Conheça o dicionário de Patologia Aplicada Macapá, Amapá

A graduação exige um rápido contato com termos específicos na área da saúde favorecendo a comunicação entre diferentes profissionais. Este artigo mostra o dicionário da patologia aplicada com o objetivo de favorecer a comunicação e garantir a qualidade nos processos de cuidar. Leia mais no artigo abaixo.

Clinica de Estetica Antonyelle
(96) 3222-5759
av Raimundo Álvares Costa, 998
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Clinica dos Olhos
(96) 3222-2131
r Cândido Mendes, 1299 ca A Central
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Zeneide Alves
(96) 3224-2425
av Pres Getúlio Vargas, 1062
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Clinica Dr Alexandre
(96) 3224-1776
av Dq de Caxias, 730
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Consultorio Dr Romerval
(96) 3222-5223
av 1de Maio, 192
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Mesoclin
(96) 3223-4248
av Procópio Rola, 2431 Santa Rita
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Jose M Lobato
(96) 3223-3315
av Antônio Coelho Carvalho, 424 Central
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Med Center
(96) 3222-1231
r S José, 1704 Central
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
News Estetica
(96) 3223-7799
av Mendonça Furtado, 1007
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Centro de Estetica Selma
(96) 225-2500
r Tiradentes, 308 Altos Central
Macapá, Amapá

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Conheça o dicionário de Patologia Aplicada

  Angiografia: Estudo radiológico para visualizar os vasos sangüíneos, por meio de contraste Aberrações cromossômicas: Alteração na anatomia dos cromossomos normais que geralmente afetam a função de um ou alguns oncogenes. Ablação: 1) Separação ou deslocamento. 2) Remoção de uma parte, especialmente cortando. Aborto: É todo produto da concepção eliminado com peso inferior a 500g ou idade da gestão inferior a 20 semanas. Abscesso pulmonar: área localizada de infecção e necrose do parênquima pulmonar. Acidente do Trabalho: Evento ocorrido durante o exercício laboral ( ou em algumas situações específicas, fora dele) do qual resultaram danos para a saúde do trabalhador. Acidente Vascular Cerebral: Episódio agudo de distúrbio neurológico secundário a doença dos vasos cerebrais; pode ser hemorrágico ou isquêmico. Acne: Enfermidade comum na adolescência, que se caracteriza pela presença de comedões, pápulas, pústulas e cistos. Adenite: Inflamação aguda de gânglios linfáticos. Adenoma Pleomórfico: Tumor benigno mais freqüente das glândulas salivares Adoçante: Substância não nutritiva utilizada em pequenas quantidades para conferir sabor doce aos alimentos. Chamado também de edulcorante, classificado ou dividido em artificial e natural. Afacia: Ausência do cristalino. Afecção: Doença Agenesia: Ausência de desenvolvimento de um órgão. Albuminúria, Proteinúria: É devido a passagem das proteínas do sangue para a urina. Alça de Henle: Parte do néfron, unidade fundamental do rim, que fica entre os túbulos proximal e distal e que é dividida no mínimo em duas partes: descendente e ascendente. Alimentação Equilibrada: Alimentação balanceada em nutrientes de acordo com as necessidades nutricionais de cada indivíduo. Em cada refeição, o indivíduo deve consumir no mínimo um alimento de cada grupo construtor, energético e regulador. Alimentação: Ato voluntário de ingerir alimentos. Alimento: Substância ingerida pela boca que mantém a vida e o crescimento, fornecendo energia, construindo e substituindo tecidos. Alimentos Construtores: Responsáveis pela manutenção e crescimento do organismo, assim como renovação de tecidos e células. São as proteínas, fornecidas pelas carnes, ovos , leite, feijão. Alimentos Energéticos: Responsáveis pela energia do organismo. São os carboidratos fornecidos pelo açúcar, massas, pães, farinhas, raízes e tubérculos, e os lipídios, fornecidos pelas gorduras, manteiga, margarina, óleo vegetal. Alimentos Reguladores: Responsáveis pela regulação das atividades no organismo, garantindo o bom funcionamento através da água, das fibras, sais minerais e vitaminas, fornecidos pelas verduras e frutas. Alopécia: Afecções que se caracterizam por ausência ou diminuição de pelos. Alopécia: Queda dos cabelos ou pêlos. Alopécia: queda dos pelos ou cabelos, localizada ou difusa. Alta estatura: Quando o percentil da estatura é superior 97,5. Amebiáse: Parasitose geralmente intestinal causada pelo protozoário Entamoeba hystolítica. Amenorreia: Ausência de menstruação. Amenorréia: Falta de menstruação. Amniocentese: Punção transabdominal da câmara âmnica com agulha adequada para retirada de líquido amniótico. Amputação de reto: Operação que retira o reto e ânus. Anatomia Patológico: Estudo das doenças por métodos morfológicos. É comum o emprego do termo Patologia como sinônimo de Anatomia Patológico o que será correto somente quando, além dos métodos morfológicos, necessitamos para a compreensão dos fenômenos básicos da doença ou para seu diagnóstico de dados fornecidos pela clínica, bioquímica, bacteriologia, imunologia etc. Anemia Ferropriva: Falta de glóbulos vermelhos por carência de ferro. Anemia: Falta de glóbulos vermelhos. Aneurisma de aorta: Dilatação mais ou menos localizada da parede da aorta causada geralmente por processo inflamatório. Aneurismectomia do ventrículo esquerdo: Ressecção ou remoção de áreas do músculo cardíaco do ventrículo esquerdo que se tornam dilatadas ou aneurismáticas devido à perda de sua capacidade contrátil conseqüente à cicatrização fibrótica resultante da necrose do músculo cardíaco ocasionada pelo infarto do miocárdio. Anexite: Inflamação de ovários e trompas. Angiografia: Estudo radiográfico dos vasos (artérias, veias, linfáticos) pela injeção de meios de contrastes. Coronariografia: Arteriografia do coração (coronárias). Angioplastia: Procedimento utilizado para tratamento de doenças obstrutivas arteriais, tais como, artérias coronárias, artérias renais, artérias femorais e outras artérias periféricas. Consiste na dilatação da obstrução detectada por estudo angiográfico, através de cateter balão que se insufla no local desta, remoldando a luz da artéria por rotura e dilação. Angústia: segundo Freud, é o estado afetivo (emocional) puro, correspondente à ansiedade, ao medo e ao susto, mas que pode prescindir do objetivo, ou seja, pode existir como sentimento, isoladamente, sem necessitar de causa, motivo ou razão de ser. Contudo ao longo do tempo, devido à sua ampla utilização, apresentou seu significado técnico diluído e muito vinculado à teorias específicas. Deste modo, o termo “angústia”, na psiquiatria atual, não costuma ser utilizado na linguagem técnica, por não possuir sentido psicopatológico bem definido, sendo no entanto muito citado pelos pacientes ao descreverem alguns sentimentos e/ou sensações desagradáveis, tais como a ansiedade nas fobias ou transtornos do pânico, a inquietude e agitação interna nos casos de mania, ou ainda a sensação de falta de esperança e de vazio interior nas depressões. ( M.A. BERNIK) Anomalia Ano-Retal: Alteração congênita em que o ânus e o reto estão ausentes, com exteriorização em posição anômala. Anorexia: Falta de apetite que persiste por tempo prolongado e que muitas vezes ocasiona problemas mais graves de saúde. Anoxia: Redução do teor de oxigênio no sangue e nos tecidos orgânicos. É sinônimo de hipoxia e asfixia. Atelectasia: Expansão incompleta de um pulmão ou parte dele. Anquiloglossia: Freio lingual curto, "língua presa". Anquilose: perda da mobilidade da articulação. Anquilose: Perda Total da mobilidade articular ativa e passiva óssea: por fusão dos ossos que formam uma articulação; fibrosa: por retração ou aderência das partes moles articulares ou periarticulares. Ansiedade: qualidade de emoção vinculada ao medo e a expectativa (o sujeito pode ou não perceber a apreensão), associada por definição à um estado emocional negativo ou aversivo (ou seja, descrita como desagradável) e quase sempre acompanhada de sintomas físicos inespecíficos associados à excitação autonômica, tais como palpitações, sudorese, tremores, respiração ofegante, sensação de sufocação, entre outros. A ansiedade, desta forma se diferencia de outros estados de expectativa, não associados à vivência emocional aversiva como a “fissura” presente em distúrbios de controle do impulso. A ansiedade pode ser considerada normal ou patológica, a partir da relação entre seus fatores desencadeantes e a intensidade das manifestações. Diz-se que a ansiedade é tônica ou generalizada quando é mantida ao longo do tempo, fásica quando ocorre em surtos (ou “ataques”, como no transtorno do pânico); situacional, quando reativa a estímulos particulares (como nas fobias) ou espontânea. (M.A. BERNIK e C.B. CARNEIRO) Antibiótico: Medicamento que combate as infecções através da destruição do agente causador. Antidepressivo: substância heterogênea que apresenta, em comparação com placebo, eficácia na remissão de sintomas característicos da síndrome depressiva, em pelo menos um grupo de pacientes com transtorno depressivo de no mínimo moderada intensidade. Substâncias efetivas somente em sintomas inespecíficos da depressão (por exemplo, insônia ou ansiedade) não são antidepressivos. Não há consenso se uma substância de eficácia superior a placebo, mas inferior a um antidepressivo padrão (por exemplo, um antidepressivo tricíclico) deva ser chamada de antidepressivo. Algumas substâncias antidepressivas podem ser eficazes em outros transtornos mentais (por exemplo, transtorno do pânico). Ricardo Alberto Moreno Antioncogenes: Genes normalmente envolvidos no controle da expressão dos oncogenes. Antipsicóticos: Também denominados neurolépticos. São medicamentos utilizados principalmente no tratamento de psicoses, para redução ou alivio de sintomas como delirios e alucinações; eles não curam a doença, mas controlam os sintomas. O primeiro antipsicótico a ser utilizado foi a clorpromazina em 1952, que revolucionou o tratamento das psicoses, especialmente da esquizofrenia. Logo foram descobertos outros antipsicóticos (p. ex., haloperidol, flufenazina, tioridazina) que tem como mecanismo básico de ação o bloqueio de um neurotransmissor cerebral denominado dopamina. Estes antipsicóticos, denominados clássicos ou convencionais, são eficazes principalmente no controle de sintomas chamados positivos, como os delirios, as alucinações, a desorganização do pensamento. Eles também produzem efeitos colaterais denominados extrapiramidais, tais como tremores, rigidez muscular. A partir dos anos 90 uma nova geração de antipsicóticos (p. ex., clozapina, risperidona, olanzapina) vem sendo desenvolvida. Os novos antipsicóticos, alem de bloquear a dopamina, bloqueiam tambem outros neurotransmissores cerebrais, especialmente a serotonina. Esses novos antipsicóticos agem não apenas nos sintomas positivos, mas tambem nos sintomas chamados negativos, como a pobreza de pensamento, o embotamento afetivo e a falta de motivação. Eles produzem menos efeitos colaterais extrapiramidais do que os antipsicóticos clássicos. Existem numerosos antipsicóticos disponíveis no mercado brasileiro; alguns deles, além da forma de comprimidos são apresentados como injeção de longa duração (depot) para ser aplicada com intervalo de semanas. Os antipsicóticos demoram até algumas semanas para fazer efeito e melhorar o paciente. Para algumas doenças eles precisam ser utilizados por longos períodos de tempo, mas eles não causam dependência (não "viciam"). (M.R.LOUZÃ) Aparelho Digestivo: É constituído pelo tubo digestivo que vai desde a boca até o ânus e também o fígado e o pâncreas. Apendicectomia: Operação para retirada do apêndice cecal. Apetite: Vontade de comer. O apetite designa uma vontade que pode ser completamente independente da fome. Pode-se ter apetite mesmo com o estômago repleto. Apgar, Boletim de: Sistema de avaliação dos recém nascidos, usando critérios respiratórios, circulatórios e neurológicos e que permite notas de zero a dez. Crianças com notas menores que oito são consideradas deprimidas e merecem reanimação. Aplasia de medula óssea: Inadequada (pouca) produção de sangue. Apnéia obstrutiva do sono: síndrome caracterizada por episódios de diminuição e ou ausência de fluxo aéreo durante o sono ocasionando desaturação de oxigênio durante o sono. Apnéia: Parada respiratória. Arritmia: O coração possui atividade elétrica própria que consiste na geração e transmissão de estímulos. Distúrbios destas propriedades resultam em alterações do ritmo cardíaco ou arritmia cardíaca. Entre nós, a causa mais comum de arritmia cardíaca é a Doença de Chagas. Artéria: Vaso que leva o sangue para um determinado órgão ou segmento do corpo. Arteriografia cerebral: radiografia do crânio obtida após injeção de contraste nas artérias cerebrais. Arteriografia: Radiografia com injeção de contraste nas artérias. Arteriosclerose ou Aterosclerose: Doença degenerativa das artérias, caracterizada por espessamento a parede por acúmulo de camadas de material depositado, principalmente cristais de colesterol e cálcio. Arterite: inflamação da parede das artérias. Articulação: O mesmo que junta. Artralgia: dor na articulação. Artrite: inflamação articular que se caracteriza por dor, aumento da temperatura, vermelhidão, aumento do volume e diminuição da mobilidade. Artrite: Processo inflamatório localizado nos elementos que constituem uma articulação. Artritismo: nome popular dado a qualquer doença das articulações. Artrodese: Intervenção cirúrgica realizada com a finalidade de suprimir totalmente a mobilidade de uma articulação. Artropatia: doença articular. Artroplastia: Intervenção cirúrgica pela qual deseja-se restituir ou aumentar a mobilidade de uma articulação , cujos movimentos estão abolidos ou limitados por causas diversas (traumáticas, inflamatórias, degenerativas etc.). Artrose: degeneração da articulação. Artrose: Processo degenerativo localizado nos elementos que constituem uma articulação. Ascite: Acúmulo de líquidos na cavidade abdominal. Ascite: Presença de líquido na cavidade peritonial (abdome). Asma: processo inflamatório crônico das vias aéreas caracterizado por hiperresponsividade a estímulos broncoconstrictores com episódios de limitação ao fluxo aéreo que revertem espontâneamente ou com auxílio de medicação. Atresia: Ausência de luz de um órgão tubular, em que ocorre falta de desenvolvimento completo da luz, uma estrutura tubular, o ca. Ex.: atresia de esôfago, atresia de esôfago, atresia de duodeno. Auto-anticorpo: anticorpo dirigido contra qualquer constituinte do próprio organismo. Autópsia Médico-Legal: Verificação cadavérica, abrangendo o exame dos órgãos, para fins de instrução de processo legal. Auxograma: Sistema de coordenadas que, utilizando os dados de idade cronológica, idade altura, idade peso, idade óssea, idade mental e idade genital, contribui para o diagnóstico dos distúrbios do crescimento. Bactérias: Microrganismos causador de infecções urinárias, pulmonares, do sistema nervoso, dos ossos etc. Geralmente são sensíveis aos antibióticos. Baixa estatura: Quando o percentil da estatura é inferior a 2,5. Banco de pele: Local onde se conservam enxertos de pele por refrigeração. Bartholinite: Inflamação da glândula