av Argentina, 1325, sl 305
Curitiba, Paraná
 
Steelfix Elementos de Fixação Amarração
(116) 947-2025
r Bogaert, 366, Ipiranga
São Paulo, São Paulo
 
Praxis Assessoria em Propriedade Industrial Ltda
(115) 641-6071
pça Francisco Cipullo,Mons, 16, Santo Amaro
São Paulo, São Paulo
 
HR
(513) 321-1139
r Lucas de Oliveira,Cel, 1505, Petrópolis
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
 
Barros e Souza Advogados Propriedade Intelectual
(113) 088-7606
r Francisco Leitão, 469, cj 1101 an 11, Pinheiros
São Paulo, São Paulo
 

Entendendo sobre julgamentos de pequenas causas

Introdução

O Juizado Especial Cível (JEC) possibilita soluções em tempo menor, se comparado com o procedimento comum. Além disso, o processo é mais econômico, tanto para o cidadão quanto para o Judiciário. Esse tipo de rito também é conhecido como pequenas causas.

Peculiaridades

Em caso de um valor menor que 20 salários mínimos, existe a possibilidade da parte interessada dirigir-se pessoalmente ao JEC para propor ação. Na prática, porém, alguns afirmam que a falta de conhecimento jurídico, técnica, procedimentos causam prejuízos ao interessado não amparado por profissional habilitado e, vale lembrar, após a sentença e trânsito em julgado da decisão, essa não pode ser alterada.

Como principalmente aspecto está a rapidez dos trâmites. Esse tipo de rito é bem mais rápido que do que os comuns. A exemplo da designação de audiência, que é marcada logo após a distribuição do processo. Ressalte-se que há algumas variações conforme a localidade do juizado.

Após a distribuição do pedido, o juizado envia uma citação para comparecimento das partes, a fim de buscar a conciliação. Caso não haja o acordo entre as partes, estas sairão intimadas, para comparecimento na data designada, no momento em que ocorrerá a audiência de instrução - haverá a discussão do mérito, analisar-se-á provas, como testemunhas, documentos, entre outras. Esses procedimentos podem variar de acordo com a comarca em que tramitará o processo.

Assim como o autor, o "réu" deve preocupar-se em ter uma boa defesa com provas bem formuladas capazes de contestar as alegações do autor.

As testemunhas tem grande importância desde o momento inicial, pois no JEC, busca-se a agilidade processual(celeridade). Ouvir-se-ão as testemunhas na audiência de instrução. Em razão disso, seus nomes já deverão constar desde na petição inicial - pedido do autor e na contestação- petição de defesa do réu. O limite é de três testemunhas.

O Juizado Especial Cível pode conciliar, processar e julgar as causas cíveis de menor complexidade. Dentre as questões mais conhecidas para o Juizado Especial Cível - ou pequenas causas - estão: cobranças de crédito; taxas de condomínio; acidente de veículos terrestres; retomada para uso próprio de imóvel alugado; ressarcimento por danos provocados em imóvel urbano ou rural.

Outro fator interessante é a isenção de custas e honorários advocatícios. No entanto, haverá custas e honorários se a parte recorrer da decisão proferida pelo juízo ou, ainda, se for comprovada a má-fé da parte.

Por fim, pretende-se cumprir o disposto no artigo 2º da Lei 9.099/95.

"O processo orientar-se-á pelos critérios da oralidade, simplicidade, informalidade, economia processual e celeridade, buscando, sempre que possível, a conciliação ou a transação".

Adriano Martins Pinheiro
São Paulo – Capital
adrianopinheiro.direito@gmail.com

Adriano Martins Pinheiro

Bacharelando em DireitoArticulista e colaborador de diversos sites e jornais locais.Atuante em escritório de Advocacia em São Paulo/SPAssistente de pesquisas jurídicasdúvidas:adrianopinheiro.direito@gmail.com

Clique aqui para ler este artigo na Artigonal.Com