Aprenda a entender o seu interior emocional Mossoró, Rio Grande do Norte

Todos temos dificuldades para sermos assertivos. Afinal a sociedade nos cobra tantos papéis e resultados, que inegavelmente acabamos por nos sentir internamente insatisfeitos com as nossas respostas e atitudes diante da vida. Aliás, qual é mesmo a nossa vida? Quem sou eu mesmo? Entenda no artigo abaixo.

Consultório Dra. Vanuska de Oliveira Terra
(84) 3314-2378
r José Damião 294 - 1, Stº Antônio
Mossoró, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
Lenise Oliveira Nogueira
(84) 3321-7509
r Duodécimo Rosado 10 s 11, Centro
Mossoró, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
CorpoMente
(84) 3221-5502
rua mipibu 338 petrópolis
natal, Rio Grande do Norte
 
Centro de Neuro-Psico-pedagogia
(84) 3613-0499
r Jairo Tinoco, 1549, Lagoa Nova
Natal, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
Clínica Mensana
(84) 3222-0686
r Des Antônio Soares, 1239 sl 8
Natal, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
Lenise Costa de Oliveira
(84) 3321-7509
r Duodecimo Rosado, 10 sl 11, Centro
Mossoró, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
Tânia Maria Lopes Mendes
(84) 3321-4775
r José Alencar, 64, Centro
Mossoró, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
Ana Maria Portieri Dra
(84) 3206-0451
r Jorn Haroldo Gurgel, 1995, Lagoa Nova
Natal, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
Centro de Desenvolvimento Integrado
(84) 9481-3162
r Des Antônio Soares, 1239 A, Tirol
Natal, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
Centro de Neuro Psico Pedagogia
(84) 3611-9263
av Romualdo Galvão, 976, Barro Vermelho
Natal, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Aprenda a entender o seu interior emocional

Meditação e Assertividade – Parte 2

Por Conceição Trucom

Pois é, todos temos dificuldades para sermos assertivos. Afinal a sociedade nos cobra tantos papéis e resultados, que inegavelmente acabamos por nos sentir internamente insatisfeitos com as nossas respostas e atitudes diante da vida. Aliás, qual é mesmo a nossa vida? Quem sou eu mesmo?

Tendemos a nos odiar quando exageramos na rigidez e no fundo gostaríamos de ser mais tolerantes e pacientes, ou quando somos por demais permissivos e não sabemos colocar os nossos limites ou valores.

Mas, o primeiro passo é PERCEBER que não estamos sendo honestos ou verdadeiros para conosco. Trata-se do reconhecimento interno = não estou feliz com as minhas respostas e relações.
- O segundo passo é QUERER ser mais verdadeiro e presente com as nossas reais respostas aos estímulos da vida. Ou seja, querer saber: Quem sou eu? O que eu quero mesmo?
- O terceiro passo é ESTAR ALERTA para com estes momentos falhos, onde não conseguimos ser assertivos. E nestes momentos, ser muito amoroso e compassivo, para que aconteça o próximo passo. É fundamental estar maduro para provocar a cura, e nunca rebelde, agressivo ou intolerante.
- O quarto passo é ter a CORAGEM e DETERMINAÇÃO para:
1) Manter este estado de alerta e,
2) Neste estado, trabalhar diariamente na transformação desta programação falha, que nos faz sentir insatisfeitos para conosco, justamente porque não estamos conseguindo ser assertivos.

Mas qual é o trabalho diário?
SE DAR UM ESPAÇO E TEMPO PARA MEDITAR TODOS OS SANTOS DIAS DE DEUS.

São anos atuando segundo padrões e paradigmas que nos impedem de crescer. Portanto não espere que a transformação aconteça por milagre. Que um floral, um aroma, uma oração ou uma meditação irá te salvar em um dia, uma semana ou um mês.

Você pode até ir para um SPA ou ASHRAM por um mês e voltar renascido. Pode passar um mês tomando um floral ou lendo livros de auto-ajuda. Visitar um oráculo que te esclarece e expande a consciência.