de Bartholin. Bexiga Neurogenica: Sob este diagnóstico, enquadram-se as disfunções de natureza neurológica e muscular da bexiga e esfíncter urinário. As causas mais importantes são os traumatismos graves de coluna e o diabetes mellitus. Bile: Solução aquosa produzida no fígado, que inclui os sais biliares, fundamentais no metabolismo das lípides por meio da transformação inicial das gorduras em partículas menores (micelas). A bilirrubina é o principal pigmento biliar excretado pela bile e sua degradação gera os radicais heme, substratos imprescindíveis para a formação da molécula de hemoglobina. Bilirrubina: Pigmento amarelo alaranjado resultante da decomposição dos glóbulos vermelhos do sangue. Bilirrubina: Pigmento biliar metabolizado no fígado e excretado pelas vias biliares para o trato intestinal pelo duodeno. Biópisia endomiocárdica: Consiste na retirada por punção venosa de um pequeno fragmento de miocárdio para ser analisado a nível de microscopia óptica e/ou eletrônica. A biópsia endomiocárdica é empregada no seguimento de pacientes submetidos a transplante cardíaco e no diagnóstico e acompanhamento das endomiocardiopatias. Biópsia pleural: obtenção de um fragmento da pleura parietal a com auxílio de agulha. Biópsia pulmonar a céu aberto: obtenção de um fragmento de tecido pulmonar através de uma abertura torácica. Biópsia pulmonar transbrônquica: obtenção de um fragmento de tecido pulmonar com auxílio de broncoscópio e uma pinça de biópsia que atravesse a parede brônquica. Biópsia pulmonar transtorácica: obtenção de um fragmento de tecido pulmonar com auxílio de uma agulha de biópsia realizada através da parede torácica. Biópsia pulmonar: obtenção de um fragmento de tecido pulmonar para estudo anatómo-patológico. Biopsia: Remoção e exame, em geral microscópio, de tecido ou outro material de um organismo vivo, para fins diagnósticos. Biópsia: Retirada de fragmento ou de todo tumor para avaliação com patologista Bócio: Aumento da glândula tireóide não neoplásico Bolha: Deslocamento da camada superficial de pele. Contém líquido originado do plasma. Borda em escova: Nome dado à margem luminal das células do túbulo contorneado proximal, que estão no córtex dos rins, em virtude de suas vilosidades que dão um aspecto peludo ou semelhante a um pente. Broncodilatador: medicação utilizada para obtenção do relaxamento das vias aéreas. Broncografia: Radiografia do tórax após introdução de meios de contrastes nos brônquios. Bronquiectasia: dilatação irreversível localizada ou difusa da árvore brônquica com distorsão dos brônquios. Bronquite crônica: tosse e expectoração por mais de tres meses por dois anos consecutivos. Bronquite: processo inflamatório das vias aéreas proximais ou brônquios. Buftalmo: Glaucoma congênito. Bursite: inflamação da bursa, que é uma pequena bolsa que se localiza entre os tendões para reduzir o atrito entre eles. CA: Abreviatura de câncer Caloria: Energia produzida pelos alimentos no processo de digestão. Canal de vigilância para alta estatura: Quando o percentil da estatura localiza-se entre 90,0 e 97,5. Canal de vigilância para baixa estatura: Quando o percentil da estatura localiza-se entre 10,0 e 2,5. Câncer de pulmão: proliferação anormal e sem limites das células originárias dos pulmões levando ao aparecimento de massas. Câncer: Tumor maligno Cancerígenos químicos: Substâncias cuja absorção pelo organismo, seja pela pele, por inalação ou por ingestão, levam à produção de mutações que provocam a transformação celular. Candidíase: O mesmo que monilíase ou "sapinho"; micose das mucosas da boca, que se apresenta como flocos brancos. Cápsula articular: Tecido conjuntivo que envolve as articulações. Capurro, Método de: Sistema de avaliação da idade gestacional do recém nascido, baseado em critérios físicos e neurológicos. Carcinoma Papilífero: Tumor maligno mais freqüente da glândula tireóide, normalmente de comportamento não agressivo Carcinoma: Câncer Cardápio: Lista de alimentos que se pode servir. Cardiomioplastia: Cirurgia destinada a melhorar o bombeamento do sangue exercido pelo coração quando as paredes musculares de seus ventrículos estão com sua capacidade contrátil muito diminuída devido a sucessivos infartos ou miocardites. Tal cirurgia consta da dissecção do músculo grande dorsal da parede do tórax e de sua introdução no interior da caixa torácica utilizando-o para envolver o coração a fim de comprimir ritmicamente os ventrículos a cada batimento cardíaco. Um equipamento eletrônico, denominado marcapasso, implantado abaixo da pele e ligado ao músculo grande dorsal permite sua contratação rítmica. Cardiomioplastia: Procedimento cirúrgico que consiste no envolvimento do coração com músculo longo dorsal do próprio paciente com a finalidade de assistência mecânica (aumentar a força contratil do miocárdio). A estimulação do músculo é mediada através de gerador de marcapasso apropriado. Catarata: Opacificação do cristalino. Cateter: Tubo sintético longo, fino e maleável, que se introduz dentro de um vaso para manobras de diagnóstico e tratamento. Cateter-Central: Cateter para administração de soro, antibióticos ou nutrição parenteral, cuja extremidade encontra-se em veia central, isto é, localizada na transição entre a veia cava superior e o átrio direito. Cateterismo: Introdução de um cateter dentro de um vaso. Cavo: Significado oco, escavado, côncavo; aplica-se especialmente à deformidade do pé caracterizada por um exagero do arco plantar. CBC: Carcinoma basocelular, câncer de pele mais freqüente CEC: Carcinoma epidermóide, câncer mais freqüente da mucosa em cabeça e pescoço, que também ocorre na pele Cefaléia: Dor de Cabeça. Centese: Perfuração por agulha ou trocarte. Empregada também como sufixo-centese, indicando punção ou perfuração cirúrgica da parte assinalada pelo primeiro elemento do termo. Ex.: abdominocentese, paracentese. Ceratite: Inflamação da córnea. Ceratocone: Córnea que assume a forma de um cone. Ceratoplastia: Enxerto de córnea. Cervicalgia: dor na região cervical (parte posterior do pescoço). Cervicite: Inflamação do colo do útero. Cervicobraquialgia: dor na região cervical que se irradia para o braço/antebraço. Cianose: Cor azulada da pele devida à deficiência na circulação e oxigenação. Ciatalgia: dor na região do nervo ciático (parte lateral da coxa e posterior da perna). Ciática: Dor irradiada para os membros inferiores por compreensão de nervo. Cifose: (dorso curvo): Deformidade correspondente ao aumento da convexidade da coluna dorsal. Cintilografia de perfusão do miocardio com Talio 201: Procedimento não invasivo realizado para avaliar a perfusão miocárdica durante o exercício e em repouso, comparativamente, administrando-se o elemento radioativo Tálio 201 por via venosa. O estudo da perfusão miocárdica possibilita avaliar a função do músculo cardíaco e diagnosticar isquemia do músculo decorrente de patologia da artéria coronariana. Cintilografia ou mapeamento: Processo em que a substância radioativa vai se concentrar em determinado órgão que será analisado por aparelho especial (cintilógrafo, gama-câmara). Cintilografia: Estudo que realiza mapeamento da tireóide por meio de iodo radioativo Circulação assistida: Utilização de aparelhagem especial paa manutenção de perfusão dos tecidos de todos os órgãos, incluindo o coração, sem aumentar os requerimentos da energia deste órgão. Cirrose: Doença hepática crônica caracterizada por alterações macro e microscópicas, com transformação nodular no fígado e resultante do processo cecatricial de reparação nodular. Cirurgia de Cabeça e Pescoço: Especialidade que trata malformações congênitas, tumores benignos e malignos da tireóide, paratireóide, glândulas salivares, boca, laringe, faringe, seios paranasais e tumores de pele da região cervical, face e do couro cabeludo Cirurgia Pediátrica Cistite: Processo inflamatório da bexiga, na maioria das vezes infecciona, de causa bacteriana, cujo tratamento é baseado no uso de antibióticos ou quimioterápicos adequados. Com menor freqüência a cistite tem como causa fatores imunológicos, radioterapia e outros. Cisto sinovial: cisto da membrana que envolve as articulações (membrana sinovial). Cisto subcondral: cisto localizado logo abaixo da cartilagem que protege o osso. Cisto Tireoglosso: Lesão cística congênita, localizada na linha média, normalmente acima do "pomo de Adão" , de tratamento cirúrgico Cisto: Lesão normalmente ovalada ou circular, com conteúdo líquido no seu interior Claudicar: Mancar. Colação: Refeição rápida, entre duas refeições principais. Colecistectomia: Operação que retira a vesícula biliar. Colectomia: Operação que retira parcial ou total o colon. Colesterol: Substância existente normalmente no sangue, no cérebro e em todos os outros tecidos do organismo assim como na maior parte dos alimentos de origem animal. Cólica: Dor abdominal de localização e intensidade variável descrita como sensação de torção ( espamo). Colorações Específicas: Colorações outras que não as rotineiras de preparados histológicos e que se prestam para evidenciar agentes etiológicos ou componentes teciduais de forma mais definida. Existem em grande número e seu uso pode ser rotineiro ou eventual, dependendo do material a ser examinado. Exame citológico: Exame diagnóstico através de esfregaços, "imprints" ou de grupos de células ("cell block") esta última obtida após centrifugação de líquidos e exsudatos. Colostomia: Exteriorização do colo para desvio do trânsito intestinal. Colposcopia: Exame de prevenção do câncer do colo do útero. Coma: Estado de privação da consciência em que não há reação de despertar mesmo com estimulação intensa. Comissurotomias valvares: Abertura cirúrgica das comissuras das valvas cardíacas possuidoras de estenose congênita ou adquirida (popularmente chamadas valvas entupidas). Esta abertura cirúrgica das valvas constitui na secção da fibrose que ocasiona a fusão das bordas comissurais das cúspides valvares. Congelação: Exame realizado pelo patologista durante o ato operatório, para avaliar o tipo do tumor Congênito: Que nasce com o indivíduo, que existe desde o nascimento ou até antes do mesmo; não adquirido. Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva. Contratura: contração muscular duradoura que provoca dor local. Contratura: Deformidade causada por partes moles, o que impede a extensão normal de uma articulação. Contusão: Lesão corporal causada por trauma sem solução de continuidade. Contusão: Lesão provocada por batida ou pancada. Credé, Método de: Instilação nas conjuntivas oculares do recém nascido de solução a 1% de nitrato de prata visando infecções oculares. Criopricipitado: Fator do sangue para tratamento da hemofilia. Criostato, Micrótomo de Congelação: aparelhos que permitem que, após resfriamento, os tecidos adquiram textura suficientemente dura para a obtenção de cortes finos. No micrótomo de congelação o resfriamento é conseguido através do gás carbônico. No criostato o micrótomo fica no interior de câmara frigorífica, regulável para a temperatura desejada. Criptorquidia: ausência do testículo na bolsa escrotal, localizando-se em posição alta. A cirurgia corretiva chama-se orquidopexia. Criptorquidia: Condição na qual o testículo está ausente no escroto detido em algum ponto do abdome ou região inguinal. O tratamento pode ser feito com medicamentos, mas se maioria das vezes requer cirurgia corretiva, a qual deve sempre que possível, ser realizada até os 4 anos de idade. Cuidador: Indivíduo responsável pelos cuidados básicos do paciente como higiene pessoal, alimentação e administração de medicamentos. Cultura de urina quantitativa: Onde uma quantidade determinada de urina é cultivada de forma que havendo crescimento de colônias de bactérias pode-se determinar o número de colônias por ml de urina. Curetagem Uterina: Procedimento utilizado para o esvaziamento da cavidade uterina através de instrumental cirúrgico denominado cureta. Dacriocistite: Inflamação do saco lacrimal. Decortinação pulmonar: Remoção da pleura parietal e da pleura pulmonar quando acometidas de intensa fibrose que impede a expansão do pulmão e da caixa torácica impedindo portanto a insuflação pulmonar. Reanimação cardiopulmonar: Conjunto de manobras que tendem a recuperação da ação normal do coração (massagem cardíaca +ventilação pulmonar). Deglutição: Ato de engolir. Demartomicoses: Afecções causadas por várias espécies de fungos, localizadas na superfície da pele. Verrugas: Proliferações epiteliais benignas, contagiosas, de pele e mucosas, de aspecto clínico variável, produzidas por vírus. Demência: Deterioração das atividade intelectuais secundária a lesão ou disfunção do sistema nervoso. Deontologia Médica: Estudo e codificação dos deveres do médico. Dermatite seborrêica: Doença crônica, freqüente, não contagiosa, que se localiza em áreas onde há maior número de glândulas sebáceas. Dermatomo: Aparelho usado para retirar os enxertos da área doadora. Derrame Pleural: É o acúmulo de líquido no espaço pleural (tórax). Derrame pleural: presença de líquido no espaço pleural. Desbridamento: 1) Secção de bridas construtivas. 