Avaliando o novo Siena 1.8 Flex HLX Brasília, DF

Avalie o novo Siena 1.8 Flex HLX. Visto de frente, o novo Siena também agrada. A grade, tipo grelha que invade a parte inferior do pára-choque, foi inspirada no Fiat Punto. Os faróis são de dupla parábola e têm base abaulada.

Bravesa Brasília Veículos
(61) 2107-1700
tr SIA Tr 3, s/n, Brasília
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Disbrave Veículos
(61) 3329-9999
Sepn 503 Cj A, Asa Norte
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Dakar Automóveis Ltda
(61) 3424-5500
r SCRN 502 Bl A, s/n lj 74, Brasília
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Esave Veículos
(61) 2195-2111
st Aeroporto Internacional Brasília, s/n, Brasília
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Antônio Valter Alexandre Bie
(61) 3326-1337
Sepn 504 BL C LJ 33, Asa Norte
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Edmar Veículos
(61) 3274-1266
Sclrn 713 Bl G Lj 21, Asa Norte
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Edmar Veículos
(61) 3274-1266
sclrn 713 Bl D, s/n lj 3, Asa Norte
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Brazilian Car Veículos Ltda
(61) 3363-8485
sclrn 711 Bl D, lj 33, Brasília
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Bali Automóveis
(61) 3362-6200
Sia Tr 3, s/n Lotes 725/895
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Bali Automóveis Ltda
(61) 3362-6200
sia Tr 3, s/n Lotes 725/895, Brasília
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Avaliando o novo Siena 1.8 Flex HLX

Fornecido por:

Siena com status

 

- É um Alfa 159?

- Não. Acho que é o 156.

- Nada disso. Aquele carro que acaba de nos ultrapassar é o Siena novo.

 

Esse tipo de diálogo já se tornou comum nas ruas e estradas brasileiras. Afinal, quem olha rapidamente para a traseira da quarta geração do Siena, lançada no final do ano passado, corre o risco de confundi-la com as dos modelos Alfa Romeo 156 e Alfa Romeo 159. São realmente muito parecidas graças às finas lanternas horizontais e porta-malas elevado.

 

Visto de frente, o novo Siena também agrada. A grade, tipo grelha que invade a parte inferior do pára-choque, foi inspirada no Fiat Punto. Os faróis são de dupla parábola e têm base abaulada, bem mais bonitos e eficientes do que os do Palio (há boatos, inclusive, de que a Fiat deverá substituir o atual conjunto ótico do Palio, que não agradou muito, pelo do Novo Siena). Já nas laterais, o destaque vai para os novos frisos, agora cromados, dando mais requinte ao modelo.

 

Por dentro a quarta geração do Siena é praticamente idêntica à terceira. Apenas o console central, onde estão localizados o rádio e o ar-condicionado, ganhou nova tonalidade -- agora é em cinza claro (na terceira geração era preto). No mais, o interior do Siena continua agradável, com espaço para quatro adultos e uma criança. O banco traseiro conta com três apoios de cabeça reguláveis em altura, porém, o cinto de segurança para quem viaja no meio é sub-abdominal. Deveria ser de três pontas, como os demais.

 

Espaço para malas é o que não falta no Siena. São 500 litros de capacidade, um dos maiores do segmento de sedans. O único pecado é a falta do revestimento interno na tampa do porta-malas. Além disso, é preciso abrir a tampa até o fim, caso contrário, ela volta e você acaba sendo presenteado com uma pancada no cocuruto ou nas costas, na hora de pegar algum objeto no bagageiro.

 

TOP DE LINHA

 

A versão avaliada pelo AUTOPISTA foi a top de linha, HLX, com acabamento em tecido aveludado e materiais de boa qualidade. A bordo do sedan, a sensação é a de se tratar de um automóvel de categoria superior graças à extensa lista de equipamentos disponíveis -- tais como banco do motorista com ajuste elétrico de altura e profundidade, sistema de telefonia Bluetooth, viva-voz e entradas USB/iPod, sidebags e duplo airbag, além de sensores de chuva, luminosidade e estacionamento -- este último, nós consideramos indispensável, uma vez que a visibilidade traseira do Siena é muito ruim.

 

Já a ergonomia é boa. Todos os comandos estão ao alcance das mãos do motorista. O painel de instrumentos é completo e de visualização razoável. O fundo é preto e entre o velocímetro e o conta-giros há um visor digital que exibe as informações do computador de bordo (consumo, velocidade média, tempo de viagem, autonomia, etc), do rádio, mensagens de advertência (como portas abertas), relógio, temperatura externa e My Car Fiat.

 

O motor bicombustível de 1,8 litro e 8 válvulas (114 cv com álcool e 112 cv com gasolina) da versão avaliada proporciona bom desempenho, principalmente nas arrancadas e retomadas de velocidade -- mesmo com o carro pesado. O câmbio apresenta engates macios e precisos, entretanto, o curso da alavanca poderia ser um pouco mais curto. Segundo dados da Fiat, o Siena 1.8 Flex acelera de 0 a 100 km/h em 9,8 segundos (quando abastecido com gasolina) e 9,6 segundos (com álcool). A velocidade máxima é de 189 km/h (gasolina) e 191 km/h (álcool).

 

A suspensão também prima pela maciez, deixando o carro bem confortável ao rodar, inclusive em pisos irregulares. Porém, em curvas mais fechadas, se o motorista abusa um pouquinho da velocidade, a carroceria inclina mais do que o normal.   Agora o que realmente assusta é o consumo de combustível. Segundo o computador de bordo do modelo testado, as médias de consumo (na cidade e na estrada) foram de 8,5 km/l com gasolina e 6,0 km/l com álcool. Bem beberrão para um sedan compacto com motor de 1.796 cm3, não?

 

PREÇOS

 

A versão top de linha do Novo Siena, a HLX equipada com motor 1.8 Flex, custa a partir de R$ 46.070,00 (e já sai de fábrica equipado com ar-condicionado, computador de bordo, direção hidráulica, vidros elétricos dianteiros, travas elétricas, entre outros itens de série). Com todos os opcionais, como o modelo que testamos, o Siena HLX 1.8 Flex chega aos R$ 62.103,00. O Novo Siena ainda é oferecido na versão ELX com três opções de motorização: motor 1.0 Flex (a partir de R$ 34.500,00), motor 1.4 Flex (a partir de R$ 37.530,00) e motor 1.4 Tetrafuel (a partir de R$ 45.960,00)

 

Clique aqui para ler este artigo na Autopista.com