Entenda os riscos da obesidade para as articulações Marabá, Pará

Pesquisa constata que o sobrepeso e a obesidade podem ter um impacto significativo na artrite. Conforme o pesquisador Frank W. Roemer a perda de peso é o fator mais importante para retardar a progressão da doença. Confira os detalhes desse estudo.

Victor Aita
249-0292
Jose Bonifacio 984 - a
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Eduardo Ruy Chaves
(91) 3222-0860
Tv Quatorze de Marco 1206
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Clínica Aymoré
(91) 3242-0886
Rua João Balbi, 273
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Clínica Barros
(91) 3222-3777
Rua Diogo Moia, 296
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Clínica Octávio Wanzeller
(91) 3249-5777
av Cons Furtado, 2391 sl 1406
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Valter Santos
(91) 3229-0532
Rua dos Pariquis 3001 - Sala 1105
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Sociedade Médico Cirúrgica Pará
(91) 3241-2604
Pass Bolonha, 134, Nazaré
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Clínica Cirúrgica Integrada Geral
(91) 3252-4964
r Bernal Couto, 671, Umarizal
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Clínica Álvaro Gomes
(91) 3223-6735
Rua Municipalidade, 1655
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Clínica Perfecta
(91) 3276-9080
av Papa João Paulo II, 1358, Marco
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Entenda os riscos da obesidade para as articulações

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Um estudo publicado na edição de agosto da revista científica Radiology mostrou que o sobrepeso e a obesidade podem ter um impacto significativo na artrite, causando um desgaste mais rápido das cartilagens do joelho. A osteoartrite é uma doença das articulações que progride lentamente, mas que pode piorar mais rapidamente em alguns pacientes, causando perda acelerada de cartilagem.

Os pesquisadores da Universidade de Boston, nos EUA, avaliaram 336 pacientes com sobrepeso e que apresentavam risco de osteoartrite, mas que não tinham perda de cartilagem no joelho. Durante 30 meses de acompanhamento, 20,2% tiveram uma lenta perda de cartilagem, e, em quase 6%, esse desgaste era mais rápido.

Segundo as análises, junto com a preexistência de um dano ou lesão na cartilagem, inflamação nas articulações e acúmulo de líquido nas juntas, o sobrepeso e a obesidade estavam associados com uma rápida perda de cartilagem, sendo que para cada unidade a mais no índice de massa corporal (medida do peso em relação à altura) havia um aumento de 11% nas chances de perda rápida de cartilagem.

"Sabemos que a perda de peso é, provavelmente, o fator mais importante para retardar a progressão da doença", declarou o pesquisador Frank W. Roemer, líder do estudo. "Mais estudos terão de mostrar se outras medidas, como vitaminas ou tratamento direcionado das lesões na medula óssea irão ajudar a retardar a progressão", ressalta o especialista, destacando que a doença não tem cura, e deve ter seus impactos reduzidos da forma que for possível.

Fonte: Assessoria de Imprensa - Portal Educação

Clique aqui para ler este artigo na Portal Esporte