Desempenhando-se como líder São José dos Pinhais, Paraná

O líder tem um papel importantíssimo na equipe, é ele que motiva, direciona e administra todo o conjunto, garantindo assim uma maior produtividade. Neste artigo citaremos como exemplo um conto chinês que retrata perfeitamente estas características. Aprenda mais no artigo abaixo.

Central Cred
(41) 3224-3233
r 15 de Novembro, 279 cj 212 Centro
Curitiba, Paraná

Dados Divulgados por
Executivos Financeiros
(41) 3242-5351
av 7 de Setembro, 6120 Batel
Curitiba, Paraná

Dados Divulgados por
Niponcred
(41) 3076-9727
r José Loureiro, 464 2º andar Centro
Curitiba, Paraná

Dados Divulgados por
Agiplan Serviços Financeiros
(41) 3074-0200
r Des Westphalen, 53 an 3
Curitiba, Paraná

Dados Divulgados por
HSBC
(41) 3376-1490
r Pres Padua Fleury, 805 Hauer
Curitiba, Paraná

Dados Divulgados por
Kitassy
(41) 3013-4110
r 4, 38 sl 60 Cidade Industrial
Curitiba, Paraná

Dados Divulgados por
Intercred
(41) 3324-5961
Al Dr Muricy, 542 sl 102 an 1 Centro
Curitiba, Paraná

Dados Divulgados por
Sucesso Serviços Financeiros
(41) 3079-0634
r Vicente Machado, 467 sl 102 na Centro
Curitiba, Paraná

Dados Divulgados por
Controller´s
(41) 3323-8423
Al Cabral, 583 cj 5 Centro
Curitiba, Paraná

Dados Divulgados por
Mega Card
(41) 3024-2288
r João Negrão, 162 sl 33 Centro
Curitiba, Paraná

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Desempenhando-se como líder

"Muitos aprendem a descobrir as habilidades alheias, mas somente os sábios encontram as próprias imperfeições!" Fábio Azevedo

Ontem quando participava de uma palestra na Fundação Getúlio Vargas ??" FGV, ouvi um conto muito interessante, que deixou claro para mim, qual a principal habilidade de um líder para construir e administrar uma equipe eficiente, coesa e comprometida.

Como sempre, estes contos são adaptados aos costumes e a cultura de seus povos, e eu o ouvi pela primeira vez na década de 90, com uma roupagem oriunda da milenar cultura chinesa.

A história se passa na tradicional marcenaria de um hábil e renomado artesão chinês, e é lá que tudo começa.

Após a saída do marceneiro ao anoitecer, uma estranha reunião tem início no galpão da marcenaria, e as ferramentas do local se reúnem para realizar uma assembléia urgente, na qual acertariam suas diferenças.

Quem presidia a assembléia era o Sr. Martelo, mas todos os participantes presentes resolveram pedir que ele renunciasse seu cargo e abandonasse a assembléia, pois ele fazia barulho demais, além de não fazer outra coisa além de golpear e golpear.

O Sr. Martelo, mesmo chateado, aceitou sua culpa, pois ele realmente fazia muito barulho, mas solicitou que o Sr. Parafuso também fosse expulso da assembléia, pois o mesmo, dava voltas e mais voltas para conseguir alguma coisa, e sempre demorava a alcançar seu objetivo. O Sr. Parafuso concordou, mas não queria ir embora sozinho, e pediu a expulsão da Sra. Lixa, pois ela era muito áspera, e gerava muitos atritos.  A Sra. Lixa, terminou aceitando o pedido do Sr. Parafuso, mas não iria embora também, enquanto o Sr. Metro estivesse ali, pois ele sempre estava medindo os outros segundo suas medidas, como se fosse o único perfeito e milimetricamente certo na marcenaria.

A discussão se alongou por toda a madrugada, e todos os presentes resolveram apontar os defeitos dos outros e trocar acusações, expondo mágoas antigas.

De repente, a porta se abriu, e o marceneiro chinês entrou rapidamente juntando todas as ferramentas, preparando-se para o trabalho matinal.

Ele manuseava habilmente todas as ferramentas, sua maestria em utilizá-las denunciava seu talento e também sua experiência, conquistada durante muitos anos de prática, conseguindo tirar o melhor que cada utensílio da marcenaria possuía para oferecer, e aos poucos, do enorme tronco, surgia uma belíssima estante de mogno, com várias gavetas, muito bem trabalhada e ornamentada, aquele era um móvel digno do imperador.

Ao término do dia, o Sr. Marceneiro estava exausto e foi descansar, e novamente todas as ferramentas se reuniram para reativar a discussão da assembléia.

