Conheça os problemas mais frequentes na amamentação Manaus, Amazonas

Conheça quais são os problemas mais frequentes na amamentação e como trata-los. Aprenda como lidar com rachaduras, empredamento do leite, fissura e muito mais. Leia mais no artigo abaixo.

João BL Botelho
(92) 234-5609
bc Ribeiro, 520, sl 705, Parque 10 De Novembro
Manaus, Amazonas
 
Wellington Sampaio
(92) 236-1672
r Acre, 31, bl 31 b ap 3, Parque 10 De Novembro
Manaus, Amazonas
 
João LP Machado
(92) 232-4559
bc Ribeiro, 620, sl 203, Parque 10 De Novembro
Manaus, Amazonas
 
Paulo MG Lobo
(92) 633-1764
r Ramos, 89, São José Operário
Manaus, Amazonas
 
Antônio Lg Matos
(92) 236-7505
av C Nery, 2240
Manaus, Amazonas
 
Roberto O Mello
(92) 232-3915
r C Azevedo, 9, sl 206
Manaus, Amazonas
 
Luciana SM Vieira
(92) 233-1878
r Ferreira, 1297
Manaus, Amazonas
 

Conheça os problemas mais frequentes na amamentação

Publicidade Os problemas mais freqüentes na amamentação são:

Fissura ou rachadura - ocorre quando a posição do bebê e a pega do mamilo estão erradas.

Como evitar:
 Secar bem o mamilo; e
 Posicionar o bebê corretamente.

Como tratar:
 Expor as mamas ao sol ou luz artificial lâmpada de 40 watts à distância de 40 cm).
Cuidado para não provocar queimaduras.

Ingurgitamento - ocorre quando a mãe produz mais leite do que o bebê consegue mamar. As mamas ficam endurecidas ou empedradas.

Como evitar e tratar:
 Colocar o bebê mais vezes para mamar; e
 Retirar manualmente o excesso de leite.

Mastite - ocorre quando um dos seios inflama. A mama fica cheia, avermelhada, quente e muito dolorida. A mãe sente febre e calafrios.

Como evitar e tratar:
 Retirar manualmente o excesso de leite. Se a mãe não melhorar em 24 horas, deve ir ao serviço de saúde para ser tratada.

O leite está "secando" - ocorre quando se introduz mamadeira, chuca, bico ou chupeta.

Como evitar e tratar:
 Dar o peito sempre que o bebê quiser. Quanto mais o bebê mama, mais a mãe produz leite.

O melhor tratamento para os problemas da amamentação é continuar amamentando.

Fonte: Unicef

Clique aqui para ler este artigo na Portal Nutrição