Drenagem linfática na gestação alivia dor de cabeça e insônia Manaus, Amazonas

Mesmo quando tudo está dentro do esperado durante a gravidez, há alguns aspectos, considerados normais e fisiológicos, que interferem no bem-estar da grávida. Drenagem linfática na gestação alivia dor de cabeça e insônia. Saiba mais no artigo abaixo.

João BL Botelho
(92) 234-5609
bc Ribeiro, 520, sl 705, Parque 10 De Novembro
Manaus, Amazonas
 
Wellington Sampaio
(92) 236-1672
r Acre, 31, bl 31 b ap 3, Parque 10 De Novembro
Manaus, Amazonas
 
João LP Machado
(92) 232-4559
bc Ribeiro, 620, sl 203, Parque 10 De Novembro
Manaus, Amazonas
 
Paulo MG Lobo
(92) 633-1764
r Ramos, 89, São José Operário
Manaus, Amazonas
 
Antônio Lg Matos
(92) 236-7505
av C Nery, 2240
Manaus, Amazonas
 
Roberto O Mello
(92) 232-3915
r C Azevedo, 9, sl 206
Manaus, Amazonas
 
Luciana SM Vieira
(92) 233-1878
r Ferreira, 1297
Manaus, Amazonas
 

Drenagem linfática na gestação alivia dor de cabeça e insônia

Mesmo quando tudo está dentro do esperado durante a gravidez, há alguns aspectos, considerados normais e fisiológicos, que interferem no bem-estar da grávida. De acordo com a fisioterapeuta Rafaela de Camargo, comumente as queixas são de dor lombar, micção frequente, edema, principalmente em membros inferiores, fadiga, enxaqueca, insônia e constipação. "É necessário durante a gravidez que ocorram alterações físicas no corpo da mulher, para que se tenha um perfeito crescimento e desenvolvimento do feto. Porém, essas alterações podem, às vezes, trazer como consequência dor e limitações em suas atividades diárias", diz a fisioterapeuta.

Segundo Rafaela, a fisioterapia oferece alguns recursos para amenizar ou melhorar os sintomas causados pela gestação. "A drenagem linfática, por exemplo, previne e trata as complicações decorrentes da gestação, auxiliando no alívio de problemas circulatórios e musculares, bem como de outros problemas relacionados às mudanças hormonais, tais como enxaqueca, insônia, constipação intestinal e cansaço, além de proporcionar relaxamento à gestante", afirma Rafaela.

A fisioterapeuta explica que a drenagem linfática é uma técnica de massagem que estimula o sistema linfático a trabalhar em um ritmo mais acelerado, mobilizando a linfa até os gânglios linfáticos. Por esse processo são eliminados o excesso de líquido e as toxinas. "O estímulo da circulação venosa e linfática reduz a retenção de líquido, diminuindo os inchaços típicos da gravidez, além de estimular a lactação e a dessensibilização das mamas, preparando-as para a amamentação. Combate a celulite e as estrias, alivia as tensões e dores musculares, e ativa o sistema vegetativo, aumentando a sensação de relaxamento e ajudando a combater o estresse. A drenagem também proporciona regeneração e aumenta a imunidade do organismo, uma vez que aumenta a eliminação de toxinas e estimula a produção de linfócitos pelos gânglios linfáticos", diz a fisioterapeuta.

Rafaela destaca a importância da gestante conversar com o seu médico sobre o procedimento. "Uma vez autorizadas pelo obstetra, às sessões de drenagem linfática podem ter início logo nas primeiras semanas de gestação, quando a mulher já começa a perceber mudanças no corpo e no comportamento. São indicadas até duas sessões por semana", afirma a fisioterapeuta.

Rafaela alerta que, sendo um método de fisioterapia - com efeitos colaterais se mal aplicada -, a massagem deverá ser realizada por um profissional devidamente qualificado. "Uma drenagem linfática mal executada pode estimular as contrações uterinas e causar até a precipitação do parto a partir do sexto mês de gestação. Também pode comprometer a circulação e causar hematomas", diz Rafaela.

"Com as sessões, as grávidas também passam a aceitar melhor a nova identidade corporal, aumentando o bem-estar emocional e fortalecendo o vínculo entre mãe e bebê", acrescenta a fisioterapeuta.

Clique aqui para ler este artigo no Guia da Plastica