Cuidados com os ant-séptico bucal á base de álcool Manaus, Amazonas

Os produtos de enxágue bucal que contém álcool possibilitam o desenvolvimento do câncer. Compreenda os resultados de uma pesquisa que avaliou o aumento de casos entre pacientes consumidores desses determinados anti-sépticos. "A maioria dos enxaguatórios bucais comercializados no Brasil contém álcool. Algumas marcas chegam até a ter 26%, sendo que muitas pessoas usam o produto diariamente. O ideal, de acordo com os dentistas, é optar pelos que não têm álcool", destaca o autor.

João BL Botelho
(92) 234-5609
bc Ribeiro, 520, sl 705, Parque 10 De Novembro
Manaus, Amazonas
 
Wellington Sampaio
(92) 236-1672
r Acre, 31, bl 31 b ap 3, Parque 10 De Novembro
Manaus, Amazonas
 
João LP Machado
(92) 232-4559
bc Ribeiro, 620, sl 203, Parque 10 De Novembro
Manaus, Amazonas
 
Paulo MG Lobo
(92) 633-1764
r Ramos, 89, São José Operário
Manaus, Amazonas
 
Antônio Lg Matos
(92) 236-7505
av C Nery, 2240
Manaus, Amazonas
 
Roberto O Mello
(92) 232-3915
r C Azevedo, 9, sl 206
Manaus, Amazonas
 
Luciana SM Vieira
(92) 233-1878
r Ferreira, 1297
Manaus, Amazonas
 

Cuidados com os ant-séptico bucal á base de álcool

sábado, 18 de julho de 2009

Dentistas aconselham a usar enxaguantes bucais que não contém álcool

Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Saúde Pública de São Paulo mostra que a venda de enxaguatórios bucais no Brasil cresceu 2.277% de 1992 a 2007. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, de 2002 a 2007 esse aumento foi de 190%.

O cirurgião-dentista Marco Antônio Manfredini, responsável pelo levantamento, alerta para a presença do álcool na composição do produto e que este aumenta os riscos de câncer de boca e da faringe.

Ao contrário do que as pessoas acham, os enxaguatórios que "queimam" a boca não são os melhores, pois essa pequena ardência é causada justamente pela presença do álcool.

O álcool em si não é um agente causador do câncer, mas existe uma enzima em nosso organismo, que o transforma em acetaldeído, substância essa que pode alterar as células da boca, resultando em tumores.

A maioria dos enxaguatórios bucais comercializados no Brasil contém álcool. Algumas marcas chegam até a ter 26%, sendo que muitas pessoas usam o produto diariamente. O ideal, de acordo com os dentistas, é escolher por enxaguatórios sem álcool.

Outras pesquisas realizadas em diversas partes do mundo apontam para o mesmo alerta. No Brasil, segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), os fabricantes são obrigados a informar a presença de álcool na embalagem do produto.

Fonte: Assessoria de Imprensa - Portal Educação

Clique aqui para ler este artigo na Portal Farmácia