Aprenda a utilizar seus talentos Brasília, DF

“Quem usa, ousa,” Por diversas vezes, perguntei para as platéias das minhas palestras, às vezes com mais de 1000 pessoas, se cada um que ali estava poderia me dizer quanto do seu talento e inteligência disponibilizavam em suas respectivas funções. Aprenda mais no artigo abaixo.

Couto Propaganda e Marketing
(61) 3447-4477
cln 111 Bl C, s/n s 110 sl 109
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Central Midia
(61) 3322-5707
srtvs 70 bl 2/4 sl 324 Asa Sul
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Montadon
(61) 3327-7762
scrn 702/703 Bl C, s/n en 12 s 101Asa Norte
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Agencia Neuronio Publicidade
(61) 3349-1373
cln 116 Bl F, s/n sl 105 Asa Norte
Brasília, DF

Dados Divulgados por
DSP
(61) 3963-2929
snc 116 Bl E, s/n sl 111 A Sul
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Diart Agencia de Publicidade
(61) 3202-2490
cln 116 Bl D, s/n lj 102 A Sul
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Decisiva Agencia de Publicidade
(61) 3202-0912
r Setor Habitacional Taquari, s/n sl 114 A Sul
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Agencia de Publicidade Dois Nove Meia
(61) 3307-1793
UNB, s/n bl A s 661/8 Campus Universitário
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Agencia Comunica Publicidade
(61) 3964-1500
Scln, s/n Qd 110, Bl A, Sl-102 Asa Norte
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Oitonos Propaganda e Marketing
(61) 9206-0738
r Quadra 08, 155 Condominio Parque Jardim Paineiras
Brasília, DF

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Aprenda a utilizar seus talentos

“Quem usa, ousa,”

Por diversas vezes, perguntei para as platéias das minhas palestras, às vezes com mais de 1000 pessoas, se cada um que ali estava poderia me dizer quanto do seu talento e inteligência disponibilizavam em suas respectivas funções.

Muitos não entendiam essa pergunta, então eu explicava e perguntava novamente. Uma ou outra pessoa levantava a mão. Perguntei em uma platéia de empresários, de empreendedores, de pessoas que tem seu próprio negócio. Acreditava que ali eu teria uma reposta mais satisfatória, mas também somente algumas poucas pessoas levantaram os braços.

Se você é um estudante, um empresário ou um colaborador de uma grande ou de uma pequena empresa privada, enfim, e se ainda não usa 100% do seu talento, da sua inteligência no que desempenha hoje, exatamente hoje, você não entendeu nada.
Você sabe o que é economia de guerra? Você está se economizando para quando? Para o quê? Aliás, esta é a economia mais paradoxal que conheço, pois, enquanto você acredita que está se economizando, se poupando, tirando vantagem da situação, de ir levando, de ir empurrando com a barriga, você está, na realidade, desperdiçando a si mesmo, perdendo grandes oportunidades para aprender, se conhecer e viver plenamente.

Certo dia assisti a um filme, destes que não saem da nossa da cabeça. Era a história de um homem, workaholic, que estava fazendo quarenta anos e, de repente, num passe de mágica, entra em sua vida um menino, que na história, é ele mesmo aos oitos anos de idade.

Quando o menino se dá conta de que os dois são a mesma pessoa, sai correndo pela casa perguntando por seu cachorro e família. O quarentão responde que não tem cachorro, nem esposa e filhos. O menino, desconcertado, arrisca perguntar sobre o avião, se ele era um piloto. Mais uma vez recebe uma negativa.

O menino sai desconsolado para a varanda. Olha a lua, que se encontra cheia e avermelhada, e então, sentindo que ele, adulto, está próximo, faz uma última pergunta: “Por que a lua está vermelha?” E o quarentão responde grosseiramente: “Não sei!”
Então o menino diz: “Pôxa, mas o que aconteceu, cresci e não sei nada, não tenho cachorro, não tenho família e não sou piloto. O que eu fiz nestes 32 anos?”
Quando você se olha no espelho, pela manhã, reconhece nele a pessoa que gostaria de ser hoje? Reconhece ali aquela criança que foi e que sonhava em ser e fazer milhões de coisas?

Quer outro exemplo? Eu estava dentro de um elevador cheio e sem ascensorista. Gentilmente, comecei a perguntar para as pessoas para qual andar iriam, e então, apertava o botão correspondente. Havia um senhor no fundo do elevador que foi o último a quem perguntei e ele disse: “Não se incomode não, qualquer andar serve, eu entrei no edifico errado!”

Creio que muita gente está em edifício errado, mas tem casos piores: há pessoas que não arriscam e nem entram em edifício algum! Por isso acredito que hoje o caminho da felicidade, da realização, está em você ter muito claro para você mesmo o que quer. Quem não sabe o que quer, chega aonde não quer. E se você não sabe e nem define o quanto do seu potencial, do seu talento é usado, pior ainda.

Uma ótima solução é fazer um planejamento estratégico pessoal, utilizando todos os seus recursos intrínsecos e extrínsecos com realidade, ousadia e flexibilidade. Um planejamento estático de nada vale, deixo-o vivo, dê-lhe vida, reveja sempre e se pergunte sempre: “Se eu ganhasse R$ 10 milhões de reais o que faria?”

Por quê? Se você continuar fazendo as mesmas coisas que faz hoje é porque está realizando o que veio para realizar e isto é o seu grande diferencial, pois esta é a sua essência, o seu real objetivo de vida. Se você mudar radicalmente tudo é porque está insatisfeito, infeliz.

Agora perceba que há diversas coisas que você pode fazer para ser feliz, para mudar a sua vida, sem precisar ganhar os R$ 10 milhões. Uma vez uma mulher me respondeu que, se ganhasse todo esse dinheiro, largaria o marido e o emprego, faria uma plástica, mudaria o guarda-roupa e moraria em outra cidade!

Será que ela precisaria ganhar todo este dinheiro para fazer isto? E você, o que está esperando? Você tem o seu talento e inteligência e o quanto utiliza deles para fazer a real transformação de que necessita.

Ao perguntarem como vai a sua vida, não responda que ela está indo, levando ou durando! Diga que você está vivendo e realizando através do quanto utiliza do seu talento e inteligência. Você pode!

Fonte: www.leilanavarro.com.br

Clique aqui para ler este artigo na Sua Mente