Aprendendo como ter qualidade de vida na terceira idade Macapá, Amapá

Idosos podem melhorar atividade física e mental tendo vida social ativa. Estimular a atividade mental e a socialização na terceira idade preservam a lucidez. Outros estudos indicam que estimular a atividade mental e a socialização na terceira idade protege contra o avanço de doenças.

Escola de Natação Aguazul
(96) 222-1462
av Dq de Caxias, 1287
Macapá, Amapá
 

Aprendendo como ter qualidade de vida na terceira idade



Estimular a atividade mental e a socialização na terceira idade preservam a lucidez

Praticar atividades físicas, ter uma alimentação saudável e uma vida social ativa ajudam a preservar a saúde física e mental dos idosos, segundo um estudo do Centro Médico da Universidade de Rush, de Chicago, nos Estados Unidos.

De acordo com o estudo, em geral, os idosos gastam menos tempo engajados em atividades sociais e, sendo assim, sua função motora tende a piorar rapidamente. Apenas 10% das pessoas com mais de 65 anos realizam a quantidade recomendada de exercícios físicos de 2 horas e meia a 5 horas por semana.

Além disso, outros estudos indicam que estimular a atividade mental e a socialização na terceira idade protege contra o avanço de doenças relacionadas à atividade cerebral.

Um trabalho feito em Ilinois, nos Estados Unidos, analisou 906 idosos com idade média de 80 anos, durante um período de cinco anos. A pesquisa relacionou o aumento da vida social com a melhor realização de uma gama de tarefas, incluindo andar em linha reta e girar em círculos sem perder o equilíbrio.

As análises também levaram em conta que a redução na atividade social pode ser simplesmente um sintoma de declínio físico, uma vez que as pessoas podem naturalmente participar de menos compromissos sociais quando têm suas habilidades motoras diminuídas.

A maioria dos pesquisadores concorda que é importante incentivar e motivar os mais velhos a se integrarem e se motivarem mais, uma vez que estes hábitos preservam a lucidez.

Fonte: Assessoria de Imprensa - Portal Educação

Clique aqui para ler este artigo na Nutrição Virtual