Aprendendo a reciclar o lixo em casa Dourados, Mato Grosso do Sul

Aprenda a reciclar o lixo em casa. Porém, é importante ressaltar que o problema do lixo é muito maior. Mesmo quando a coleta funciona, ele não desaparece.

Contexto Publicidade Mkt Asses
(67) 422-4094
r Doutor Nelson de Araújo, 340, an 1 sl 1, Jardim América
Dourados, Mato Grosso do Sul
 
Disk Água Uti Com Bebidas Ltda
(67) 421-7474
r Toshinobo Katayama, 1020, sl 6, Jardim Caramuru
Dourados, Mato Grosso do Sul
 
Disk Água Uti Com Bebidas Ltda
(67) 422-6480
r Melvin Jones, 797, Jardim América
Dourados, Mato Grosso do Sul
 
G Express Brazil Ltda
(67) 422-3455
r Mato Grosso, 2103, Jardim Caramuru
Dourados, Mato Grosso do Sul
 

Aprendendo a reciclar o lixo em casa

As pessoas só se preocupam com seus dejetos quando seu próprio lixo fica apodrecendo na frente de casa, causando mau cheiro e atraindo insetos. Porém, é importante ressaltar que o problema do lixo é muito maior. Mesmo quando a coleta funciona, ele não desaparece. É apenas levado para outro local, onde precisa receber tratamento adequado para evitar danos maiores à nossa saúde e ao meio-ambiente.

O lixo que geramos hoje é composto por muitas embalagens de plástico, caixas de papel, isopor e latas - materiais que a natureza não consegue decompor, mas que podem ser reciclados e reutilizados, diminuindo assim o impacto ambiental. Mas a realidade, infelizmente, é bem diferente do ideal.

Essa situação não pode continuar e muito menos se agravar. É preciso que façamos a nossa parte, que modifiquemos alguns de nossos hábitos. E essa mudança tem que partir de todas as esferas sociais, através de uma educação ambiental ensinada dentro de casa.

Por exemplo: se a filha observa a mãe jogando o óleo que restou da fritura no ralo da pia da cozinha, provavelmente seguirá o mesmo exemplo mais adiante. Ou, se um menino nunca teve que separar seu lixo quando criança, provavelmente não levará essa prática para o seu lar depois de casado.

Mude, separe o lixo que for reciclável do orgânico e, caso na sua rua não tenha coleta seletiva, leve o que pode ser reutilizado até os pontos de coleta. Hoje, muitas redes de supermercado já oferecem esse serviço. Faça o mesmo com o óleo de cozinha.

Informe-se, entre em contato com as instituições que fazem reciclagem, divulgue suas iniciativas para a vizinhança e para o bairro onde você mora. Mudar não é fácil, exige determinação e pode ser trabalhoso, mas o resultado é compensador.

Vanessa Damo é deputada estadual (PV-SP), pós-graduada em gestão ambiental

Clique aqui para ler este artigo na Revista Ecoturismo