Cuidados com os inchaços da pele Manaus, Amazonas

A maioria das mulheres sofre, de vez em quando, de um problema extremamente incômodo: o inchaço. Médicos afirmam que os inchacos são sempre um indício de que a saúde de sua portadora não está normal. Saiba mais sobre este assunto abaixo.

João BL Botelho
(92) 234-5609
bc Ribeiro, 520, sl 705, Parque 10 De Novembro
Manaus, Amazonas
 
Wellington Sampaio
(92) 236-1672
r Acre, 31, bl 31 b ap 3, Parque 10 De Novembro
Manaus, Amazonas
 
João LP Machado
(92) 232-4559
bc Ribeiro, 620, sl 203, Parque 10 De Novembro
Manaus, Amazonas
 
Paulo MG Lobo
(92) 633-1764
r Ramos, 89, São José Operário
Manaus, Amazonas
 
Antônio Lg Matos
(92) 236-7505
av C Nery, 2240
Manaus, Amazonas
 
Roberto O Mello
(92) 232-3915
r C Azevedo, 9, sl 206
Manaus, Amazonas
 
Luciana SM Vieira
(92) 233-1878
r Ferreira, 1297
Manaus, Amazonas
 

Cuidados com os inchaços da pele

Apesar de provocarem terríveis dores nas pernas, raramente os inchaços merecem a devida atenção das mulheres. Entretanto, médicos afirmam que os edemas – forma científica para denominar os inchaços – são sempre um indício de que a saúde de sua portadora não está normal. Aqui, você vai saber quais são as causas mais freqüentes dos edemas, assim como qual o melhor método de agir em cada caso. Porque alguns podem ser graves.

A maioria das mulheres sofre, de vez em quando, de um problema extremamente incômodo: o inchaço. Este, na realidade, é apenas a designação popular do edema, sintoma de uma série de doenças. A primeira coisa que uma portadora de edema deve ter em mente é que ele nunca é normal, ou seja, é sempre uma indicação de que há algo errado com o organismo. Assim, quando o inchaço surgir, deve-se consultar um médico. Para chegar a um diagnóstico preciso, o especialista terá de averiguar quais são as características do edema, bem como quais os outros sintomas a ele relacionados. Só dessa forma é possível se determinar a origem de cada inchaço.

Edema de origem vascular

Os edemas de origem vascular são os mais comuns e os que, por conseqüência, causam mais preocupação às mulheres. Esse tipo de edema limita-se aos membros inferiores (pés, tornozelos, pernas e, em casos mais graves, coxas). A causa desse inchaço são os problemas circulatórios, ou seja, a deficiência nas circulações venosa e linfática.

A deficiência na circulação venosa está ligada ao aparecimento de varizes. A variz - dilatação permanente de uma veia - ocorre quando um distúrbio qualquer faz com que o sangue fique retido durante um período excessivo nos canais, custando, portanto, a retornar ao coração. As varizes são o principal sinal da chamada deficiência circulatória venosa periférica. Nesse caso, há um aumento da pressão no interior das veias, que ocasiona um extravasamento de líquido para fora do canal. Esse líquido se acumula nos tecidos vizinhos, o que, por sua vez, causa o inchaço.

As varizes têm várias causas. Existem mulheres cujos antepassados sofriam de varizes e que, portanto, apresentam uma predisposição genética para o distúrbio. Da mesma forma, as pessoas que trabalham muito tempo sentadas ou que têm de permanecer em pé, paradas, por longos períodos também estão mais propensas às varizes. No primeiro caso, a grande pressão sobre as coxas provoca uma obstrução do retorno sangüíneo. Já no caso das pessoas que trabalham em pé por muito tempo, o problema está na dificuldade do sangue em retornar ao coração, já que, para isso, ele tem de vencer a gravidade.

Há substâncias que também provocam varizes, aumentando a viscosidade do sangue. Um exemplo são os hormônios contidos nas pílulas anticoncepcionais. Eles alteram a coagulação sangüínea, o que torna mais fácil a solidificação do sangue e, portanto, a obstrução das veias. Além dessas causas, os traumatismos, como pancadas violentas, são outros fatores que podem fazer surgir varizes.