2) Limpeza mecânica de uma ferida infectada, pela remoção de toda a matéria estranha e tecidos desvitalizados nela contidos. Desbridar: Seccionar os tecidos para ampliar uma ferida com a finalidade de exploração cirúrgica. Desfibrilador implantavel: Procedimento que consiste na implantação de aparelho no tórax do paciente, capaz de automaticamente corrigir arritmias graves através de descargas elétricas, evitando o agravamento de suas condições clínicas e em muitas ocasiões até o óbito. Desidratação: Perda anormal de líquido do organismo. A desidratação começa quando a quantidade de líquidos ingerida é inferior àquela que é eliminada através da urina, da respiração, da transpiração e das fezes. A desidratação surge freqüentemente em conseqüência de vômitos, diarréia ou perda sangüínea. Desnutrição: Deficiência de nutrientes que compromete o adequado estado nutricional do indivíduo. Desnutrição: Estado onde o paciente apresenta-se emagrecido, normalmente por falta de alimentação ou por uma doença consumptiva Diabete Melino: Doença sistêmica, metabólica, crônica, causada por deficiência de insulina. Diáfise: Corpo dos ossos longos; corresponde à porção mais ou menos cilíndrica, situada entre ambas as epífises. Diarréia: Aumento no número e na quantidade de fezes eliminadas diariamente, como consistência diminuída, que varia entre pastosas e liquefeitas. Diarréia: Ocorrência de três ou mais evacuações por dia em grande quantidade com fezes de consistência líquida. Dicionário Médico para Leigos Cardiologia Clínica e Cirúrgica Dicionário Médico para Leigos Cirurgia de Cabeça e Pescoço Dicionário Médico para Leigos Cirurgia do Aparelho Digestivo Dicionário Médico para Leigos Cirurgia Experimental Dicionário Médico para Leigos Cirurgia Torácica Dicionário Médico para Leigos Cirurgia Vascular Dicionário Médico para Leigos Clínica Geral - Propedêutica Dicionário Médico para Leigos Departamento de Cirurgia do Trauma Dicionário Médico para Leigos Departamento de Medicina Legal, Medicina Social e do Trabalho e de Ontologia Médica Dicionário Médico para Leigos Dermatologia Dicionário Médico para Leigos Disciplina de Reumatologia Dicionário Médico para Leigos Divisão de Nutrição e Dietética Dicionário Médico para Leigos Divisão de Queimaduras Dicionário Médico para Leigos Gastroenterologia Dicionário Médico para Leigos Ginecologia Dicionário Médico para Leigos Hematologia e Hemoterapia Dicionário Médico para Leigos Nefrologia (Hipertensão) Dicionário Médico para Leigos Neonatologia Dicionário Médico para Leigos Neurologia Dicionário Médico para Leigos Obstetrícia Dicionário Médico para Leigos Oftalmologia Dicionário Médico para Leigos Oncologia Dicionário Médico para Leigos Ortopedia e Traumatologia Dicionário Médico para Leigos Patologia Dicionário Médico para Leigos Pediatria Dicionário Médico para Leigos Pneumologia Dicionário Médico para Leigos Psiquiatria Dicionário Médico para Leigos Radiologia Dicionário Médico para Leigos Técnica Cirúrgica Dicionário Médico para Leigos Urologia Diérese: Divisão, separação de tecidos orgânicos, acidental ou cirúrgica, sem perda de substância. Dieta: Ingestão habitual de alimentos que se faz visando preencher as necessidades do indivíduo sadio ou enfermo ( incluindo ou excluindo alimentos ) Ex : Dieta hipocalórica, Dieta rica em ferro, Dieta sem resíduos, Dieta para diabetes. Dietética: Ciência da alimentação equilibrada, que contribui para manter a saúde. Dietoterapia: Tratamento exclusivo ou como fator auxiliar do tratamento de doenças através da alimentação. Digestão: Processo pelo qual os alimentos se transformam em elementos mais simples, para que possam ser absorvidos pela corrente sangüínea e darem origem a produção de energia , à reestruturação dos tecidos e ao crescimento. A digestão realiza-se no tubo digestivo, é composto pela boca, o estômago, o intestino delgado, intestino grosso e o cólon ( incluindo pâncreas e fígado ). Discopatia: qualquer alteração do disco que se localiza entre as vértebras (que tem função " amortecedora"). Disfagia: Dificuldade para se alimentar Dismenorréia: Dor em cólica na menstruação. Displasia Mamária: Doença benigna da mama (dor e/ou cistos da mama). Dissecção da aorta: Dilatação da túnica média e externa da aorta que se faz mais ou menos agudamente, resultante da rotura do endotélio arterial num ponto do vaso onde a túnica média e interna foram lesadas por moléstia infecciosa ou degenerativa. Doença de Alzheimer: transtorno Mental Orgânico, que recebeu o nome do psiquiatra alemão Alois Alzheimer, após a descrição que ele fez de alguns casos no início deste século. A doença de Alzheimer é considerada uma doença única, com dois sub-tipos: pré-senil ou precoce (com início antes dos 65 anos), e senil ou tardia (com início após os 65 anos). Os principais sintomas são esquecimentos, dificuldade de concentração, desorientação no tempo e no espaço, dificuldade para encontrar palavras e para nomear objetos, dificuldade para fazer cálculos e desenhos simples. Os pacientes podem, também, apresentar alterações de personalidade, idéias exageradas de desconfiança ou ciúmes, alterações da percepção (ilusões, alucinações e falsos reconhecimentos), e alterações do comportamento (como agressividade). O início desta doença é lento e sua evolução progressiva. Atualmente, existem tratamentos farmacológicos e psicossociais que podem aliviar os sintomas, ou ao menos retardar a sua progressão, principalmente se instituídos no início da evolução. (C. M. C. BOTTINO) Doença Profissional: Doença contraída por um trabalhador, em razão especificamente de seu exercício profissional. Doenca pulmonar obstrutiva crônica: limitação crônica ao fluxo aéreo causada por bronquite crônica e ou enfisema. Doença pulmonar ocupacional: doença pulmonar causada por inalação de agentes presentes no ambiente de trabalho. Dorsalgia: dor nas costas, na parte posterior do tórax. DORT: Doença Ocupacional Relacionada ao Trabalho. DPP: Deslocamento prematuro da placenta normoinserida antes da expulsão do feto, causando hemorragia materna. Drenagem pleural: Método cirúrgico destinado a remoção de ar ou de líquidos patológicos acumulados no interior das cavidades pleurais (espaço situado entre pulmão e caixa torácica), utilizando drenos especiais (tubos de borracha ou de plástico) cujas extremidades são introduzidas nestas cavidades através da parede torácica. Dreno: Tubo, de silicone, plástico, borracha ou outro material, utilizado para direcionar coleções Dubowitz, Método de: Outro sistema de avaliação de idade gestacional. Duodenopancreatectomia: Operação que retira parte do estômago duodeno e pâncreas. E.C.G.: Sigla que significa eletrocardiograma. Ecocardiografia com doppler: Procedimento de complementação diagnóstica que fornece informações sobre anatomia (válvulas, septos, vasos da base, paredes e cavidades), fisiologia (funções ventriculares direita e esquerda), parâmetros hemodinâmicos e avaliação dos fluxos sangüíneos e intracardíacos e que utiliza o ultrassom como agente para essas medidas. ECT: a ECT (eletroconvulsoterapia) é um tipo de tratamento biológico para transtornos mentais altamente eficaz e extremamente seguro. Em alguns casos pode salvar a vida de uma pessoa (alguém com ideação suicida ou que esteja definhando por falta de alimentação, por exemplo). Desde os seus princípios nos anos 1930 (ver HISTÓRICO), a ECT foi utilizada para condições psiquiátricas nas quais outros tratamentos tiveram pouco ou nenhum benefício. Independentemente da comprovada eficácia, contudo, muitos medos e incompreensões persistem com relação ao uso de ECT. Algumas pessoas reagem com surpresa quando este procedimento é mencionado, acreditando que é uma forma primitiva de prática médica. Outros associam a ECT com cadeira elétrica, originando receios sobre brutalidade e punição. Na verdade, a prática de ECT é hoje de fato um procedimento humano e tecnicamente bem pesquisado, muito utilizado para certas condições. O tratamento consiste na aplicação de uma carga elétrica no cérebro, com o paciente anestesiado (é induzida uma anestesia geral com duração em torno de 5 minutos). Esta carga elétrica produz uma descarga do cérebro, originando uma convulsão (daí o nome eletroconvulsoterapia). Esta convulsão é bastante diferente da que ocorre nas pessoas com epilepsia pois é administrada ao paciente, juntamente com a medicação anestésica, uma medicação que promove um relaxamento muscular. Durante a aplicação, é feito um controle do funcionamento cardíaco (com monitorização através de ECG) e da oxigenação do sangue (através de um oxímetro, uma espécie de dedal que avalia se a quantidade de oxigênio no sangue está adequada), além de um controle da pressão arterial. (Rigonatti,S. P.; Rosa, M.A.; Mussi, C.C.) Eczema: Síndrome inflamatória da pele, com aspectos clínicos multiformes e prurido. Edema: Acúmulo anormal de líquido proveniente de sangue em qualquer tecido ou órgão. Popularmente conhecido como inchaço. Edema: Inchaço Edema: Infiltração difusa em diversos tecidos especialmente subcutâneo e submucoso devido ao aumento do líquido intersticial. Eletrograma do Feixe de His: Consiste no estudo das propriedades eletrofisiológicas das células cardíacas através da introdução de catéteres intracardíacos e a utilização de aparelhos estimuladores elétricos externos. Permite reconhecer e avaliar a gravidade de arritmias cardíacas. Embolia pulmonar: obstrução aguda da circulação pulmonar por êmbolos originários do sistema venoso. Embolia: Obstrução de um vaso por um coágulo ou outro material, formado em outro local da corrente circulatória, e que migrou seguindo o fluxo sangüíneo. Emese: Ato de vomitar. Empiema: infecção do espaço pleural. Encefalite: Inflamação do encéfalo. Encéfalo: Parte do sistema nervoso central contida na cavidade craniana e que abrange os hemisférios cerebrais, tronco cerebral e cerebelo. Encefalopatia Hipertensiva: Sintomatologia cerebral aguda por elevação súbita da pressão arterial. Endemia: Nível habitual de prevalência de uma determinada doença na população. Endometriose: Localização da mucosa uterina fora do útero, causando dor. Endoscopia: Estudo que visualiza, por meio de fibras ópticas, os órgãos do trato aero-digestivo alto Enfisema: dilatação anormal dos espaços aéreos distais ao bronquíolo terminal acompanhado por destruição de suas paredes sem sinais de fibrose. Enterectomia: Retirada de parte do intestino delgado. Enterite: Inflamação do intestino. Enterorragia: Presença de "sangue vivo" nas fezes. Entorse: Distensão traumática ao nível de ligamentos e/ou cápsula articular. Enucleação: 1) Tirar o núcleo. 2) Remover ( um caroço, um tumor, o globo ocular) de seus envoltórios. Enurese: Este termo tem como significado urinar na cama, à noite. Pode ser causada por diversas doenças do trato urinário mas freqüentemente decorre de um retardo na maturação neuromuscular da bexiga e esfíncter urinário, e neste caso o problema tende a desaparecer com o crescimento da criança. Enxertia de pele: Retirar uma lâmina fina de pele da área doadora para transplantar numa ferida. Enxerto Arterial: Substituição de uma artéria por outro vaso ( do próprio organismo ou sintético). Enxerto autógeno: Enxerto originado do próprio receptor. Enxerto de pele de espessura parcial: O enxerto tem só as camadas superficiais da pele (menos de 1 milímetro). Enxerto de pele de espessura total: O enxerto tem todas as camadas da pele (1 a 2 milímetros). Enxerto heterogeno: Enxerto que origina-se de animal de outra espécie. Enxerto homógeno: Enxerto que origina-se de outra pessoa. Enxerto: Lâmina fina de pele utilizada na reconstrução de defeitos de pele ou mucosa Epidemia: Aumento importante do nível de prevalência de uma determinada doença na população. Epífise: A extremidade de um osso é geralmente compreendida entre a cartilagem de conjugação e a cartilagem articular. Epilepsia: Síndrome caracterizada por crises transitórias e repetitivas de distúrbios neurológicos entre os quais sobressaem convulsões e alterações da consciência. Episiotomia: Incisão a nível do assoalho perineal, visando ampliar o canal do parto, facilitando o desprendimento fetal. Epistaxe: Sangramento pelo nariz Equimose: mancha escura, devida a hemorragia sob a pele e as mucosas. Eqüino: Deformidade do pé que impede o apoio sobre o calcâneo. Erosão subcondral: pequena falha no osso logo abaixo da cartilagem que o protege. Erro Médico: Ação ou omissão, em que se verificou negligência, imprudência ou imperícia de médico. Eructação: Eliminação de gases pela boca, popularmente denominado "arroto", tem como causa principal a aerofagia que é a deglutição de ar. Eructação: Expulsão ruidosa de ar, gases, ou ácido do estômago . Quando se come demasiada ou apressadamente, ou se fala muito durante a refeição há a tendência para engolir ar juntamente com os alimentos. Este ar é liberado pela eructação. Popularmente conhecido como arroto. Escápula: O mesmo que homoplata, apá, pá, paleta. Escara: Pele morta aderida ao corpo do doente queimado. Escoliose: Deformidade no plano latero-lateral da coluna, caráter permanente acompanhada pela rotação dos corpos vertebrais. Escoriação: Ferida superficial. Esofagectomia: Operação que retira parcial ou totalmente o esôfago. Esôfago: Tubo muscular que interliga a faringe ao estômago Esofagocoloplastia: Operação que transpõe o colon, que substitui o esôfago para levar os alimentos ao estômago. Espícula óssea: pequeno aumento ósseo decorrente da degeneração da cartilagem que protege o osso. Espirometria: obtenção de volumes, capacidades e fluxos pulmonares através de um espirômetro. Esplenectomia: Retirada parcial ou total do baço. Espondilite: inflamação das vértebras e dos tecidos ao seu redor. Espondilólise: fratura da vértebra. Espondilolistese: escorregamento da vértebra, alterando o alinhamento com as vértebras vizinhas. Esporão: pequeno crescimento ósseo. Esquistossomose hepatesplênica: Doença hepática crônica, endêmica no Brasil, causada pela obturação de ramos venosos do sistema porta intra-hepático por ovos do Schistosoma mansoni, que condicionam a formação de fibrose peri-portal e hipertensão portal. Esquizofrenia: o termo esquizofrenia (esquizo = cisão, frenia = mente) foi introduzido em 1911 pelo psiquiatra suíço Eugen Bleuler para definir uma doença psíquica caracterizada, basicamente, pela "cisão do pensamento, do afeto, da vontade e do sentimento subjetivo da personalidade". Os sintomas da esquizofrenia são classificados em sintomas produtivos e sintomas negativos. Os sintomas produtivos mais característicos são o delírio e as alucinações. Entende-se por delírio um juízo falso e irredutível da realidade, como por exemplo um delírio de perseguição (delírio paranóide), no qual o paciente sente-se perseguido e ameaçado por outras pessoas, interpretando fatos da vida quotidiana como provas cabais de sua perseguição. Alucinações são percepções sem estímulo externo, como por exemplo ver ou ouvir coisas não presentes. Na esquizofrenia as alucinações auditivas são as mais freqüentes: o paciente escuta vozes de pessoas ausentes, comentando sobre seu comportamento ou dando-lhe ordens imperativas, às quais ele não consegue resistir. O paciente passa a sentir-se influenciado por outros, perde o controle de sua própria vontade, sente-se controlado por telepatia, por hipnose, "como um robô". Pode também interpretar delirantemente estímulos reais, como por exemplo achar que uma determinada notícia na televisão ou no rádio refere-se à sua pessoa. Os sintomas negativos caracterizam-se, principalmente, por uma diminuição da ressonância afetiva e por um empobrecimento do conteúdo do pensamento. Na população geral, o risco de um indivíduo de adoecer de uma esquizofrenia durante a vida é de 1%, a prevalência da doença (freqüência em determinado ponto no tempo) é de 0,5% e a incidência é de 30 novos adoecimentos em cada 100.000 habitantes por ano. A idade média de início da esquizofrenia é de 20 a 25 anos nos homens e de 25 a 30 anos nas mulheres. Os sintomas iniciais são uma irritabilidade generalizada, um estreitamento dos interesses, morosidade, indecisão, isolamento social e descuido do aspecto pessoal. De uma maneira geral, sabe-se que após o primeiro surto esquizofrênico 1/3 dos pacientes nunca mais adoece, 1/3 volta a ter outros surtos com intervalos sadios, e apenas 1/3 tem um curso desfavorável, desenvolvendo uma sintomatologia residual (comportamento excêntrico, diminuição do afeto e da vontade, autismo com perda de contato com o mundo circundante). Diversos estudos mostram que 50% dos esquizofrênicos são hospitalizados apenas uma vez, e que em 60% dos casos, com um tratamento adequado, consegue-se uma reintegração social e profissional satisfatória. Mesmo nos casos de curso desfavorável, a gravidade dos sintomas evolui dentro dos primeiros 5 anos da doença, não havendo piora após este intervalo. Com isto, sabe-se hoje que o prognóstico da esquizofrenia não é tão catastrófico como se acreditava há algumas décadas. As causas da esquizofrenia ainda não foram totalmente elucidadas. Supomos tratar-se não de uma doença única, mas de uma síndrome com diferentes etiologias. Sabe-se que um fator genético tem um papel importante, visto que em gêmeos monozigóticos, quando um sofre da esquizofrenia, o outro terá um risco de 50% de adoecer, comparado com 1% na população geral. Entretanto, o fato de que o risco de concordância para a doença nestes indivíduos geneticamente idênticos ser bem abaixo dos 100% prova que outros fatores, não