Conheça os implantes dentários Poços de Caldas, Minas Gerais

Os implantes dentários são a solução para muitas pessoas que tiveram problemas com seus dentes naturais. Os implantes dentarios teve muito sucesso pelo ponto de vista estetica do que as dentaduras. Leia mais no artigo abaixo.

Meire Maria Fernandes Melo
323-2179
Rua Benjamim Colucci 50 - 6 Andar
Juiz de Fora, Minas Gerais
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Lena Tereza de Melo Lapertosa
(31) 3275-3488
Av Contorno 9921 - 506
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Cristiano Dias da Silveira Ramos
Rua Espirito Santo 1115 - 908-909
Juiz de Fora, Minas Gerais
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Magnaldo Oliveira da Fonseca
(33) 3521-6512
R. Líbio Carlos de Oliveira 16
Teofilo Otoni, Minas Gerais
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Marcos Matias Motta
(35) 3331-1484
Rua Melo Viana 302
Sao Lourenco, Minas Gerais
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Pedro Messias da Silva
(35) 3521-6383
Av Arouca 660 - Sala 513 / 515
Passos, Minas Gerais
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Luciano Fernandes
(35) 3221-3551
Rua Dona Cota 177 - Sala 201
Varginha, Minas Gerais
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Aluisio Cardoso Marques
3273-8480
Rua Bahia da 1345 - Sala 801
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Plastic Center
(32) 3239-8280
Rua Dom Vicoso 20
Juiz de Fora, Minas Gerais
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Odo Adao
(34) 3311-6900
Av. Santos Dumont 2265
Uberaba, Minas Gerais
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Conheça os implantes dentários

Os implantes dentários são a solução para muitas pessoas que tiveram problemas com seus dentes naturais. Os implantes osseointegrados começaram a ser utilizados na década de 60 e viraram um sucesso porque além de serem melhores do ponto de vista estético que as dentaduras ou pontes móveis, exercem as funções dos dentes naturais com muito mais eficácia. O Dr. Maurício Morato Corrêa∗ explica a seguir como este processo funciona, seus riscos e eficiência:

O que são implantes osseointegrados?
Introduzidos a partir da década de 60, são “parafusos” de titânio colocados nas áreas desdentadas, que apresentam a capacidade de exercer as funções mastigatórias e funcionais de maneira semelhante aos dentes naturais. Comparativamente, são muito superiores as próteses totais (dentaduras) ou removíveis (pontes móveis).
Normalmente o tratamento é realizado em três etapas: uma para colocação do cilindro de titânio (uma cirurgia mais extensa); outra, alguns meses após, para a colocação dos dispositivos que suportarão a prótese e finalmente a terceira etapa, a confecção da peça protética.

O que existe de mágico no titânio? Existem riscos de rejeição?
Não. Simplesmente o titânio não sofre corrosão quando inserido no corpo humano e não apresenta fenômeno de rejeição imunológica. O sucesso da técnica ocorre devido a um bom conjunto de fatores: do planejamento, da técnica cirúrgica, de um bom período de cicatrização e de uma reabilitação adequada. Este protocolo (a receita completa de como se faz um implante) tem minúcias que não podem ser desprezadas, e um profissional competente e bem treinado na técnica pode alcançar excelentes resultados.

Existe regulamentação a respeito da venda implantes?
Sim. A partir de março de 1993 os implantes são obrigados a serem registrados pelos seus fabricantes no Ministério da Saúde. Na embalagem deve constar o tipo de esterilização, a validade, o técnico responsável e outros itens, por serem considerados produtos de alto risco (utilizados no corpo humano). Lembre-se: às vezes somos muito mais exigentes com as peças de um carro, do que com os produtos de saúde.

Existe garantia de sucesso?
A principio pode ser dito que a taxa de sucesso é uma boa garantia, mas nos processos biológicos sempre existe uma certa dose de imponderabilidade.
Quais as contra-indicações?
O comprometimento da saúde geral que impeça a realização do ato cirúrgico e a ausência de osso suficiente para acomodar os implantes. Um estudo detalhado dos exames por imagem evitará surpresas, especialmente na fase cirúrgica.

Quais os riscos cirúrgicos?
Mínimos. A cirurgia é normalmente feita em duas horas, com anestesia local e é muito mais simples do que outros procedimentos cirúrgico-odontológicos, como a extração de um dente retido, por exemplo. Os implantes são colocados de forma não traumática e o osso é manipulado com suavidade, parecido com uma microcirurgia. O único efeito posterior está associado ao desprendimento da gengiva, devendo ocorrer inchaço local, em uma intensidade que varia de paciente para paciente.

Quais são os maiores problemas após a colocação dos implantes?
Alguns estudos demonstram que os maiores problemas após a colocação das próteses são a dicção e as mordidas nas bochechas, em função da colocação de dentes nas áreas que ficaram desdentadas por muito tempo, sendo normalmente contornáveis em pouco tempo. Lembre-se: o implante é muito superior a outros procedimentos de prótese e na ausência dos dentes, é o que de melhor pode ser realizado.

Posso comer de tudo após a colocação das próteses?
Não, mas as restrições não são muito severas. Você deve ter em conta que os implantes, por melhores e mais confiáveis que sejam, ainda não representam a total recuperação funcional e estética, não podendo, pelo fato de serem artificiais, restituir completamente todas as funções que os dentes naturais exerciam. Assim, você deve evitar alimentos excessivamente duros.
∗ Dr. Maurício Morato Corrêa
CRO 5280

Clique aqui para ler este artigo no Guia da Plastica