Entenda a relação da alimentação e a doença celíaca Marabá, Pará

Saiba quais são cuidados que os portadores desta doença deve ter. Os celíacos não devem ingerir pães, bolos, tortas, bolachas, pizzas, entre outros. Aprenda mais no artigo abaixo.

Valter Santos
(91) 3229-0532
Rua dos Pariquis 3001 - Sala 1105
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Eduardo Ruy Chaves
(91) 3222-0860
Tv Quatorze de Marco 1206
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Lastênia Menezes, Dra
(91) 3259-2662
av Cons Furtado, 2865 S 6, São Braz
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Clínica Aymoré
(91) 3242-0886
Rua João Balbi, 273
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Clínica Álvaro Gomes
(91) 3223-6735
Rua Municipalidade, 1655
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Victor Aita
249-0292
Jose Bonifacio 984 - a
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Clínica Perfecta
(91) 3276-9080
av Papa João Paulo II, 1358, Marco
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Belplástica
(91) 3249-0652
r Pariquis, 3001 sl302, Cremação
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Alexandre Calandrini
(91) 3252-3933
tv D Romualdo Seixas, 606, Umarizal
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Sociedade Médico Cirúrgica Pará
(91) 3241-2604
Pass Bolonha, 134, Nazaré
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Entenda a relação da alimentação e a doença celíaca



Os celíacos não devem ingerir pães, bolos, tortas, bolachas, pizzas, entre outros

É comum observar nas embalagens dos produtos industrializados a frase “contém glúten”. A lei que exige a descrição existe desde 2004 e foi aprovada para orientar quem sofre da doença celíaca, uma condição que prejudica o metabolismo dessa proteína encontrada no trigo, na cevada e na aveia.

Os celíacos não devem ingerir pães, bolos, tortas, bolachas, pizzas, salgadinhos, macarrão, carnes à milanesa, achocolatados, pudins, molhos prontos e pastéis, entre outros produtos.

Para o celíaco, o glúten agride as vilosidades do intestino (responsáveis pela absorção de nutrientes), causando diarreia crônica, flatulência, perda de peso, prisão de ventre, problemas de pele, fadiga e anemia. “Quando não tratada, a doença pode resultar em dermatite, menopausa precoce, infertilidade, abortos de repetição, fadiga persistente, alterações no esmalte do dente, osteoporose e câncer”, explica a especialista em nutrição clínica, Ana Cristina Thomé Ambrósio.

Ler os rótulos dos produtos é fundamental, mas, além disso, é preciso tomar cuidado com a maneira como os alimentos foram preparados. O glúten é o que dá elasticidade às massas, então muitas vezes os produtos aparentemente isentos contêm traços da proteína. Dessa forma, uma receita sem glúten não pode ser feita no mesmo ambiente em que houve a produção de pães, bolos ou tortas.

“É perfeitamente possível ter uma vida normal, porém o paciente precisa seguir as orientações da dieta sempre, já que essa é sua única opção de tratamento”, afirma Ambrósio. Além disso, a avaliação nutricional criteriosa é necessária para identificar as necessidades individuais para evitar possíveis deficiências.

Fonte: Assessoria de Imprensa - Portal Educação

Clique aqui para ler este artigo na Nutrição Virtual