Como fugir de tentações e permanecer magra no inverno Macapá, Amapá

Conheca como trocar alimentos e conseguir manter aquele corpinho do verao no inverno. Quando começa a esfriar, a situação se inverte. Casacos e blusas grossas escondem os pneuzinhos, e só percebemos que há algo de errado quando a calça não fecha mais. Leia o artigo abaixo e saiba mais.

Athletic Way
(71) 264-5094
at Cemitério, 2992, lj 1
Salvador, Bahia
 
A Quadra da Pelada
(313) 464-7121
r Jacutinga, Padre Eustaquio
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Academia G P Tenis
(114) 412-0444
av Iii Centen, 550
Atibaia, São Paulo
 
Kart Indoor
(49) 723-9473
r Minas Gerais, 248, e, Centro
Chapecó, Santa Catarina
 
Kart Clube Ipatinga
(313) 822-2170
r João Napoleão da Cruz, 255, Centro
Ipatinga, Minas Gerais
 
Egmar G Silva
(313) 774-1316
r Paulo Frontin, 23, sl 3, Centro
Sete Lagoas, Minas Gerais
 
Universidade Internacional de Ioga Fed de Yoga da Bahia
(71) 375-1581
r Souza Brito, 20, Itapuã
Salvador, Bahia
 
Escolinha de Futebol e Aluguel de Quadra Sintética Inga Bol
(44) 224-7228
av Guaíra, 640, Zona 07
Maringá, Paraná
 
Rodrigo C Hauck
(313) 296-5997
RJ N Guerra, 50
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
G&C Lanchonete e Society Ltda
(114) 127-7510
av Francisco Prestes Maia, 1491, Centro
São Bernardo do Campo, São Paulo
 

Como fugir de tentações e permanecer magra no inverno

Emagrecer no verão é fácil. O próprio uso de biquínis já contribui como um belo estímulo visual para que queiramos perder alguns quilinhos que estão sobrando. Quando começa a esfriar, a situação se inverte. Casacos e blusas grossas escondem os pneuzinhos, e só percebemos que há algo de errado quando a calça não fecha mais. O pior: as comidas típicas da estação geralmente contam com molhos, cremes e muitas, muitas calorias. Fora que se contentar com a salada, neste friozinho, é quase impossível. “No inverno, o organismo precisa de mais calorias, e a gente acaba tendo mais necessidade de comer”, explica o endocrinologista Wilmar Accursio. Isso acontece porque o corpo necessita de mais energia para manter a temperatura, o que não significa que ele vá queimar as calorias extras só para manter o corpo quente. Todas precisam continuar se cuidando mesmo nesta época do ano, para que cheguem no verão com tudo em cima!

E como nós, do DNA Mulher, sabemos que simplesmente ignorar as tentações do inverno é impossível, pedimos a Accursio que nos desse algumas dicas de substituições mais magrinhas para os nossos desejos de comida.

Salada

Comer uma alface com tanto frio não é algo apetitoso. O endocrinologista recomenda trocá-la, então, por legumes refogados. Desta maneira, você supre as necessidades de nutrientes de vegetais no organismo de uma maneira que também esquenta.

Massas, não!

Em vez de comer uma lasanha, por que não tomar uma sopa? Ela pode não ser tão apetitosa quanto a massa, mas deixa o corpo bem mais quentinho por muitas calorias a menos. Cremes só devem ser ingeridos quando são feitos do próprio vegetal, porque os que levam farinha também são bem calóricos!

Esqueça as coberturas

Carnes, peixes e frango estão permitidos durante o inverno, desde que não venham cobertos com molhos ou cremes. Os de queijo, principalmente, têm muitas calorias.

Doces

Deu vontade de comer uma torta quente? “Coloque uma maçã no microondas coberta de adoçante”, recomenda Accursio. Desta maneira, você estará matando a vontade de comer um doce, ingerindo muitas calorias a menos. Bananas na chapa também são uma boa opção.

Bebidas

Troque o chocolate quente por chás, que são liberados desde que adoçados com adoçante dietético. Se a vontade ainda for de tomar chocolate, prepare com leite desnatado e achocolatado light.

Exercícios

O frio também dá uma bela preguiça de ir à academia, ou de passear por um parque. A melhor opção é deixar esportes aquáticos ou ao ar livre de lado, e correr para a esteira ou para a bicicleta ergométrica. “Não dá para fazer alguma coisa que substitua o exercício”, mostra o médico. Então, coloque o agasalho e encontre uma atividade que goste. Com certeza o seu corpo agradecerá no próximo verão!

Clique aqui para ler este artigo no Guia da Plastica