genéticos, também tem que estar operantes. Um número grande de estudos mostra que a esquizofrenia esta associada com uma disfunção cerebral, principalmente do lobo frontal. Como esta disfunção já está presente em pacientes jovens, no primeiro surto da doença, supomos que ela não seja conseqüência da psicose em si ou de seu tratamento, mas sim que resulte de um distúrbio na maturação do cérebro durante a infância e a adolescência. Assim, fatores metabólicos ou ambientais que influenciem este processo de maturação poderiam contribuir facilitando ou protegendo o desencadeamento da doença. Concluindo, sabemos que a esquizofrenia é uma doença universal, ocorrendo em todos os povos e culturas com incidência semelhante. Aqui, as mulheres parecem ter uma vantagem sobre os homens, visto que elas apresentam um adoecimento mais tardio e um curso mais favorável. Diversos experimentos sugerem que os hormônios sexuais femininos (estrógenos) poderiam contribuir para esta vantagem. O desenvolvimento recente de novos medicamentos antipsicóticos mais eficazes e com menos efeitos colaterais, adicionados à introdução de novas estratégias de reabilitação, causaram um grande impacto no tratamento e no prognóstico da esquizofrenia, permitindo um tempo de hospitalização mais curto e beneficiando uma maior reintegração social e profissional de nossos pacientes. (W. F. GATTAZ) Estadiamento: Avaliação clínica do grau de progressão do tumor. Estadiamento: Estudo clínico para saber o tamanho e a agressividade do tumor Estado Nutricional: Condição do corpo resultante da utilização dos nutrientes disponíveis. Estase: Deficiência de drenagem do sangue de um determinado segmento do corpo. Estatura Normal: Quando o percentil da estatura localiza-se entre 2,5 e 97,5. Estenose: Estreitamento congênito ou adquirido de uma estrutura oca. Ex: estenose de esôfago, estenose de traquéia etc... Estirão: Predomínio relativo da estatura sobre o peso; aspecto de criança espigada. Estrabismo: Desvio de um olho. Esvaziamento Cervical: Retirada dos linfonodos cervicais e outras estruturas que podem ou estão acometidos por câncer Ética Médica: Aplicação de conceitos, questionamentos e codificação éticas ao exercício profissional do médico. Etiologia: É a causa das doenças. Eutrofia: Estado nutricional adequado. Evacuação: Ato de eliminar as fezes. Exame de Congelação (Ou Intra-Operatório): Trata-se de procedimento diagnóstico anátomo-patológico rápido, realizado durante o ato cirúrgico e em que é utilizado o micrótomo de congelação. Permite, além do diagnóstico durante a cirurgia da patologia do paciente, avaliar o grau de invasão do tumores pelo exame das margens cirúrgicas, linfonodos etc, orientando o cirurgião no sentido da maior ou menor extensão do ato cirúrgico. Exame Genital: Exame dos órgãos genitais para fins de instrução de processo legal. Exame Macroscópio: Exame a olho nú de peça cirúrgica, biópsia ou de órgãos obtidos durante a necropsia. Inclui a medida o peso e descrição detalhada dos órgãos, biópsia e peça cirúrgica. É a partir deste exame que o patologista escolhe as áreas a serem examinadas à microscopia. Dado o seu tamanho pequeno as biópsias são geralmente incluídas para exame "in totum". Excisão: Igual a ressecção ( anglicismo). Exoftalmo: Projeção do olho para frente. Exsanguineo Transfusão: Método terapêutico para icterícias e anemias graves consistindo na troca lenta e sucessiva de pequenas frações do sangue do recém nascido por sangue compatível até se totalizar cerca de duas vezes o volume de sangue da criança. FAN: Fator Anti Nuclear – auto-anticorpo dirigido contra constituintes do núcleo das células. Ferimento: Lesão corporal causada por trauma com solução de continuidade. Fibras: Substâncias presentes em frutas, legumes, verduras e farelos de cereais que não são digeridas pelo tubo digestivo auxiliando na formação de fezes de consistência normal. Fibrilação ventricular: Tipo de parada cardiocirculatória manifesta por movimento de grupo de fibras cardíacas que se contraem desordenadamente sem eficiência e sem ritmo, dando o aspecto de ondas rápidas que percorrem o miocárdio entrecolocando-se. Fibromaou Mioma: Tumor benigno do útero. Fibrose cística ou mucoviscidose: doença de origem genética caracterizada por bronquiectasias e insuficiência pancreática exócrina. Fíbula: O mesmo que perôneo (perna). Fígado: Maior víscera do organismo, única, situada no abdome superior direito, responsável por inúmeras funções metabólicas. Fimose: É a condição na qual é impossível arregaçar o prepúcio (pele que recobre a extremidade do pênis) sobre a glande, exteriorizando-a. A necessidade de correção cirúrgica (postectomia) deve ser avaliada pelo médico, pois em crianças a fimose pode desaparecer com o crescimento. Fimose: Impossibilidade de exteriorização da glande peniana devido a anel prepucial estreitado. A cirurgia corretiva chama-se postectomia. Fissurectomia: Operação para tratamento da fissura anal. Fístula: Trajeto comunicando normalmente duas cavidades ou uma cavidade com o meio externo Fistulectomia: Operação para tratamento de fístula anal. Fixação: Procedimento através do qual o tecido é colocado em contato com substâncias químicas que preservam sua estrutura, evitando sua autólise. Existem muitos fixadores mas o mais comum é formol a 10%. Os fixadores alcoólicos são também de uso corrente. O fixador líquido deve ser empregado em volume 10 vezes superior ao do material a ser fixado. Flatulência: Acúmulo de gases intra-abdominais, freqüentemente acompanhada de sensação de distensão do abdomem. Flebite: Inflamação em uma veia. Flebografia: Radiografia das veias pela injeção de meio de contraste. Flebotomia: Dissecção venosa para colocação de cateter e administração de soro, sangue, nutrição parenteral. Fobias: são medos persistentes e irracionais de um objeto específico, atividade, ou situação considerados sem perigo, que resulta em necessidade incontrolável de evitar este estímulo. Se isto não é possível, o confronto é precedido por ansiedade antecipatória e realizado com grande sofrimento e comprometimento do desempenho. Podem ser classificadas em: Agorafobia designa medo e esquiva de diversas situações: sair ou ficar desacompanhado, entrar em lojas, mercados, ou lugares públicos abertos ou fechados, transporte coletivo, elevador, carros, andar em vias expressas e congestionamentos. Nos casos mais graves, o paciente não consegue sair de casa, ou só pode fazê-lo acompanhado, até certa distância, com grande comprometimento de sua vida pessoal e familiar. Uma avaliação mais fina mostra que ele não teme as situações, mas tem medo de nelas sentir sensações corporais de ansiedade ou crises de pânico. Este “medo do medo” é a característica fundamental da agorafobia. Denomina-se Síndrome do Pânico ao conjunto de manifestações englobadas pelos conceitos de transtorno de pânico e agorafobia. Fobia social é o medo excessivo e o evitar situações onde a pessoa possa ser observada ou avaliada pelos outros, pelo temor de se comportar de modo embaraçoso ou humilhante. Se é impossível evitar a situação, ele apresenta ansiedade patológica, podendo chegar a um ataque de pânico. As situações mais comumente descritas são: participar de festas ou reuniões, ser apresentado a alguém, iniciar ou manter conversas, falar com pessoas em posição de autoridade, receber visitas em casa, ser observado durante alguma atividade (comer, beber, falar, escrever, votar, usar o telefone), ser objeto de brincadeiras ou gozação e usar banheiro público. Outros temores são o de poder vir a vomitar, tremer, suar ou enrubescer na frente de outros. As queixas somáticas são as mesmas, mas predominam o enrubescer, o suor e o tremor. Algumas pessoas que evitam contacto social apresentam na verdade dismorfofobia. Nesta síndrome há queixa persistente de um defeito corporal específico, que não é notado por outros. Os portadores escondem-se atrás de roupas, óculos escuros e outros artifícios. As queixas mais comuns são problemas na face (cicatrizes, pintas, pelos), deformidades, defeitos no pênis ou seios, odores nas axilas, nos genitais ou no ânus e mau hálito. Ela adquire às vezes a dimensão de um delírio ou pode fazer parte da constelação de sintomas da esquizofrenia ou outras psicoses. Com muita freqüência procuram cirurgiões plásticos e dermatologistas. Fobias específicas caracterizam-se por comportamentos de esquiva em relação a estímulos e situações determinados, como certos animais, altura, trovão, escuridão, avião, espaços fechados, alimentos, tratamento dentário, visão de sangue ou ferimentos, etc. As fobias a seguir são as mais importantes para o clínico: a. Fobias de animais: Envolvem geralmente aves, insetos (besouros, abelhas, aranhas), cobras, gatos ou cachorros. b. Fobias de sangue e ferimentos: Algum desconforto à visão de sangue, ferimentos ou grandes deformidades físicas é normal. Quando chega a níveis fóbicos, o paciente apresenta prejuízos pessoais e sofrimento importantes. Recusam procedimentos médicos e odontológicos, não conseguem fazer exames subsidiários. Abandonam carreiras, como medicina ou enfermagem, ou evitam a gravidez com medo dos procedimentos associados ao parto. Essa fobia apresenta características próprias: tendência a perder a consciência diante do estímulo fóbico, caráter familiar; e a não predominância em mulheres. Em relação à perda de consciência, esses pacientes apresentam uma resposta bifásica de freqüência cardíaca e pressão arterial (PA), caracterizada por uma fase inicial com aumento de freqüência cardíaca e pressão arterial, seguida por queda importante de pulso e pressão, acompanhada de sudorese, palidez, náuseas e, freqüentemente, síncope. Mais raramente pode haver até períodos de assistolia e convulsões. c. Fobias de doenças: A hipocondria, caracterizada por uma percepção ameaçadora de doença física, é um quadro relativamente comum e heterogêneo. Quando o temor de doenças refere-se a múltiplos sistemas orgânicos, falamos em hipocondria e, se é mais específico, em fobia de doença. Muitos pacientes com essa fobia apresentam comportamentos de esquiva em relação a reportagens, conversas, hospitais ou qualquer outra situação que o confronte com a doença temida. As doenças mais classicamente temidas são as estigmatizadas pela sociedade, como a sífilis, câncer ou a AIDS. O tratamento das fobias é feito através de técnicas de exposição. Através delas ocorre diminuição dos sintomas ansiosos e habituação a situação fóbica. Os três segredos dos exercícios de Exposição: Estabelecer um objetívo prático e importante; Permanecer na situação até o medo passar ou diminuir muito de intensidade; Repetir o exercício sistematicamente. Neurose: a palavra neurose foi criada pelo médico escocês Wiliam Cullen no fim do século 18, para designar distúrbios das sensações e movimentação corporal, sem uma lesão anatômica correspondente na rede nervosa. No início do século 20 o termo popularizou-se graças à difusão das idéias de Freud e da Psicanálise, significando conjuntos de sintomas resultantes principalmente de conflitos psicológicos e recalques inconscientes. Este conceito prevaleceu na Psiquiatria até a década de 60, em que os transtornos mentais eram distribuídos em dois grandes grupos: psicoses e neuroses. Às psicoses, consideradas doenças mentais mais graves, atribuíam-se causas orgânicas ou funcionais; as neuroses, tidas como menos graves, teriam origem nos conflitos emocionais e traumas psicológicos. As pesquisas das últimas décadas mostraram que esta distinção não se sustenta; nas neuroses, embora os eventos vitais tenham capital importância, mecanismos químicos de neurotransmissão participam, também, da produção e manutenção dos sintomas, e os fatores genéticos são igualmente significativos. Considera-se que, nas neuroses, a autodeterminação e capacidade de discernimento não são afetadas seriamente. Em muitos casos, o tratamento apenas psicológico não é suficiente, sendo necessário o suporte medicamentoso, até para possibilitar maior aproveitamento da psicoterapia e conforto do paciente ao longo da resolução de seus conflitos. Na atual classificação oficial de doenças (C.I.D. – 10), são registrados os seguintes transtornos neuróticos: fóbico-ansiosos, transtornos de ansiedade, obssessivo-compulsivo, reações de estresse e transtornos de ajustamento, transtornos dissociativos, somatoformes e outros, onde se incluem neurastenia e despersonalização. Cada um desses quadros apresenta subdivisões e formas com sintomas diferentes, que só o psiquiatra pode distinguir e tratar adequadamente (Z.B.A. RAMADAM). Fome: Ao contrário de apetite, é a necessidade física de alimento. Fotossensibilidade: excessiva sensibilidade da pele à exposição solar. Fototerapia: Exposição do recém nascido despido à luz fluorescente branca ou azul, visando redução da taxa de bilirrubina no sangue. Fratura Exposta: Fratura grave com exposição ósseo. Fratura: Perda da continuidade ósseo por trauma. Frutose: Tipo de açúcar encontrado no mel e nas frutas. Fulguração intracardíaca: Procedimento realizado com a utilização de cateteres intracardíacos que emitem impulsos elétricos potentes capazes de eliminar áreas de tecido cardíaco considerados prejudiciais ao desempenho do ritmo cardíaco e que geralmente ocasionam arritmias cardíacas. Fulguração: 1) Perturbação produzida no organismo vivo por descarga elétrica, principalmente o raio. 2) A destruição dos tecidos animais por faíscas elétricas de alta freqüência e alta tensão, controladas por um elétrodo móvel. Fungos: Microrganismos causadores das micoses superficiais e profundas. Gangrena: Degeneração por necrose da extremidade de um membro. Gastrectomia: Operação que retira parcial ou totalmente o estômago. Gastrectomia: Retirada total ou parcial do estômago. Gastrite: Processo inflamatório da mucosa do estômago que pode se acompanhar de dor na região epigástrica. O diagnóstico só pode ser feito através da realização de endoscopia digestiva alta. Gastrostomia: Exterização do estômago para diversas finalidades, quando há impossibilidade ou perigo de usar a via normal. Gastrostomia: Orifício ( abertura ) na região da barriga por onde se passa um tubo flexível ( sonda ) que alcança o estômago para alimentar uma pessoa que não pode ou não consegue se alimentar pela boca. Gastrostomia: Orifício comunicando o estômago com a pele, por onde os pacientes que não podem se alimentar pela boca podem receber alimentos Gestão de alto risco: É toda gravidez que traz alguma forma de risco para gestante e/ou para o feto. Giba: Proeminência dorsal da coluna. Glaucoma: Aumento da pressão no olho. Glomeruloesclerose focal e segmentar: Glomerulopatia primária, de causa desconhecida, caracterizada por esclerose ou hialinose de parte ou segmentos de alguns glomérulos (focal) localizados profundamente no córtex dos rins. Glomeruloesclerose intercapilar de Kimmelstiel-Wilson: Glomerulopatia grave, secundária, a Diabetes mellitus, que ocorre em 50% dos diabetes dependentes de insulina e em 10% dos não dependentes de insulina. Glomerulonefrite difusa aguda pós-estreptocócica: Glomerulopatia aguda, caracterizada clinicamente por hematúria, hipertensão arterial e edema, que se inicia cerca de 15 dias após uma infecção causada por algumas bactérias denominadas estreptococos. Glomerulonefrite