Cuidados com os ant-séptico bucal á base de álcool Marabá, Pará

Os produtos de enxágue bucal que contém álcool possibilitam o desenvolvimento do câncer. Compreenda os resultados de uma pesquisa que avaliou o aumento de casos entre pacientes consumidores desses determinados anti-sépticos. "A maioria dos enxaguatórios bucais comercializados no Brasil contém álcool. Algumas marcas chegam até a ter 26%, sendo que muitas pessoas usam o produto diariamente. O ideal, de acordo com os dentistas, é optar pelos que não têm álcool", destaca o autor.

Victor Aita
249-0292
Jose Bonifacio 984 - a
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Eduardo Ruy Chaves
(91) 3222-0860
Tv Quatorze de Marco 1206
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Lastênia Menezes, Dra
(91) 3259-2662
av Cons Furtado, 2865 S 6, São Braz
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Clínica Aymoré
(91) 3242-0886
Rua João Balbi, 273
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Clínica Perfecta
(91) 3276-9080
av Papa João Paulo II, 1358, Marco
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Valter Santos
(91) 3229-0532
Rua dos Pariquis 3001 - Sala 1105
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Clínica Cirúrgica Integrada Geral
(91) 3252-4964
r Bernal Couto, 671, Umarizal
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Clínica Álvaro Gomes
(91) 3223-6735
Rua Municipalidade, 1655
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Clínica Barros
(91) 3222-3777
Rua Diogo Moia, 296
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Alexandre Calandrini
(91) 3252-3933
tv D Romualdo Seixas, 606, Umarizal
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Cuidados com os ant-séptico bucal á base de álcool

sábado, 18 de julho de 2009

Dentistas aconselham a usar enxaguantes bucais que não contém álcool

Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Saúde Pública de São Paulo mostra que a venda de enxaguatórios bucais no Brasil cresceu 2.277% de 1992 a 2007. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, de 2002 a 2007 esse aumento foi de 190%.

O cirurgião-dentista Marco Antônio Manfredini, responsável pelo levantamento, alerta para a presença do álcool na composição do produto e que este aumenta os riscos de câncer de boca e da faringe.

Ao contrário do que as pessoas acham, os enxaguatórios que "queimam" a boca não são os melhores, pois essa pequena ardência é causada justamente pela presença do álcool.

O álcool em si não é um agente causador do câncer, mas existe uma enzima em nosso organismo, que o transforma em acetaldeído, substância essa que pode alterar as células da boca, resultando em tumores.

A maioria dos enxaguatórios bucais comercializados no Brasil contém álcool. Algumas marcas chegam até a ter 26%, sendo que muitas pessoas usam o produto diariamente. O ideal, de acordo com os dentistas, é escolher por enxaguatórios sem álcool.

Outras pesquisas realizadas em diversas partes do mundo apontam para o mesmo alerta. No Brasil, segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), os fabricantes são obrigados a informar a presença de álcool na embalagem do produto.

Fonte: Assessoria de Imprensa - Portal Educação

Clique aqui para ler este artigo na Portal Farmácia