Danos À Empresa Originados Pelo Alto Turnover Angra dos Reis, Rio de Janeiro

Turnover significa a rotatividade de pessoal de uma empresa e é um excelente indicador de saúde da mesma. Quando excessivo, indica que algo está errado na organização. É o momento de analisar o por quê dessa alta rotatividade, afinal, não podemos esquecer que os chamados funcionários são antes de tudo pessoas. Aprenda mais no artigo abaixo.

MASTER CRED Emprestimos e refinanciamentos Aposentados e pensionistas
(21) 3676-1133
RUA VICENTE CELESTINO,608 / ANTIGA RUA 2 JARDIM PRIMAVERA
DUQUE DE CAXIAS, Rio de Janeiro
 
Banco Panamericano S/A
(21) 2109-9900
r Conceição, 38, Centro
Niterói, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
Banco Morada S/A
(21) 2671-3320
av Nilo Peçanha, 245, Lj A, Centro
Duque de Caxias, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
CBSB - Caixa Beneficiente dos Servidores do Brasil
(21) 2533-1049
r Dantas,Sen, 76, An 13 Sl 1303, Centro
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
Banco Itaú S/A
(21) 3673-6207
r José Amaro,Exped, 456, Vl São Luís
Duque de Caxias, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
Banco Cacique S/A
8001-77677
av Kennedy,Pres, 1660, Centro
Duque de Caxias, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
UPCRED EMPRÉSTIMOS (PREF MACAÉ, INSS, GOV EST RJ, etc...
(22) 2762 5644 27625913 7835 3624 8843 7853
Av Rui Barbosa, 698 - sala 308 CENTRO MACAÉ (TROPICAL PLAZA)
MACAÉ, Rio de Janeiro
 
ARC Consultoria Financeira
(21) 2252-8819
av Gomes Freire, 315, Centro
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
Attos 2006 Serviços Fenanceiros Ltda
(21) 2620-4043
av Ernani do Amaral Peixoto, 36, Sl 1001, Centro
Niterói, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
Fininvest Negócios de Varejo Ltda
(21) 2142-5350
av Nilo Peçanha, 138, Centro
Duque de Caxias, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Danos À Empresa Originados Pelo Alto Turnover

Os colaboradores de uma organização detêm o conhecimento das rotinas de trabalho, o que a empresa produz ou quais serviços ela presta e, após algum tempo na mesma, esses profissionais passam a dominar essas atividades e a desempenhá-las sem maiores problemas.

Quando alguém da equipe sai, as atividades sofrem mudanças que em maior ou menor grau afetam a organização. Assim como um motor que para de funcionar caso alguma engrenagem se deteriore, a empresa também sente essa saída.

Apesar de muitas empresas acreditarem que, quando uma saída de colaborador é por sua decisão e portanto, não a afetará, isto é um engano. Qualquer saída é traumática para a organização, por mais argumentos que existam a seu favor. Basta imaginar o quanto foi gasto com treinamento dessa mão-de-obra, com a burocracia contratual, benefícios, encargos e outros gastos operacionais não tão facilmente mensuráveis, para notarmos que de uma forma ou de outra, a empresa sempre sai perdendo nesse caso. Talvez uma política de contratação mais adequada ou um processo de contratação melhor executado, ou mesmo, uma melhor definição das atribuições do cargo poderiam ter evitado esses gastos inúteis e o trauma gerado ao colaborador demitido.
RETENDO TALENTOS
Apesar de óbvio, será que as empresas realmente estão valorizando seus talentos e suprindo suas necessidades, a fim de não perdê-los para a concorrência? Será que melhores salários, treinamento adequado, concessão de benefícios e melhora do ambiente de trabalho poderão retê-los?

Para saber o que motiva um colaborador a deixar a empresa, utilize a entrevista de desligamento para isso. Questione o por quê da saída, não perca essa oportunidade de saber o que está ocorrendo.

Em se tratando de reter talentos na empresa, notamos que o treinamento sempre é fundamental. Uma prática que está se tornando comum nas grandes empresas, é o chamado e-learning, ou seja, a possibilidade de aprendizagem a distância, proporcionada pelo uso cada vez mais freqüente da internet e de intranets nas organizações. O e-learning é uma maneira rápida de permitir que uma quantidade maior de funcionários tenha acesso a treinamentos, que podem ser realizados em horários diferentes, conforme a disponibilidade de cada um, e que tem conseguido índices superiores de retenção em relação aos treinamentos tradicionais, principalmente porque o controle do aprendizado está nas mãos do próprio estudante e não nas do instrutor.

Outra técnica interessante, denominada job rotation (aplicável também para a diminuição dos conflitos), está muito em voga. Leva em consideração o fato de que se não há possibilidade de ascensão profissional vertical (promoção) de um funcionário, em vez de vê-lo sair para trabalhar na concorrência, novas possibilidades lhe são abertas quando ocorre a promoção horizontal, ocasionada pela troca de função e atribuição de novas responsabilidades, sem perda do padrão. Isso faz com que ele se torne um profissional polivalente, capaz de atuar em diversas atividades diferentes, bem como o incentiva através de novos desafios e aumento de conhecimentos, obtidos na organização. No mundo de hoje, ele será um profissional mais valioso do que se for apenas especialista em uma coisa. Para a empresa, além de manter um bom funcionário em seus quadros, também estará formando um possível futuro ocupante de cargos de chefia.

Creiam-me, se um funcionário puder, ele preferirá crescer dentro da própria empresa em que trabalha e possui o círculo de amizades, a mudar para outra que é uma incógnita. Vivenciei muito disso em meus anos de trabalho.
NOVAS COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS
Nos dias atuais, os profissionais não podem mais comportar-se como antigamente, sob pena de tornarem-se obsoletos. E para adaptarem-se ao esquema da Produção Flexível (baseado no aumento da produtividade e flexibilidade do trabalhador e das empresas), devem se esforçar para desenvolver as novas competências que os tempos atuais exigem.

Segundo a Profª Ana Beatriz Carvalho, da FGV Management, essas competências abordam essencialmente:
- Iniciativa e capacidade de julgamento e liderança.
- Uma atenção maior aos detalhes, manutenção de raciocínio crítico e criativo.
- Um aumento na autoconfiança, segurança e persistência.
- Espírito de colaboração.
- Um compromisso e envolvimento maior com a organização, bem como manter atitudes pró-ativas em relação aos valores da empresa.
- Aprimoramento do conhecimento técnico.
- Preocupar-se com o desenvolvimento das pessoas.
- Estimular a comunicação.
- Manter sempre o foco no cliente.
- Orientação contínua para o aprendizado, produtividade e busca por resultados.
- Busca contínua pela qualidade.

Essas competências podem ser adquiridas no dia-a-dia, através das atividades desempenhadas e por meio de treinamentos e devem ser sempre exercidas de forma ética.

Por sua vez, a empresa deve incentivá-las, permitindo sua aplicação sem entraves de qualquer tipo. A retenção de talentos e o incentivo à obtenção por parte dos colaboradores de novas competências profissionais, gera benefícios mútuos e duradouros.

Sobre o Autor
Administrador com pós-graduação em Análise de Sistemas e MBA em TI/E-Management pela FGV. Ex-professor universitário, tem 29 anos de atuação profissional. É especialista nas normas ISO 9000, sendo Lead Auditor pela Perry Johnson Inc.

Artigos.com