endocapilar: Glomerulopatia caracterizada por proliferação de células no interior das alças dos capilares arteriolares que formam o glomérulo renal. Glomerulonefrite extracapilar: Glomerulopatia caracterizada por proliferação de células epiteliais parietais que ficam por fora dos capilares arteriolares que formam o tufo glomerular renal. Esta glomerulopatia também é conhecida por outros nomes como glomerulonefrite rapidamente progressiva. Glomerulonefrite membranoproliferativa: Também conhecida de mesângiocapilar ou mista, pois se caracteriza por proliferação celular e espessamento e desdobramento da membrana basal que envolve as alças dos capilares arteriolares que formam o tufo glomerular renal. Glomerulonefrite membranosa: Glomerulopatia caracterizada por espessamento e desdobramento da membrana basal que envolve as alças dos capilares arteriolares que formam o glomérulo. Nessa glomerulopatia não há proliferação celular. Glomerulonefrite rapidamente progressiva: Também conhecida por extracapilar, subaguda etc. Caracteriza-se por ter em 70% ou mais dos glomérulos renais uma proliferação das células epiteliais parietais que envolvem o tufo glomerular, comprimido-o e dificultando a filtração glomerular e respectiva formação de urina. Gordura ou Lipídio: Nutriente responsável pelo fornecimento de energia e de vitaminas ao organismo. Óleos, margarinas e banha são fontes de lipídio. Graves: Doença onde há hipertireoidismo Hábito Intestinal: Maneira de funcionamento do intestino, freqüência de evacuações, consistência das fezes. Halitose: Presença de odor desagradável na cavidade oral. Hallux: 1º dedo do pé. Hemácias dismórficas: No exame do sedimento urinário, depósito obtido da urina por centrifugação, as hemácias podem se apresentar como ausentes, normais ou deformadas (dismórficas). Acredita-se que as hemácias dismórficas são aquelas que tiveram de atravessar uma membrana, por diapedese, para atingirem a urina. Hemangioma: Tumor com origem em vasos sangüíneos Hematêmese: Presença de sangue eliminado através dos vômitos, podendo ser causada por ruptura de varizes do esôfago ou lesões gástricas como úlceras ou gastrites. Hematoma: Coleção de sangue e coágulos em alguma cavidade Hematoma: Coleção de sangue extravasado. Hematuria: Coloração vermelha da urina por sangramento. Hematuria: Este termo significa urina contendo sangue. Ocorre em grande número de doenças dos rins e das vias urinárias, como infecções, cálculos e tumores. O tratamento depende de um diagnóstico preciso da causa de hematúria. Hemiparesia: Paralisia parcial dos músculos de uma metade do corpo (emprega-se o sufixo plegia quando a paralisia é total). Hemiplegia: Paralisia de uma lado do corpo. Hemofilia: Doença hereditária devido a falta de fator de coagulação. Hemoperitôneo: Presença de sangue na cavidade peritoneal. Hemorragia: Extravasamento de sangue. Hemorróidas: Presença de dilatações dos vasos sangüíneos da região peri-anal que pode se acompanhar de prurido (coceira) e/ou enterorragia. Hemorroidectomia: Operação para retirada de hemorróides. Hemóstase: 1)A detenção de uma hemorragia. 2) A detenção de um fluxo sangüíneo num vaso, órgão ou parte. Forma paralela: hemostasia. Hemostasia: Controle de hemorragia. Hemostasia: Mecanismo responsável pela manutenção do equilíbrio enre os fenômenos de formação e de lesão do coágulo sangüíneo. Hemotorax: Presença de sangue na cavidade pleural. Hepatectomia: Operação que retira parte do fígado. Hepatite: Inflamação aguda ou crônica do fígado que pode ser causada por diversos agentes como vírus, álcool e medicamentos; pode ou não estar acompanhada de icterícia. Hepatite: Processo inflamatório/ infeccioso do fígado, agudo ou crônico, causado freqüentemente por agentes virais (vírus A, B, não A, não B, entre outros). Hepatócito: Célula hepática, unidade morfofuncional do fígado que desempenha inúmeras funções no metabolismo de carbohidratos, gorduras e proteínas. Hepatoma: Sensu lato: todo tumor primitivo do fígado. Sensu strictu: hepatocarcinoma, carcinoma, de células hepáticas, tumor primário maligno mais comum. Hérnia: Protusão da parede abdominal. As mais comuns são: inguinal (na virilha) geralmente de origem congênita e a umbilical. Herpes Simples: Dermatovirose de quadro clínico variável, desde benigno até grave, causada por herpesvirus hominus tipo I e II. Hidrartrose: Coleção líquida intra-articular. Hidratação: Introdução de água no organismo. Hidrocele: Acúmulo de líquido na bolsa escrotal. Higroma: Tumor com origem em tecido linfático, presente desde o nascimento, também conhecido como linfangioma Hiper: Prefixo de origem grega que significa acima e indicando um excesso, um aumento ou uma posição superior Ex: Dieta hipercalórica ( com maior quantidade de calorias ). Hiperplasia Benigna da Prostata: É o aumento da glândula prostática, de natureza benigna, que ocorre nos homens após os 40 anos de idade. Pode causar obstrução e infecção do trato urinário. Deve ser diferenciado do adenocarinoma de próstata, tumor maligno, porém possível de cura quando diagnosticado precocemente. Hiperplasia: Desenvolvimento deficiente de um órgão. Hipertensão arterial acelerada ou maligna: Caracterizada por pressão arterial diastólica ou mínima em geral superior a 120 mmHg, presença de exudatos, hemorragias e/ou edema de papila, freqüentemente, no exame de fundo de olho e uma insuficiência renal aceleradamente progressiva, que conduz o paciente à morte em até 2 anos após o início do quadro, a menos que o paciente faleça antes de um acidente vascular cardíaco ou cerebral, ou seja, tratado precoce e convenientemente. Inicialmente o termo "acelerada" foi usado como sinônimo, em substituição ao termo maligna, para evitar confusão com processos tumorais malignos. Nos últimos anos alguns autores chamam hipertensão arterial acelerada aquela que se acompanha de exudatos e hemorragias ao exame de fundo de olho, reservando o nome hipertensão arterial maligna para os casos onde além de exudatos e hemorragias encontra-se edema de papila ao exame da retina através de um oftalmoscópio. Hipertensão arterial maligna: Ver hipertensão arterial acelerada ou maligna. Hipertensão arterial sistólica dominante: É a condição onde as duas pressões, sistólica e diastólica, estão aumentadas com aumento predominante da pressão sistólica. Ocorre em várias condições, especialmente com a idade avançada. Hipertensão arterial sistólica pura ou isolada: Nesta forma de hipertensão apenas a pressão arterial sistólica ou máxima encontra-se aumentada, permanecendo a pressão diastólica ou mínima normal ou até diminuída. A incidência de hipertensão arterial sistólica aumenta com a idade mas esta não é a única causa conhecida de hipertensão sistólica, embora seja a mais comum. Hipertensão portal: Síndrome caracterizada por aumento dos níveis pressóricos do sistema porta hepático, com conseqüente desvio do sangue portal para fora do fígado. A principal tradução anatômica desse desvio é representada pelo aparecimento das varizes esofágicas. Hipertensão pulmonar: pressão aumentada na circulação pulmonar ocasionada por diversa doenças. Hipertensão Renovascular: A hipertensão arterial tem como uma das possíveis causas a estenose das artérias renais ou de seus ramos, situação este denominada hipertensão renovascular. O tratamento cirúrgico pode permitir a cura, evitando-se as complicações da hipertensão arterial e o uso de medicamentos por toda a vida. Hipertireoidismo: Quando a glândula tireóide funciona mais do que o normal Hipo: Prefixo de origem grega significando abaixo e indicando insuficiência, diminuição ou posição inferior. Ex: Dieta hipoproteíca ( com menor quantidade de proteína ). Hipostadia: É um defeito congênito no pênis, onde o meato (abertura) uretal pode estar localizado em qualquer ponto ao longo da haste peniana ou no períneo. A correção é sempre cirúrgica podendo ser necessária mais de 1 intervenção para obtenção de bom resultado. Hipotireoidismo: Quando a glândula tireóide funciona menos do que o normal Histerectomia: Operação para retirada do útero. Homeorrese: Capacidade de manter o canal de crescimento. Icterícia: Coloração amarelada das escleróticas e/ou pele, decorrente da impregnação de pigmentos biliares. Decorre de doenças do fígado ou de obstruções das vias biliares. Icterícia: Coloração amarelada de pele e mucosas por impregnação com bilirrubina. Icterícia: Coloração amarelada que adquirem a pele e mucosas devido ao aumento nas taxas sangüíneas das bilirrubinas. Idade óssea: Índice de desenvolvimento do esqueleto; informa sobre o tempo disponível para crescer. Identificação Médico-Legal: Identificação de pessoas ou de seus restos pela utilização de técnicas médico-legais. Ileostomia: Exteriorização do íleo para o desvio do trânsito intestinal. Imagenologia ou diagnóstico por imagem: Conjunto de métodos que usa imagem como meio de diagnóstico (radiodiagnóstico, medicina nuclear ultrassonografia, tomografia computadorizada ressonância magnética etc.). IMC = Peso dividido pela Altura2 Impetigo: Doença infecciosa de pele causada por bactérias, contagiosa e que pode instalar-se sobre afecções cutâneas pré existentes, como eczemas. Implante de marcapasso cardíaco: Colocação sob a pele, de um aparelho eletrônico, denominado marcapasso, composto de um circuito eletrônico gerador de impulsos elétricos que são levados até o coração por eletrodos fixado no miocárdio que provocam contrações regulares do coração quando ele está acometido de bloqueio atrioventricular ou com alterações de seu ritmo de batimentos. Implante de marcapasso: Procedimento cirúrgico que consiste na implantação de um gerador de pulso elétricos conectado a um eletrodo, colocado na cavidade cardíaca com a finalidade de regular a freqüência cardíaca, evitando síncopes e arritmias cardíacas. Imunização Ativa: Procedimento que visa proteger o indivíduo contra uma determinada doença através da administração de vacinas. Imunização Passiva: Procedimento que visa proteger o indivíduo contra uma determinada doença através da administração de anticorpos (imunoglobulinas). Imunocitoquímica: Métodos que permitem a reação de antígeno existente no tecido examinado com anticorpos que são colocados em contato com os mesmos e que, através de sua especificidade, são capazes de sua revelação e de sua localização. Os anticorpos podem ser mono ou policlonais, isto é, ter origem de uma única linhagem de produtores de anticorpos ou de múltiplas linhagens. Para a visualização da reação antígeno-anticorpo pode-se usar fluoresceinas, complexo avidina-biotina (ABC), peroxidase-anti-peroxidase etc. Estes "reveladores" podem estar associados ou não ao anticorpo e podem precisar ou não de um novo procedimento com algum corante específico para serem vistos. Índice De Massa Corporal - (IMC): é a relação do peso ( em quilogramas ) sobre a altura ( em metros ) ao quadrado que classifica o estado nutricional. Indução do parto: Início artificial do Trabalho de Parto. Infarto do miocárdio: Lesão do músculo cardíaco decorrente da falta de aporte de oxigênio por obstrução da artéria que o irriga por placa de aterosclerose. Infecção do trato urinário: Conceituada arbitrariamente como sinônimo de cultura de urina quantitativa positiva, ou seja, na qual há crescimento de 100.000 ou mais colônias de bactérias por ml de urina. Infectado: paciente que teve contato com um microrganismo, por exemplo um vírus, mas não apresenta sintomas da doença causada por esse bioagente. Inflamação: É o conjunto de alterações que ocorrem em seqüência cronológica com a finalidade de restringir e posteriormente eliminar agente agressor nocivo ao organismo. De acordo com o tempo e as características do exsudato são divididos em agudos e crônicos. Ingestão Hídrica: Quantidade de líquidos ingeridos num determinado período de tempo. Inserção baixa da placenta ou placenta prévia: Caracterizam-se pela implantação anormal da placenta ( no segmento inferior do útero) ou à frente da apresentação. Instilação: Administração de líquido gota a gota. Insuficiência renal aguda: Síndrome clínica de etiologia variada que se caracteriza por deterioração aguda da função renal, acompanhada, quase sempre de oligúria (volume urinário inferior a 400ml em 24 horas) ou anúria (volume urinário inferior a 100ml em 24 horas). Insuficiência renal crônica: É a fase de função renal em que o rim se mostra incapaz de manter íntegra a homeostasia do organismo. Insuficiência respiratória crônica agudizada: pacientes portadores de insuficiência respiratória crônica com quadro agudo de descompensação. Insuficiência respiratória: incapacidade do sistema respiratório em manter a oxigenação e ou a ventilação. Investigação de Paternidade: Pesquisa do vínculo genético pai-filho, que se realiza prevalentemente através de provas sangüíneas. Iodo: Produto essencial para produção do hormônio tireoidiano Isquemia: Deficiência de chegada de sangue a um determinado segmento do corpo. Jejum: Estado de uma pessoa que não pode consumir alimento ou água ou qualquer bebida, por um determinado tempo. Jejunostomia: Orifício ( abertura ) na região da barriga por onde se passa um tubo flexível ( sonda ) que alcança uma parte do intestino para alimentar uma pessoa que não pode ou não consegue se alimentar pela boca. Kernicterus: Impregnação por bilirrubina do encéfalo, com graves conseqüências neurológicas. Ileo: Parada na movimentação intestinal. Lagoftalmo: Fechamento incompleto das pálpebras. Lâmina: Chapa de vidro plano onde são colocados os cortes histológicos obtidos depois do corte em micrótomo. Os fragmentos são coroados através da impregnação com reagentes especiais e recobertos para proteção com pequeno fragmento fino de vidro (lamínula). Laparoscopia: Exame sob anestesia que consiste em introduzir aparelho ótico através de orifício na parede abdominal, para inspecionar a pelve. Laparotomia: Abertura da cavidade abdominal. Laparotomia: Operação que consiste na abertura do abdome. Laqueadura Tubária: Operação para ligar as trompas e impedir nova gravidez. Laringe: Aparelho responsável pela produção da voz, localizado na região do "pomo de Adão" Laringectomia: Ccirurgia onde se retira a laringe quando está acometida por câncer Laringoscopia: Exame onde se vê a laringe por meio de um espelho ou por fibras ópticas Lepra / Mal de Hansen ou Hanseníase: Moléstia infecciosa crônica, caracterizada por lesões cutâneas e hipoestésicas ou anestésicas. LER: Lesão por Esforços Repetitivos. Leucemias: Câncer do Sangue. Leucoma: Opacificação da córnea. Leucopenia: Diminuição do número de glóbulos brancos no sangue. Ligadura: 1) Fio, arame ou outro meio para ligar um vaso, fixar ou estrangular uma parte. 