Todos continuavam culpando uns aos outros, e neste momento, o experiente Sr. Serrote, interrompe todos e diz:

- Calma! Tenham calma, senhores! Possuímos vários defeitos, e certamente não conseguiremos fazer tudo perfeitamente, mas nosso bom e velho amigo Marceneiro, sabe perfeitamente utilizar nossas habilidades e qualidades.

A Sra. Lixa interrompe irônica:

- Claro! Ele já nos conhece há tanto tempo que sabe como nos usar direitinho, ele sempre nos convence a fazer o que ele precisa!

- O Sr. Serrote continua:

- Sim Dona lixa, mas é necessário que esqueçamos nossos defeitos, precisamos nos concentrar em nossas qualidades, só assim, nossos pontos fracos serão melhorados dia após dia! E temos que aceitar que ele é nosso líder, e é o único capaz de nos coordenar da maneira certa.

Todos ficaram em silêncio, entreolharam-se e perceberam, que a força do Sr. Martelo era enorme, e suas marteladas, mesmo que barulhentas, eram sempre precisas e certeiras. O Sr. Parafuso, mesmo dando suas voltas, sempre conseguia atingir seus objetivos, e sua presença sempre se fazia necessária para dar mais força e união nos locais onde era aplicado. A Sra. Lixa, por sua vez,  apesar de sua aspereza, conseguia sempre aparar as arestas e farpas existentes em qualquer situação. E o milimétrico Sr. Metro,  constantemente media tudo segundo suas medidas, mas era sempre exato e preciso em seu trabalho.

O silêncio tomou conta da marcenaria por alguns instantes, e então todos entenderam que ali estava reunida uma equipe fantástica, capaz de produzir móveis indiscutivelmente belos e perfeitos, com uma qualidade sem igual. Todos então enxergaram o óbvio, entendendo que, quando trabalhavam em perfeita harmonia, cada qual fazendo o que sabia melhor, surgia uma sincronia imbatível, uma verdadeira equipe de sucesso.

A alegria contagiou a todos, e o Sr. Serrote prosseguiu:

- Vocês perceberam que enquanto eu era direcionado pelo marceneiro, eu executava minha tarefa com excelência. Como o que sei fazer de melhor na vida é serrar, deixo que meu amigo marceneiro me diga o que fazer e qual objeto cortar, e tento dar o melhor de mim nesta tarefa.

De longe o Sr. Metro que ouvia tudo calado, resolve entrar na discussão para dar a medida final, dizendo:

- Nosso amigo Serrote tem razão, devemos parar de procurar defeitos uns nos outros, precisamos sim, encontrar e desenvolver nossas qualidades, pois só assim seremos cada vez melhores no que fazemos, e juntos, poderemos somar nossas habilidades e aperfeiçoar nossas deficiências.

Todas as ferramentas concordaram, e o Sr. Metro continuou:

- O nosso velho amigo marceneiro, todos os dias nos ensina uma lição silenciosa, e nos mostra como devemos utilizar o que temos de melhor para desempenharmos nossas funções, ele consegue habilmente, obter nosso empenho em todas as atividades da marcenaria, e quando ele está no comando, cada um de nós realiza com maestria o que sabe fazer melhor, uns demorando um pouco mais, outros um pouco barulhentos, e outros até detalhistas em demasia, mas no fim, todos alcançam o objetivo principal, e o resultado é sempre perfeito!

Neste momento, todos compreendem a mensagem, a luz se apaga, e as ferramentas voltam para a caixa do marceneiro, aguardando por mais um dia de trabalho.

Certamente, você já deve ter ouvido esta metáfora, mas eu não podia deixar de contar mais uma vez esta magnífica história sobre gestão e liderança.

Para que possamos cumprir as metas estipuladas na vida profissional e pessoal, é de fundamental importância, o reconhecimento de nossas principais habilidades, precisamos aprender a reconhecer nossos defeitos, e buscar ajuda para melhorá-los.

O ser humano, tende a enfatizar os defeitos alheios, talvez por medo, para assim, tentar esconder as próprias imperfeições.

Este fato é muito comum no ambiente empresarial, e quase todos já passaram por situações parecidas. Buscar o aperfeiçoamento de nossas deficiências faz parte da natureza humana, o ser humano foi criado para se superar limites e evoluir constantemente, não podemos deixar que nossas imperfeições mudem o rumo de nossa constante evolução.

O bom líder, assim como o marceneiro, deve aprender a identificar habilidades e tirar o máximo de cada ferramenta envolvida na fabricação diária da máquina empresarial.

Muitos aprendem a descobrir as habilidades alheias, mas somente os sábios encontram as próprias imperfeições!

Devemos preencher nossos defeitos com as qualidades dos que nos cercam!

13/05/08 | Artigos, Liderança | Site do Autor