Se você se encaixa numa dessas categorias de pessoas mais propensas às varizes, tranqüilize-se sabendo que há maneiras de evitar esse desagradável distúrbio. A primeira providência é procurar não ficar muito tempo sentada ou em pé, parada. As caminhadas são outra forma excelente de combater as varizes. Além disso, é aconselhável não usar meias, exceto as elásticas, calças e botas apertadas, pois isso dificulta a circulação. Vale também lembrar que o uso de substâncias que engrossam o sangue, como os hormônios contidos nas pílulas anticoncepcionais, é outra medida a ser evitada por quem não quer ter varizes.

Nos casos de deficiência na circulação venosa, os edemas estão geralmente associados a outros sintomas. Um exemplo é a hiperpigmentação da pele.

Na região próxima ao tornozelo, a pele vai adquirindo um tom castanho por causa do rompimento de veias com extravasamento de glóbulos vermelhos. Além disso, esses edemas se agravam durante o dia, e a pessoa só vai ter alívio ao se deitar, quando a pressão nas veias diminui, e os inchaços desaparecem.

Os edemas de origem vascular relacionados à deficiência na circulação linfática comportam-se de forma semelhante à dos edemas por insuficiência venosa. A única diferença é que agora o problema ocorre nos vasos linfáticos. Esses edemas ou têm origem congênita ou são causados por traumatismos e infecções de pele, como, por exemplo, a erisipela.

Edema de origem renal

Os edemas de origem renal são causados por doenças nos rins. Por causa dessas doenças, menos sangue é filtrado para formar a urina, o que provoca um acúmulo desse sangue nos vasos sanguíneos. Isso, como já foi explicado, leva a um aumento de pressão no interior dos vasos e a um posterior extravasamento de líquido, então, se formam os edemas.

O inchaço por problemas renais se localiza principalmente nos membros inferiores. Mas, logo no início da doença, ele aparece também no rosto. Isso é explicado pelo fato de a face ter muitos vasos superficiais, que são imediatamente afetados quando há o aumento generalizado de pressão.

Entre as características do edema renal, está a diminuição simultânea do volume diário de urina. Esse é um bom indício, para a pessoa que porventura venha a ter tal inchaço, de que é necessário buscar assistência médica o quanto antes. O edema só pode ser eliminado com o tratamento da doença renal (infecção, inflamação etc.) que o causou. Sem tal cura, não há meios de se evitar o inchaço.

Edema de origem cardíaca

O inchaço de origem cardíaca é, como o nome sugere, conseqüência de uma insuficiência cardíaca. O coração deixa de funcionar normalmente por causa de uma doença e, assim, se contrai insuficientemente. O sangue não é, então, bombeado adequadamente nos vasos, o que provoca um aumento de pressão intravascular.

Além do edema cardíaco, a doente costuma ter falta de ar e estar com uma permanente sensação de cansaço. Entre as características desse edema, está o fato de que ele também pode atingir diversas partes do corpo. O inchaço começa pelos membros inferiores, mas, se não tratado em tempo hábil, estende-se progressivamente para o abdômen, o tórax, os membros superiores e a face. Assim como o edema renal, o edema de origem cardíaca só é solucionado por um tratamento médico específico.

Edema pré-menstrual

Num período que começa dez dias antes da menstruação, algumas mulheres sofrem com a chamada síndrome da tensão pré-menstrual. Trata-se de um conjunto de sintomas que inclui, além do edema, cólicas, dores de cabeça, aumento do volume e da sensibilidade das mamas e nervosismo. Ainda não se determinou com precisão a causa do inchaço pré-menstrual, mas a hipótese mais aceita pelos médicos atribui esse edema ao aumento dos níveis sangüíneos de hormônios femininos, o que leva à retenção de sal no organismo. O edema pré-menstrual geralmente melhora quando chega a menstruação, mas, se isso não acontecer, o ideal é procurar um ginecologista para orientar um tratamento.

Clique aqui para ler este artigo no Guia da Plastica