2) Ato ou operação de ligar. Ligamento: Tecido especializado em estabilizar uma articulação. Linfangioma: Tumor com origem em tecido linfático, presente desde o nascimento, também conhecido como higroma Linfoma: Câncer do gânglios Linfonodo: Gânglio ou "íngua" Lipoma: Tumor com origem em tecido gorduroso Líquido Amniótico: Líquido produzido pelo feto e anexos, de renovação contínua. Líquido Cefalorraqueano: Líquido que preenche as cavidades internas e os espaços ao redor do sistema nervoso central; liquor. Litiase Urinária: Este termo se refere a presença de cálculos nos rins e vias urinárias. O sintoma mais comum é a cólica renal, podendo no entanto ocorrer hematúria, infecção urinária ou obstrução severa das vias urinárias. O tratamento pode ser clínico ou cirúrgico, baseado na composição química de cálculo (oxalato de cálcio, ácido úrico, fosfato amoníaco-magnésiano), no seu tamanho, localização na via urinária e complicações, eventuais decorrentes do mesmo. Lombalgia: dor na região lombar (parte baixa das costas). Lombalgia: Sintoma doloroso na região lombar. "Dor nas costas". Lordose: Curvatura da coluna de convexidade anterior. Lumbargo: O mesmo que lombalgia. Luxação: Perda do afrontamento articular. Luz (de um vaso): Espaço no interior de um vaso, onde corre o sangue. Macronutrientes: São nutrientes necessários ao organismo em maiores quantidades. Exemplos de macronutrientes, são os carboidratos, proteínas e lipídios. A unidade de medida é o grama ( g ) Mal asmático: crise de asma refratária a administração de medicação habitual e de reversão mais lenta. Mamografia: Radiografia simples das mamas. Marasmo: Desnutrição com emagrecimento acentuado. Mecônio: Substância viscosa de cor verde acastanhada que enche os intestinos do feto e é eliminada nos primeiros dias de vida. Medicina do Trabalho: Área de atuação médica, integrada com outras ciências da saúde, que visa à preservação da saúde do trabalhador, com aspectos preventivos, curativos e de reabilitação e readaptação profissional. Medicina Legal: Ramo da Medicina que oferece subsídios para a elaboração ou aplicação de Leis. O conhecimento médico-biológico é necessário para a elaboração de normas, códigos e regulamentos, como é o caso do conceito de aborto, de "loucura" ou de morte. Ele também é utilizado para a instrução de processos judiciais e de inquéritos policiais, sendo externado através dos laudos médico-periciais. Medicina Nuclear: Uso de isótopos radiotativos para diagnóstico através da imagem (cintilografia ou mapeamento) ou técnicas de laboratório radioimunensaio. Medicina Social: Ramo da Medicina que visa a solução de problemas sociais. Medula Espinal: Parte do sistema nervoso central contida no canal vertebral. Megacolo: Dilatação do colo causada por obstáculo ao trânsito intestinal. Na criança é comum a causa congênita por alteração da nervação intestinal. Melanoma: Câncer de pele e de mucosa, geralmente escurecido Melena: Eliminação de fezes de cor negra que indica presença de sangue digerido no conteúdo fecal. Nesta condição as fezes adquirem consistência pastosa e odor bastante fétido. Membrana basal do glomérulo: A membrana basal do glomérulo é dividida em duas partes, visceral e parietal, cada uma continuando-se na outra. O folheto parietal faz parte da cápsula que envolve o glomérulo e o folheto visceral envolve a periferia de cada capilar arteriolar glomerular, exceto na sua face mesangial. Membrana basal dos túbulos: É a continuação do folheto parietal da membrana basal glomerular renal e envolve totalmente os túbulos renais. Membranas Hialinas, Doença de: O mesmo que síndrome de angustia respiratória idiopática (SARI); doença das primeiras horas de vida de pequenos prematuros traduzida por intensa dificuldade respiratória com retrações da caixa torácica, e na qual alvéolos pulmonares e bronquíolos terminais se apresentam revestidos por membranas hrialinas. Meningite: Inflamação das membranas que envolvem o sistema nervoso central. Menisco: Tecido cartilaginoso localizado no interior do joelho Menopausa: Época da última menstruação ou período que antecede ou sucede a última menstruação. Metabolismo Basal: Quantidade mínima de energia que o corpo gasta em repouso e estado de jejum ( para manter a temperatura corpórea, respiração, transpiração, circulação ). Metabolismo dos Alimentos: Conjunto de modificações químicas necessárias para a produção de energia Metástase hepática: Tumor maligno localizado no fígado, mas primitivo de outro órgão. Metástase: Processo de disseminação das células cancerosas pelo organismo. Metástase: Quando existe tumor em outra localização diferente do local do tumor primário Método não invasivo: Recurso para diagnóstico ou tratamento que não implica em contato com sangue. Mialgia: dor muscular. Microcirurgia: Intervenção cirúrgica praticada com o auxílio do microscópio sobre uma estrutura viva muito pequena, por vezes sobre uma célula. Ex: Microcirurgia do ouvido ou da laringe. Sinônimo: Microdissecção. Micromelia: Membros curtos. Pode ser: rizomélica, mesomélica e acromélica. Micronutrientes: Nutrientes necessários ao organismo em pequena quantidade Exemplos de micronutrientes são: Vitaminas e sais minerais. A unidade de medida é miligrama ou micrograma. Micrótomo e Ultra-Micrótomo: Aparelhos para cortes de tecido emblocados em parafina ou plástico, dotados de suporte onde o bloco é fixado, com avanço automático regulável para a micragem desejada. O corte é feito com navalhas especiais. O mais usado na rotina de cortes de parafina é o micrótomo rotativo do tipo Minot. Mielite: Inflamação da medula espinal. Mieloma Múltiplo: Câncer dos ossos. Miopatia: Afecção do sistema muscular, especialmente as hereditárias. Miopatia: doença muscular. Miosite: inflamação dos músculos. Monoplagia: Paralisia de um membro. Mutações: Alteração na anatomia molecular dos genes que levam à alteração de sua função. Narcose: Sono artificial: estado de estupor e inconsciência provocado por um narcótico. Nasoangiofibroma: Tumor benigno de nasofaringe, mais freqüente em jovens do sexo masculino Necrópsias ou Autópsias: Exame macro e microscópio do cadáver. A autópsia é dita "médica" quando não há suspeita de morte violenta. Nesta última situação (morte violenta ou criminosa) a autópsia é médico-legal e dever ser realizada no Instituto Médico Legal. A autópsia "médica" é realizada por patologista e a médico legal por médico legista. Necrose cortical aguda: Quadro clínico caracterizado por diminuição rápida da diurese até parada completa ou quase completa da eliminação da urina. Quando a necrose é difusa de todo córtex dos rins, conduz a uma uremia irreversível e morte. Necrose papilar ou papilite necrosante: Também chamada erroneamente de papilite necrotizante é um quadro clínico agudo e geralmente dramático caracterizado por febre alta, dor em cólica, oligúria e uremia e necrose de uma ou mais papilas renais. Necrose tubular aguda: Principal causa de insuficiência renal aguda (ver insuficiência renal aguda), caracterizada por necrose das células tubulares renais, especialmente do túbulo proximal. Necrose: Morte das células por deficiência da circulação sangüínea. Nefrite intersticial: Síndrome clínica caracterizada por inflamação do interstício renal, por diferentes causas, levando em geral à diminuição ou perda das funções tubulares renais. Pode ser aguda ou crônica. Nefrose lipoídica pura: Glomerulopatia caracterizada por síndrome nefrótica e glomérulos praticamente normais à microscopia ótica. Esta glomerulopatia é mais conhecida atualmente como doença glomerular por alterações mínimas. Neoplasia (tumor): Crescimento e multiplicação anormal de células, podendo ser maligna, também denominado câncer, com as características de invasão e destruição tecidual ou benigna, forma não invasiva e localizada. Neoplasias: São neoformações teciduais de células, de crescimento autônomo, aparentemente sem utilidades para o organismo, à custa do qual se nutre. O crescimento é ilimitado nas neoplasias malignas (ou canceres), mas não o é em todos os benignos. A causa ou causas das neoplasias ainda é desconhecida. Nistagmo: Tremor dos olhos. Nutrição Parenteral: Administração de solução nutriente (proteínas, gorduras e glicose) por via endovenosa passa substituir a alimentação natural. Nutrição: Ciência que estuda os alimentos e suas relações com o organismo. Nutrientes: Substâncias essenciais presentes nos alimentos, fundamentais para o bom funcionamento do organismo. Exemplos de nutrientes são carboidratos, lipídeos, proteínas, vitaminas e sais minerais. Obesidade: Excesso de tecido adiposo em relação à massa corpórea magra. Obstipação: Aumento no intervalo entre as evacuações, acompanhada de fezes ressecadas e dificuldade na eliminação das mesmas. Também conhecida como prisão de ventre. Obstipação: Dificuldade no esvaziamento do intestino. Popularmente conhecida como prisão de ventre ou "intestino preso". As matérias fecais tornam-se duras e compactas o que ocasiona uma evacuação dolorosa. Entre as causas da prisão de ventre estão a alimentação inadequada, irregularidade de evacuação, falta de exercício físico e abuso no uso de laxativos a longo prazo. A obstipação é raramente grave, a não ser que resulte de uma doença orgânica. Odinofagia: Dor à deglutição Oncogene: Genes normalmente envolvidos no controle da proliferação celular. Onfalite: Inflamação do coto umbilical. Orquite: Processo inflamatório do testículo, de origem infecciosa na maioria dos casos, sendo os vírus os mais freqüentes implicados (p. ex.: caxumba). Pode mais raramente ser causado por traumatismo ou infecções bacterianas. Ortolani, Sinal de: Manobra feita para verificar existência de luxação congênita do quadril. Os talis: Astrágalo. Osteófito: pequeno aumento ósseo decorrente da degeneração da cartilagem que protege o osso. Osteomielite: Infeção do osso - pus no osso. Osteopenia: leve redução da massa óssea em relação ao esperado para a idade. Osteoporose: redução da massa óssea em relação ao esperado para a idade. Osteossíntese: Fixação cirúrgica de uma fratura, por meio geralmente metálico. Osteotomia: Secção cirúrgica de um osso. Ovários Policísticos: Pequenos cistos benignos do ovário que, em geral, acompanham casos de esterilidade. Oxigenioterapia: Administração de oxigênio medicinal via máscara ou cateter nasal para pacientes portadores de déficit de oxigenação. Paciente pulmonar crônico: paciente portador de doença pulmonar crônica. Pancreatectomia: Retirada parcial ou total do pâncreas. Panturrilha: Barriga da perna. Batata da perna. Papa de Hemácia: Concentrado de glóbulos vermelhos. Papanicolaou: Método de prevenção do câncer do colo do útero. Papilite necrosante: Ver necrose papilar. Paracentese: Punção de uma cavidade por uma agulha, por um trocarte e cânula ou por outro instrumento oco, com o objetivo de retirar um líquido patológico ai acumulado. A operação é denominada de acordo com a cavidade puncionada: abdome-abdominocentese; coração - cardiocenteses; pericárdio - pericardiocentese; tórax - toracocentese etc. Paraplegia: Paralisia completa de dois segmentos simétricos do corpo (geralmente afeta os membros inferiores). Paraplegia: Paralisia dos membros inferiores. Paratireóide: Glândulas localizadas ao lado da tireóide, responsáveis pelo metabolismo do cálcio Paroníquia: Inflamação crônica da dobra ungueal. Parótida: Glândula triangular que produz saliva, localizada anteriormente ao pavilhão auricular Patela: O mesmo que rótula (joelho). Patogênese: É o mecanismo pelo qual se origina a doença. A etiopatologia compreende o conjunto de fatores que favorecem o aparecimento da doença. A patogênese formal, patogênese morfológica ou morfogênese explica as alterações macro e microscópicas que surgem no envolver de um processo patológico. Patologia cirúrgica: Exame macro e microscópio de espécimes obtidos durante o ato cirúrgico (peças cirúrgicas) ou através de biópsias (fragmentos menores obtidos através de procedimentos cirúrgicos mais simples). Patologia: É o estudo das doenças, que pode ser feito por vários métodos, tais como clínicos, bioquímicos, fisiológicos, bacteriológicos, imunológicos etc. Portanto o termo patologia tem significado amplo. PCI: Pesquisa de corpo inteiro, exame utilizado após tireoidectomias, para avaliar possíveis restos tireoidianos, ou metástases, em casos de câncer Pé cavo: Pé Alto. Pé Plano: Pé chato. Pele Sintética: Não é pele; é um material usado para cobrir provisoriamente as feridas. Percentil: Localização de um parâmetro em uma escala centesimal. O percentil 50 da estatura é a tendência média da população. Perfusão extracorpórea ou Circulação extracorpórea: Método utilizado em cirurgia cardíaca que consta da utilização de uma máquina (coração-pulmão artificial) que temporariamente é capaz de substituir as funções do coração e dos pulmões oxigenando o sangue e bombeando-o através do sistema circulatório, de tal forma a permitir a parada do coração e conseqüentemente permitir o tratamento de suas lesões congênitas ou adquiridas. Perícia Médica: Atuação médica com o fim de instrução de autoridade legal, visando à aplicação da justiça. Pielonefrite aguda: Inflamação bacteriana aguda da pelve e do parênquima renal. Pielonefrite crônica: Inflamação bacteriana crônica, ativa ou inativa, da pelve e do parênquima renal. Pielonefrite: Este termo é utilizado para designar os processos infecciosos do rim, sendo de natureza bacteriana na grande maioria dos casos. Deve-se sempre investigar possíveis causas do processo (p.ex: cálculo, refluxo vésico-ureteral). O tratamento consiste em uso de antibiótico e correção das causas determinantes da pielonefrite. Pioartrite: Coleção purulenta intra-articular. Pirose: Sensação de queimação na região retroesternal ou epigástrica, descrita como "azia". Planigrafia: Radiografia de seções ou planos do corpo obtida sem o uso de computadores. Plaqueta: Fator do sangue que ajuda a coagulação. Plasma: Parte líquida do sangue. Plenitude: Sensação de distensão abdominal que freqüentemente segue às refeições, descrita como sensação de "empachamento". Pneumonia da comunidade: pneumonia adquirida no ambiente caseiro. Pneumonia hospitalar: pneumonia adquirida após 48 horas de internação no ambiente hospitalar. Pneumonia: processo infeccioso do parênquima pulmonar. Pneumoperitôneo: Presença de ar na cavidade peritoneal. Pneumotórax: Presença de ar na cavidade pleural. Pneumotórax: presença de ar no espaço pleural. Polineuropatia Periférica: Síndrome de lesão de nervos periféricos; polineurite. Porção: Quantidade limitada de alguma coisa Ex: porção de um alimento em gramas ( carne - 100 g, arroz - 150 g ). É variável conforme o tipo de alimento e a forma em que ele se apresenta ( cru, cozido, assado ou frito ). Pregas Cutâneas: Medidas feitas em algumas partes do corpo ( barriga, costas, braço ) verificadas com o auxílio de um aparelho tipo "pinça" chamado adipômetro para quantificar a gordura corporal. Prematuro/Pré-Termo: É toda criança nascida antes da 37ª semana de gestão. Prenhez Ectópica: É a implantação e desenvolvimento do ovo fora da cavidade uterina. Pressão arterial diastólica ou mínima: Ao se medir a pressão arterial de uma pessoa com um aparelho de pressão e um estetoscópio, chama-se pressão arterial sistólica ou máxima a leitura que se obtém quando se ouve o primeiro de uma série de sons ritmicos e pressão arterial diastólica ou mínima a leitura que se obtém quando desaparecem todos os sons. Pressão arterial média: É constituída pela soma da pressão diastólica ou mínima, mais um terço da diferença entre as pressões sistólica e diastólica. Pressão arterial sistólica ou máxima: Ver pressão arterial diastólica ou mínima. Priapismo: É conceituado como uma ereção prolongada, não associada com estimulação sexual e geralmente dolorosa. Constitui-se numa emergência urológica, pois o tratamento precoce adequado, evita seqüelas da doença. Processador de Tecidos (Autotécnico): Processador automático, em uso na grande maioria dos laboratórios e que substitui a maneira manual de passagem dos fragmentos de tecido no processo de fixação, desidratação, clareamento e embebição em parafina para a feitura do bloco que será posteriormente cortado. Processo intersticial pulmonar: inflamação do espaço intersticial pulmonar por diferentes causas. Profilaxia: Procedimento que visa evitar o aparecimento de uma determinada doença. Prognóstico: Indica qual a chance de tratamento do paciente para uma determinada doença Prolapso de válvula mitral: Denominação atribuída a posição peculiar de uma das duas cúspides da valva mitral, na contração do ventrículo esquerdo. Protozoários: Agentes etiológicos da Doença de Chagas, da Malária, do Calazar, da Amebíase, da Toxoplasmose. Prova de acidificação urinária: Onde através da administração de uma sobrecarga ácida se mede a capacidade tubular renal de eliminar o íon hidrogênio. Prova de concentração urinária: Prova que se realiza para medir a capacidade tubular renal de emitir urina concentrada. Para se medir a capacidade máxima tubular renal de eliminar urina concentrada o paciente necessita permanecer de 24 a 38 horas sem ingerir líquidos. Provas de Maturidade Fetal: Parâmetros avaliados no líquido amniótico que nos dá indicação bastante precisa do amadurecimento fetal. Provas de Vitalidade Fetal: Procedimentos que visam o reconhecimento das condições de oxigenação fetal. Mecôneo: É o conteúdo intestinal do feto, de cor esverdeada (rico em bileverdina) e que quando presente no líquido amniótico freqüentemente se associa ao sofrimento fetal. PS: Pronto-socorro Pseudoartrose - (Falsa articulação): Falta de consolidação óssea ao nível de uma fratura ou de uma artrose. Psicocirurgia: este nome foi cunhado após descobertas do eminente Neurólogo português Egas Moniz, que lhe valeram o Prêmio Nobel de Medicina em 1948, e que utilizou através de seu cirurgião (Almeida Lima) a Lobotomia frontal para o tratamento de graves doenças mentais: Essa cirurgia histórica encontra-se hoje em desuso, sendo substituída por intervenções mais funcionais, estereotáxicas , sobre estruturas do Sistema Límbico, tais como o giro cíngulo, a substância inominata, o hipotálamo posterior, a capsulotomia anterior, a amígdala temporal, etc. Técnicas avançadas, utilizando a ressonância magnética, o ultrassom focalizado, a radiocirurgia estereotáxica e a radiofreqüência computadorizada, vieram substituir as intervenções mais empíricas como as lobotomias de E. Moniz. Estas intervenções são reservadas apenas para os casos em que todos os métodos psiquiátricos conhecidos já foram tentados, sobretudo em vários tipos de depressão, transtornos obsessivos-compulsivos, anorexia nervosa, agressividade de ictal ou pós-ictal e dores rebeldes de cânceres disseminados, não havendo seqüelas, tais como as alterações de personalidade e abulias, observadas nas antigas lobotomias. Os casos são rigorosamente selecionados por grupos especializados de psiquiatras familiarizados com estes procedimentos. (R. Marino Jr.) Psicofármacos: são medicamentos utilizados no tratamento dos sintomas mentais. Podem ser divididos em quatro grandes grupos: antidepressivos, anti-psicóticos, ansiolíticos e estabilizadores do humor. Apesar desta divisão, um tipo de droga pode ser utilizado em diversas situações: antidepressivos, por exemplo, podem ser usados no tratamento de depressão, ansiedade, fobias ou obsessões. O objetivo de qualquer tratamento medicamentoso em psiquiatria é controlar os sintomas do paciente com o mínimo de efeitos colaterais. O tempo de uso dos medicamentos varia de acordo com a patologia a ser tratada mas, de forma geral, procura-se utilizar a menor quantidade possível de medicamentos pelo menor espaço de tempo possível. Como muitos transtornos psiquiátricos tem longa duração, o uso de medicamentos por muitas semanas ou meses é, freqüentemente, necessário. Diversos medicamentos desenvolvidos as últimas décadas se aproximam de um perfil ideal de eficácia e tolerabilidade possibilitando excelente qualidade de vida aos pacientes. Naturalmente, remédios não resolvem todos os tipos de sofrimento psíquico e uma adequada articulação com o tratamento psicoterapêutico é necessária em muitas situações. (Dr. Renato Ramos) Psicopata: o termo psicopata já foi utilizado como sinônimo de qualquer indivíduo com algum problema psiquiátrico. Igualmente, é usado de forma falsamente erudita para designar indivíduos que julgamos terem cometido atos anti-sociais, agressivos, ou às vezes até para ofender a quem não gostamos. O termo personalidade psicopática foi introduzido a mais de 50 anos para designar indivíduos que, mesmo não sendo considerados doentes (psicóticos) apresentam características do seu jeito de ser (personalidade) que são desadaptativas. O indivíduo, devido a esta particularidade de ser, sofre ou faz sofrer aos outros. Em geral, o traço de personalidade desadaptativo (impulsividade, explosividade, agressividade, detalhismo, insegurança, etc) não é diferente daquelas características encontradas na população porém, muito mais acentuado, o que o torna predominante, atrapalhando a adaptação social do indivíduo. (T.A. Cordás) Psicose Maníaco Depressiva: até pouco tempo atrás o termo "Psicose Maníaco- depressiva ", ou PMD, designava o transtorno afetivo bipolar, termo que vem caindo em desuso progressivamente. São Sinônimos: transtorno bipolar do humor, transtorno bipolar, doença ou transtorno maníaco- depressivo. O transtorno bipolar é uma enfermidade que se caracteriza pela alternância de episódio de euforia (mania ou hipomania) e episódios de depressão, com épocas de normalidade nos intervalos. Durante os episódios o humor e os níveis de atividade do paciente estão significativamente perturbados. Na euforia ocorre uma elevação do humor e aumento de energia e atividade e, na depressão, rebaixamento do humor com diminuição de energia e atividade. Em geral, os episódios (pelo menos dois) se repetem a intervalos menores com o passar dos anos, embora isso possa variar, existindo casos em que a pessoa tem apenas um episódio de mania e outro de depressão. Casos exclusivos de euforia (mania) são mais raros. Episódios maníacos usualmente começam abruptamente e duram entre duas semanas a 4-5 meses (duração mediana ao redor de 4 meses). Depressivos tendem a durar mais tempo (duração mediana ao redor de 6 meses), embora raramente por mais de um ano, exceto em idosos. O primeiro episódio pode ocorrer em qualquer idade, da infância ou velhice. Os episódios (mania, hipomania ou depressão) podem se seguir a eventos de vida estressantes ou a outros traumas mentais, mas a presença de tal estresse não é essencial para o diagnóstico. (R. A. Moreno) Psicoses: como foi dito no verbete sobre neurose, este conceito prevaleceu na Psiquiatria até a década de 60, em que os transtornos mentais eram distribuídos em dois grandes grupos: psicoses e neuroses. As psicoses eram consideradas doenças mentais mais graves cujas causas seriam orgânicas ou funcionais e as neuroses eram consideradas menos grave e originadas a partir de conflitos emocionais e traumas psicológicos. Hoje conceitua-se psicose somente pelas características dos sintomas que a pessoa apresenta. Estes sintomas são os delírios, que são crenças errôneas não fundamentadas em evidências e.g. a pessoa acredita que marcianos estão vigiando seus atos e as alucinações que são percepções também não fundamentadas em evidências e. g. a pessoa acredita escutar vozes provenientes de transmissores implantados em sua cabeça. (Helio Elkis). Psicossomática: a palavra foi criada por Heinroth, no começo do século 19, mas só ganhou maior importância 100 anos depois, quando muitos psicanalistas, liderados por Franz Alexander, passaram a investigar mecanismos psicológicos inconscientes que poderiam provocar ou agravar doenças somáticas (orgânicas). Assim, muitas enfermidades, cujas causas somáticas eram ainda obscuras, foram chamadas de “psicossomáticas”, atribuindo-se sua origem a conflitos psíquicos profundos: alergias, úlceras digestivas, pressão alta sem causa determinada , asma, etc. Entretanto, na medida em que tais doenças foram melhor estudadas, outras causas orgânicas foram descobertas, percebendo-se que os fatores psicológicos não eram os principais determinantes, apesar de sua importância. Hoje, psicossomática representa uma corrente da Medicina, que considera todas as doenças de modo mais abrangente e integral, valorizando tanto os fatores psíquicos quanto os somáticos. (Z.B.A. RAMADAM) Psicoterapia: atualmente o têrmo é genérico e abrange diferentes formas de um trabalho clínico baseado fundamentalmente num relacionamento entre o psicoterapeuta (ou simplesmente terapeuta) e seu paciente, através de encontros chamados de sessões. O que se pretende é que o paciente possa perceper seu mundo interno e seus conflitos, muitas vezes fontes de angústias e sofrimentos psíquicos,de modo diferente. Trata-se de uma ajuda para seu crescimento ou evolução pessoal. Seres humanos não nascem prontos. Crescem físicamente mas também precisam evoluir psicologicamente e amadurecerem suas personalidades. E nisto outras pessoas ajudam. Quando pais,amigos e mesmo médicos não conseguem algo o terapeuta pode ser de grande utilidade. Existem diversas formas de atendimento: individual, grupal, familiar, de casal. Podem ser de longa duração ou serem limitadas em tempo previamente determinado e focarem um problema ou assunto difícil para o paciente, em alguma circunstância particular de sua vida. (O.F. Leite) Psiquiatria: [ de psic(o) - + - iatria]. Na mitologia grega, Psique era a personificação da alma (espírito, mente). Em grego, iatros significa medicina e iatréia significa tratamento médico. Psiquiatria é o ramo da Medicina que tem como objetivo o estudo, a prevenção e o tratamento das doenças mentais. Os “problemas do espírito” foram, durante séculos (e ainda o são, em algumas culturas), considerados sobrenaturais. Supunha-se que esses “problemas” ocorressem em indivíduos possuídos por maus espíritos. Somente há cerca de duzentos anos a Psiquiatria foi incorporada ao campo da Medicina. Aspectos biológicos, psíquicos, sócio-culturais do ser humano – que se manifestam através do comportamento do indivíduo ou das relações interpessoais – constituem, hoje, o terreno de atuação da Psiquiatria. O saber psiquiátrico atravessou, na última década, fase de significativa consolidação. Recentes descobertas sobre alterações biológicas das doenças mentais se somaram ao conhecimento do dinamismo psíquico, desenvolvido a partir do início do século XX. (ABDO, CHN). Psiquismo: O psiquismo é termo que expressa a atividade de nossa vida mental. Inclui-se nele tanto os processos conscientes como os inconscientes. O psiquismo é uma resultante de nossas experiências perceptivas vividas e influenciadas por múltiplas variáveis, destacando-se entre elas o bioquimismo individual, a influência social do meio, as vicissitudes ocorridas no início do desenvolvimento da criança e de sua vida posterior e a própria constituição daquela pessoa. (J.W.F. Amaro) Psoríase: Erupção eritêmato escamosa, crônica, atingindo principalmente face de extensão dos membros, joelhos, cotovelos. Ptose palpebral: queda da pálpebra. PTU: Abreviatura do medicamento propiltiouracil, usado na doença de graves Punção-Biópsia: Exame de biópsia quase indolor, que se utiliza de agulha fina para conseguir material para estudo pelos patologistas Púrpura: Doença por deficiência na coagulação do sangue. Quadril: Articulação entre o osso da coxa e a bacia - cadeira. Queimadura de 1º grau: Lesão da camada mais superficial da pele, a epiderme. Cura espontaneamente. Queimadura de 2º grau: Lesão de cerca da metade da espessura da pele. Há formação de bolhas. Cura espontaneamente. Queimadura de 3º grau: Lesão de toda a espessura da pele levando a formação de feridas (úlceras). A cura deve ser feita por enxertia de pele. Queimadura: Lesão causada pelo calor. Quilocaloria: (Kcal) - Energia necessária para elevar em um grau centígrado a temperatura de um quilograma de água. Quimioresistência: Processo através do qual células tumorais são capazes de se tornar resistentes a uma ou várias drogas antineoplásicas. Quimioterapia: Remédios usados para tratar o câncer. Quimioterapia: Tratamento clínico com drogas que inibem proliferação celular. Quimioterapia: Tratamento de câncer com uso de medicamentos (quimioterápicos) Rádio: Osso Situado no antebraço. Radiodiagnóstico: Uso de radiações (geralmente raios-x) para fins de diagnóstico. Radiografia Contrastadas: Radiografias obtidas após o paciente ter recebido substâncias de contraste (bário, compostos iodados). Radiografia Simples: Radiografias obtidas sem o auxílio de meios de contraste (substâncias que podem ser ingeridas ou injetadas). Radiologia Intervencionista: Procedimento radiológico através de cateteres e sondas que pode substituir intervenções cirúrgicas. Radiologia: Estudo das radiações e do seu emprego para diagnósticos ou tratamento. Radioterapia: Processo terapêutico baseado em radiações conizantes. Radioterapia: uso de radiações (raios -x, raios gama, eletrons etc. para tratamento ou terapia.). Reabilitação pulmonar: realização de recondicionamento pulmonar e sistêmico para a re-adaptação do paciente com problemas pulmonares para as atividades da vida cotidiana. Reanimação do RN: Procedimento que visa desobstruir as vias aéreas superiores cheia de líquido amniótico e secreções. Para tanto utiliza-se de um aspirador à vácuo, adequado as condições do RN. Redução: Colocar no lugar, alinhar, recompor. Refeição: Conjunto de alimentos que são consumidos a determinadas horas do dia. Refluxo Vesico-uretal: Condições patológica na qual a urina contida na bexiga retorna ao rim, contra o fluxo normal, podendo levar a danos renais irreversíveis. É mais comum em crianças, sendo que o tratamento pode ser clínico ou cirúrgico, dependendo de cada caso. Regurgitação: Vômito sem esforço que se verifica nos lactentes ( crianças que mamam ) ou em certas doenças do esôfago e do estômago. Remissão: Redução da neoplasia eventualmente a níveis normais, após tratamento. Repleção: Predomínio relativo do peso sobre a estatura; aspecto de criança gorducha. Rescidiva: Recrudescimento da doença após remissão bem sucedida. Ressecção: Excisão parcial de um órgão ou de outra estrutura. Ressecções pulmonares: Remoção cirúrgica de um pulmão (pneumectomia), de um de seus lobos (lobectomia) ou de um de seus segmentos (segmentectomia) quando afetados por lesões irrecuperáveis clinicamente ou por tumores malignos. Ressonância Magnética: Método de diagnóstico que usa o campo magnético e ondas de radiofrequência para obtenção de imagens para diagnóstico. Ressonância: Exame bem detalhado por meio de ondas magnéticas, melhor que a tomografia, porém, com indicações restritas Retalho: Pedaço de músculo, pele ou órgão que é transferido para correção de defeitos após cirurgias Reumatismo: nome popular dado a qualquer doença das articulações. Revascularização do miocárdio: Método cirúrgico destinado a aumentar o fluxo sangüíneo para regiões do miocárdio onde o mesmo é deficiente devido a obstrução de sua artéria coronária ocasionada por placas de ateroma. Para isso pode-se utilizar