Conhecendo o novo Punto Sporting da Fiat Brasília, DF

Avaliamos a versão "tunada" do compacto premium da Fiat: o Punto Sporting. Espera aí! Tunada? Não seria esportiva? Só se for no nome e na aparência. Afinal, o motor é praticamente o mesmo 1.8 bicombustível que equipa a versão HLX do modelo, com seus 113 cv de potência máxima quando abastecido com gasolina e 115 cv com álcool.

Bali Automóveis Ltda
(61) 3362-6200
sia Tr 3, s/n Lotes 725/895, Brasília
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Bali Automóveis
(61) 3362-6200
Sia Tr 3, s/n Lotes 725/895
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Brazilian Car Veículos Ltda
(61) 3363-8485
sclrn 711 Bl D, lj 33, Brasília
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Edmar Veículos
(61) 3274-1266
Sclrn 713 Bl G Lj 21, Asa Norte
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Concessionária Renault
(61) 3345-8070
Crs 516 Bl B Lj 5, Asa Sul
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Antônio Valter Alexandre Bie
(61) 3326-1337
Sepn 504 BL C LJ 33, Asa Norte
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Esave Veículos
(61) 2195-2111
st Aeroporto Internacional Brasília, s/n, Brasília
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Capital Veiculos Ltda
(61) 3225-8450
crs 502 Bl A, s/n lj 42, Asa Sul
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Disbrave Veículos
(61) 3329-9999
Sepn 503 Cj A, Asa Norte
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Edmar Veículos
(61) 3274-1266
sclrn 713 Bl D, s/n lj 3, Asa Norte
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Conhecendo o novo Punto Sporting da Fiat

Fornecido por:

Enquanto o Punto Abarth não vem...

 

Avaliamos a versão "tunada" do compacto premium da Fiat: o Punto Sporting. Espera aí! Tunada? Não seria esportiva? Só se for no nome e na aparência. Afinal, o motor é praticamente o mesmo 1.8 bicombustível que equipa a versão HLX do modelo, com seus 113 cv de potência máxima quando abastecido com gasolina e 115 cv com álcool.

 

Esportiva mesmo, de corpo e alma, é a Abarth, equipada com o turbinado propulsor 1.4L de 150 cv, mas que só chega ao mercado brasileiro no segundo semestre deste ano.

 

Porém, se você não faz questão de muuuita velocidade, vale a pena conferir nosso teste no Punto Sporting e conhecer suas qualidades -- que, diga-se de passagem, são muitas -- e também seus pecados...

Vamos começar nossa matéria pelo maior dos pecados do Fiat Punto Sporting: o motor. Não que ele seja ruim. Mas quando um carro leva a denominação "Sporting" espera-se que ele ofereça um desempenho bem mais esportivo do que as outras versões. Não é o que acontece.

 

O motor é praticamente idêntico ao do Punto 1.8 HLX. Rende os mesmos 113 cavalos de potência máxima quando abastecido com gasolina ou 115 cv com álcool. Diferente mesmo só as acelerações e retomadas de velocidade, que são ligeiramente melhores por conta da relação de diferencial mais curta.

 

De acordo com a ficha técnica da Fiat, o Punto Sporting acelera de 0 a 100 km/h em 10,5 segundos (gasolina) e 10,3 s (álcool); e tem velocidade máxima de 182 km/h (gasolina) e 184 km/h (álcool). Na versão HLX, os números são um pouquinho piores: aceleração em 10,8s e em 10,6s; e velocidade de 181 km/h e 183 km/h (com gasolina e álcool, respectivamente).

 

Mas com relação à suspensão, temos que dar a mão à palmatória. Esta sim, faz jus ao nome do carro. De calibragem mais esportiva, a suspensão, aliada às rodas aro 16 polegadas com pneus de perfil baixo, permite ao Punto Sporting realizar curvas com total precisão. Além de garantir a estabilidade em trechos sinuosos, o conjunto oferece um surpreendente conforto interno -- inclusive acústico, já que o carro é bem silencioso internamente, o que não costuma ser muito comum em versões esportivas.  

 

TRAJE ESPORTE FINO

 

Outra característica que inegavelmente condiz com nome da versão são os adereços. O carro não passa despercebido por onde passa. Chamam atenção as rodas de liga leve aro 16 com desenho exclusivo, as minissaias laterais, os faróis com máscaras negras, a larga e cromada ponteira do escapamento e o aerofólio traseiro.

 

Por dentro, a esportividade também marca presença, porém, as opiniões se dividem com relação aos diversos elementos pintados de vermelho, entre eles, as maçanetas internas das portas, o friso fixado no painel, o aro dos instrumentos e contornos da alavanca de câmbio, além dos cintos de segurança. Tudo vermelho!

 

Por falar em cinto, quem viaja no centro do banco traseiro só conta com o cinto subabdominal -- melhor seria se fosse de três pontos retrátil, como são os demais. Em compensação, há apoios de cabeça para os cinco ocupantes. Mas, os três passageiros do banco traseiro ficam bem espremidos.

 

Confortáveis mesmo vão os ocupantes dos bancos dianteiros. Mais anatômicos, eles seguram bem em curvas. Ao sentar em um desses bancos, um aviso sonoro alerta para a colocação do cinto de segurança e só pára de apitar quando o motorista e o passageiro ao lado engatam o cinto.

 

Ainda no quesito segurança, o Punto Sporting se destaca pelos ótimos freios com sistema ABS (antitravamento das rodas) e seis airbags (dianteiros, que são de série nesta versão, laterais e do tipo cortina, que são opcionais).

 

Custando a partir de R$ 53.150,00, o Punto Sporting sai de fábrica equipado com uma extensa lista de itens, entre eles, ar condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, computador de bordo e rádio CD Player MP3 com sistema viva-voz Bluetooth.

 

A versão avaliada estava equipada também com o sofisticado sistema de comunicação e entretenimento Blue&Me, (opcional) que permite ao motorista fazer chamadas de celular por comando de voz, manter a agenda pessoal de telefones no veículo, ouvir mensagens SMS recebidas, entre outras atividades que faz do carro uma extensão do escritório e da residência.

 

Enfim, para quem gosta de tecnologia de ponta e quer ficar "bonito na fita" a bordo de um carro de aparência esportiva, o Punto Sporting é uma boa opção de compra. Mas se você busca um desempenho realmente esportivo, espere mais um pouco. Ainda este ano, chega ao mercado brasileiro o Punto Abarth, equipado com motor 1.4 turbo de 150 cv de potência. Esse sim, vai cumprir o que promete... Pelo menos é o que esperamos...  

 

Clique aqui para ler este artigo na Autopista.com