a artéria mamária interna (anastomose mamária-coronária) ou um segmento de veia safena (ponte de safena). Risco epidemiológico para desnutrição: Percentil do peso abaixo de 10. Rotura prematura das membranas: É a rotura das membranas ovulares (âmnio e corion) com saída de líquido amniótico antes do início do trabalho de parto. RPA: Recuperação pós-anestésica, onde se recuperam os pacientes após a anestesia RPO: Recuperação pós operatória, local onde se recuperam os pacientes mais graves após a cirurgia Rx.: Abreviatura de radiografia. Sacroiliíte: inflamação da articulação sacroilíaca, que se localiza na parte posterior da bacia. Sarcoma: Tumor maligno de partes moles podendo ser localizados em todo o corpo Saúde do Trabalhador: Conjunto de atenções de saúde dirigidas para o trabalhador, no tocante a patologias profissionais e não profissionais. Saúde Ocupacional: Área de atuação de Saúde que visa à preservação da saúde do trabalhador, melhorando suas condições de trabalho e atenuando-lhe as conseqüências prejudiciais. Sedimento urinário quantitativo: Para se avaliar de modo mais preciso a eliminação urinária de hemácias, leucócitos e outros elementos figurados pode-se contar, em microscópio, através do uso de uma lâmina milimetrada e do sedimento obtido por centrifugação de uma quantidade determinada de urina, o número de hemácias, leucócitos, cilindros etc, por ml de urina. Sedimento urinário telecopado: O sedimento urinário, depósito obtido da urina por centrifugação, ao ser examinado em microscópio pode evidenciar características de doença aguda ou de doença crônica, conforme o caso. Numa doença denominada lúpus eritematoso disseminado o sedimento é misto, apresentado caracteres agudos e crônicos, como se estivesse sendo visto por um telescópio toda a evolução da doença desde o início até o fim, daí o nome telescopado. Seios Paranasais: Cavidades localizadas nos ossos da face, onde ocorrem as sinusites Senescência: termo que se refere aos efeitos naturais ou fisiológicos do processo de envelhecimento. Este termo não se refere às patologias associadas ao envelhecimento (Senilidade) mas apenas ao envelhecimento considerado normal. Utiliza-se também o termo Eugeria para as alterações fisiológicas associadas ao envelhecimento, ou envelhecimento primário em contraposição ao secundário que se refere às patologias do idoso. (A. Stoppe) Senilidade: Termo que se refere às alterações produzidas pelas afecções que freqüentemente acometem indivíduos idosos. Este termo não se refere portanto às alterações fisiológicas consideradas normais no envelhecimento (Senescência).Utiliza-se também o termo Patogeria para as alterações provocadas por doenças no idoso, ou envelhecimento secundário em contraposição ao primário que se refere ao envelhecimento normal Por vezes, a evolução do conhecimento e da pesquisa clínica e epidemiológica, pode revelar mecanismos patofisiológicos de condições anteriormente consideradas fisiológicas. Com isto, certas condições consideradas da senescência passam a ser associadas à senilidade. ( A. Stoppe) Septicemia: É a disseminação de bactérias patogênicas partir de um foco de infecção através da circulação sistêmica. Sequela de queimadura: Cicatrizes deformantes ou não, alterações da cor, perda de segmentos corporeos e outras conseqüências das queimaduras. Sífilis: Moléstia infecciosa de transmissão sexual causada pelo Treponema pallidum que determina lesões cutâneas, podendo atingir outros sistemas orgânicos, particularmente o sistema cardiovascular e nervoso. Síncope: Termo também conhecido como desmaio, trata-se da perda súbita de consciência com queda ao solo e recuperação rápida e espontânea, sem necessidade de reanimação cardíaca. As causas mais freqüentes de síncope são as arritmias cardíacas, porém numerosas outras causas podem ser responsáveis. Entre elas temos os distúrbios neurológicos, diabetes, distúrbios otorrinológicos etc. Síndrome nefrítica aguda: Síndrome caracterizada pela tríade hematúria macroscópica, hipertensão arterial e edema, que faz o diagnóstico de glomerulonefrite difusa aguda. Síndrome nefrótica: Síndrome causada por muitas e diferentes patologias renais e gerais que teriam em comum uma ação glomerular produzindo proteinúria maciça, seguida de hipoalbuminemia, edema generalizado e em geral hipercolesterolemia e uma sensibilidade aumentada às infecções. Sinovite: inflamação da membrana que envolve as articulações (membrana sinovial). Sinovite: Inflamação do revestimento interno da articulação. Síntese: 1) Composição de um todo pela reunião de suas partes. 2) Obtenção artificial de compostos químicos, pela união de seus elementos ou de compostos mais simples. 3) Processo de trazer à consciência atividades ou experiências que se fragmentaram ou dissociaram. Antônimo: Análise. 4) Cir.: conjunto de manobras realizadas pelo cirurgião para restabelecer a continuidade de todos os tecidos, plano por plano, favorecendo a perfeita e rápida cicatrização da ferida operatória. SO: Sala de operações Sobrepeso: Peso desproporcional a altura. Sofrimento Fetal: Situação caracterizada por aporte insuficiente de oxigênio acompanhado de acidose fetal. Sonda Nasoenteral: Tubo de silicone usado para alimentação, quando o alimento não pode passar pelo trajeto normal Sonda nasogástrica ou nasoenteral: tubo flexível ( tipo mangueira, bem fina ) introduzido pelo nariz que percorre o esôfago até o estômago ou intestino para alimentar uma pessoa que não pode ou não consegue se alimentar pela boca. Soro positivo (Aidético): Paciente que apresenta anticorpos anti- vírus HIV ( acometido da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida ). Substituições valvares: Troca das valvas do coração (valva aórtica, valva mitral, valva tricúspide e valva pulmonar) por válvulas artificiais (válvula de dura-máter, válvula de pericárdio bovino, válvula de bola ou válvula de disco). Estas trocas valvares são feitas quando as valvas do coração estão alteradas devido, na maioria das vezes, a lesões traumáticas, a lesões inflamatórias e cicatriciais, resultantes da febre reumática ou a destruição valvar que ocorrem na endocardite. Tamponamento: Oclusão com tampão. Tendão: Tecido especializado, através do qual os músculos transmitem sua força. Tendinite: inflamação do tendão. Terminal: Paciente cujo prognóstico está fechado, para qual não há perspectiva de cura. Teste de função pulmonar: avaliação de volumes, capacidades e fluxos pulmonares. Testículo Retrátil: Testículo que fica ora na bolsa escrotal ora na região inguinal. Não requer cirurgia Tireóide: Glândula localizada na região do pescoço responsável pela produção de hormônio tireoidiano Tireoidectomia: Cirurgia onde se retira parte ou toda a glândula tireóide Tireoidite: Doença inflamatória da glândula tireóide, normalmente de causa auto-imune Tomografia Computadorizada: Método que permite examinar o corpo, em cortes ou fatias transversais sendo a imagem obtida através de raios-x e auxílio de computadores. Tomografia: Exame bem detalhado por meio de raios X, onde se pode ter uma idéia tridimensional do corpo humano Toracotomia: abertura da cavidade torácica. Toxemia/DHEG: Doença própria da gravidez caracterizada por hipertensão (140x90 mm) edema e ou proteinúria, a partir de 20ª semana de gestão. Toxemia: Estado que caracteriza os pacientes na fase aguda de processos infecciosos graves, geralmente bacterianos. Transformação: Processo mediante o qual uma célula normal torna-se cancerosa. Transplante cardíaco: Procedimento cirúrgico empregado no tratamento de pacientes portadores de doença cardíaca terminal sem possibilidades de tratamento clínico ou cirúrgico convencional. O método consiste na substituição do coração doente por coração proveniente de doador em morte encefálica. Transplante coração-pulmão: Procedimento cirúrgico empregado no tratamento de pacientes portadores de doença cardiopulmonar terminal sem possibilidades de tratamento clínico ou cirúrgico convencional. O método consiste na substituição em bloco do coração e pulmões, proveniente de doador em morte encefálica. Transplante hepático: Está indicada em portadores de doenças hepáticas irreversíveis com evolução previsível e inexorável, nas quais os métodos alternativos convencionais de tratamento sejam considerados ineficazes. Substituição do fígado, que consiste na retirada do órgão doente e na colocação de um outro fígado, inteiro ou parcial. Transplante pulmonar: Substituição de 1 ou 2 pulmões em caso de doença pulmonar avançada de diagnóstico reservado. Transtorno do Pânico: transtorno médico mental caracterizado por ataques aleatoriamente recorrentes de ansiedade ictal (ataques de pânico), que ocorrem de modo preferencialmente espontâneo e não exclusivamente numa situação ou em circunstâncias determinadas (como nas fobias). O ataque de pânico é caracterizado por um período discreto de medo ou desconforto intenso, que se inicia de forma abrupta e que alcança seu pico em poucos minutos, sem durar muito tempo. Devem estar presentes sintomas autonômicos como palpitações, taquicardia, sudorese, tremores, boca seca e podem estar acompanhados de outros sintomas tais como: dispnéia, engasgo, precordialgia, náusea ou descorforto abdominal, tontura, desrealização, medo de morrer ou perder o controle, rubor ou alterações de sensibilidade. Está freqüentemente associado com sintomas agorafóbicos, em que a pessoa teme ou evita situações tais como: locais públicos, estar com multidões, impossibilidade de receber ajuda ou estar sozinho, impossibilidade de sair da situação como filas, engarrafamento, elevador, etc. Para seu diagnóstico devem ser afastadas outras doenças que podem cursar com a mesma sintomatologia, tais como: angina, insuficiência cardíaca congestiva, asma, feocromocitoma, intoxicação por drogas (anfetamina, cocaína), abstinência de drogas (álcool, hipnóticos). (M.A. BERNIK) Traqueostomia: Abertura da traquéia através de pequena incisão cirúrgica realizada na face ântero-inferior do pescoço, por onde é introduzida uma cânula especial (cânula de traqueostomia) através da qual é possível insuflar oxigênio ou ar nos pulmões, quando existe obstruções ou lesões acentuadas das vias aéreas superiores. Traqueostomia: Orifício comunicando a traquéia com o meio externo, utilizado normalmente para casos onde há dificuldade respiratória Trauma ou Traumatismo: Conjunto de pertubações causadas por agente físico. Trepanação: Remoção de um disco de osso ou de outro tecido compacto por meio de um trépano. Ex.: trepanação crânio, trepanação da córnea. Trombolises: Procedimento realizado com aproximadamente até 6 horas do início dos sintomas de infarto agudo do miocárdio, o qual consiste na administração de drogas seletivas como estreptoquinase o ativador tecidual do plasminogenio (TPA) com finalidade de destruir o trombo causador do infarto. Trombose: Coagulação do sangue dentro do vaso sangüíneo. Trombose: Obstrução de um vaso por formação de coágulos dentro da luz (trombose arterial - de artéria; trombose venosa de veia). Tuberculose: doença infecciosa do parênquima pulmonar causada pelo Myobacterium tuberculosis. Túbulo coletor: Porção terminal dos néfrons, unidade fundamental dos rins, que coleta a urina que está sendo formada em vários túbulos até a papila renal, conduzindo-a à pelve renal e daí ao ureter, bexiga, uretra e exterior. Pode ser dividido em cortical, medular e ducto de Bellini. Túbulo contornado distal: Porção do néfron, unidade fundamental dos rins, que vai da porção ascendente da alça de Hemle ao túbulo coletor. Túbulo contorneado proximal: Porção do néfron, unidade fundamental dos rins que vai do glomérulo à porção descendente da alça de Henle. Tumor Maligno: Câncer Ulna: O mesmo que cúbito (antebraço). Ultra-som: Som cuja freqüência está acima de 18 ou 20 mega Hertz (MHZ), sendo portanto ao ouvido humano. Ultrassonografia / Ultra-Som: Método biofísico que utiliza ondas de alta frequência de uso em odstretrícia para o diagnóstico da idade da gestação, morfologia, crescimento e avaliação do bem estar fetal. Ultrassonografia: uso de ultra-sons (sons de alta freqüência irrandíveis) para fins de diagnóstico, através da imagem. Uretrite: Processo inflamatório da uretra, que habitualmente cursa com secreção uretral e ardor ao urinar. A causa mais freqüente é bacteriana, de transmissão venérea, sendo o agente mais freqüente o gonococos (uretrite, gonorréia) e a clamydia trachomatis (uretrite inespecífica). O tratamento baseia-se no uso de antimicrobianos adequados e sempre que possível, deve-se tratar os contactantes. Urticária: Erupção que se caracteriza pelo aparecimento súbito de pápulas edematosas fugazes, de tamanho variável e extremamente pruriginosas. UTI: Unidade de terapia intensiva, centro de tratamento intensivo, bem equipado e preparado para casos graves Valgo: Torcido, desviado ou deformado lateralmente. Valvoplastia: Procedimento utilizado para tratamento de doenças obstrutivas valvares, tais como, pulmonar, aórtica e mitral. Consiste na dilatação da obstrução detectada por estudo hemodiâmico, através de cateter balão que se insufla no local desta, abrindo as bridas cicatriciais que provocaram a estenose ou movimentando as válvulas imobilizadas pelo cálcio. Variação secular do crescimento: Fenômeno através do qual cada geração é um pouco mais alta do que a geração anterior. Causas desconhecidas, mas possivelmente devido a fatores ambientais. Varizes esofágicas: Formações venosas ectaziadas do plexo submucoso do esôfago, que só ocorrem em portadores de hipertensão portal, podem romper-se e constituem-se no principal local de sangramento digestivo nesses indivíduos. Varo: Torcido, desviado ou deformado medialmente. Vasculite pulmonar: inflamação dos vasos da circulação pulmonar causado por uma doença sistêmica. Vasculite: inflamação da parede dos vasos (artérias ou veias). Veia: Vaso que traz o sangue de um determinado órgão ou segmento do corpo, para o coração. Ventilação mecânica: ventilacão e oxigenação dos pacientes portadores de insuficiência respiratória aguda com auxílio de um ventilador mecânico e ou respirador. Ventilação não invasiva: auxílio ventilatório através da admistração com pressão posivitiva através de máscaras para pacientes portadores de insuficiência respiratória aguda. Ventiladores mecânicos: máquinas utilizadas para administrar pressão positiva e oxigênio com o intuito de auxiliar a ventilação e oxigenação de pacientes portadores de insuficiência respiratória aguda. Vermes: São os causadores da maioria das parasitoses intestinais e de algumas doenças sistêmicas como, por exemplo, a esquistossomose. Vesícula biliar: Víscera oca, saculiforme, localizada sob o fígado que armazena e concentra a bile antes de lançá-la no duodeno, via ducto colédoco (via biliar principal). Vírus oncogênicos: Vírus envolvidos na gênese de tumores. Vírus: Microrganismos causador de doenças tais como a gripe, as hepatites, o resfriado, a AIDS; geralmente não são sensíveis aos antibióticos comuns. Vitiligo: lesões acrômicas de tamanho, configuração e topografia variáveis adquiridas. Vômito: Descarga de conteúdo do estômago através da boca. A ingestão de alimentos contaminados ou em quantidade excessiva situa-se entre as causas mais freqüentes de vômitos.

Clique aqui para ler este artigo na WebArtigos.com