Mas, enquanto não forem VERDADEIRAMENTE quebradas as crenças negativas, aquelas que te fazem sentir medo de ser assertivo, e instalado conscientemente um novo programa de liberdade de Ser, as atitudes não assertivas irão voltar. E, como dizia a minha avó, a recaída quando não mata, aleija.

Portanto a prática diária da meditação é um trabalho de resgate do nosso estado natural de sermos meditativos, portanto alertas e presentes em nosso "aqui e agora".
É através da meditação que vamos descobrindo lá dentro, num espaço de silêncio e diálogo com o nosso mestre interno, nossa alma, nossa pureza e luz; que iremos dissolver a força das nossas crenças negativas ou ultrapassadas e, encontrar as respostas para a transformação e cura.
Todas as terapias complementares e oráculos podem ajudar, mas é na meditação que encontra-se o cerne da cura.

No meu livro da "Alimentação Desintoxicante" ensino algumas técnicas de meditação justamente porque ela nos ajuda a DESEJAR a desintoxicação de todo o nosso ser, e a alimentação desintoxicante nos ajuda a DESEJAR a meditação para a verdadeira conquista da evolução espiritual.

E tem mais, nós ocidentais somos culturalmente e organicamente diferentes dos orientais. Não adianta pegar técnicas orientais de meditação e tentar inserir em nossa vida ocidental.
Faço questão de afirmar que tudo que é forçado ou inadequado finaliza em fracasso.
Portanto, tanto para mim, como para meus alunos, procuro a prática de meditações inteligentes, ou seja, adequadas aos nossos hábitos e forma de pensar ou agir.
São as técnicas de meditação ativa, onde faço o uso de trabalhos corporais como a dança, que é um portal de limpeza, mobilização de energia e cura.

Faço uso também da Terapia do Riso e da Ginástica Cerebral, ambas trabalhando o positivismo e a inteligência plural, qualidades 100% espirituais.
Independentemente de vocês procurarem um curso ou livro de meditação, atitude que recomendo, passo abaixo uma técnica de meditação com mandala que será útil para todos, DESDE QUE seja praticada diariamente.
Não vou iludir vocês, passando um "mertiolate" na ferida e depois soprando.

A meditação É O trabalho de cura e crescimento espiritual, mas é um trabalho SÉRIO que deve ser realizado DIARIAMENTE.
Esta meditação, assim como todas as outras que ensino, não é uma receitinha de bolo, É UM TRABALHO DE CURA.
Ela só será valorizada e usada por aqueles que já chegaram no quarto estágio, o da CORAGEM E DETERMINAÇÃO. Aqueles que já afirmam diariamente, como um mantra: É SUFICIENTE = BASTA, não quero mais esta conduta para mim!
Quem não alcançou este estágio recomendo que não leia o texto a seguir, porque estará perdendo o seu tempo.

Parece que estou brava, não é? Mas ao contrário, estou sendo profundamente amorosa. Meu desejo é que você cresça e pare de dizer: isto é difícil, não vou conseguir, estou com preguiça, estou cansado. Sabe o que é isso? INTOXICAÇÃO = Cegueira da visão = perda de tempo = imaturidade = emburrecimento.

Não tenha medo de crescer, mas para isso só você pode decidir. Ninguém irá te transformar. O poder é somente seu e sempre o será!

MEDITANDO COM MANDALAS

Mandalas são imagens circulares usadas há milênios pelos povos orientais para expressar, através de um desenho, a experiência humana de contato com a energia divina. Nas mandalas estão expressas as relações entre o Homem e o Cosmos, entre a busca de conquistas materiais e a energia espiritual que está por trás delas. Em outras palavras, as mandalas são um caminho para se autoconhecer alinhada com Deus.

A palavra mandala vem do sânscrito e significa "círculo mágico". Entre os povos orientais, atribui-se às mandalas a característica de representar graficamente o ritmo, movimento e harmonia que regem todo o Universo, a natureza e o próprio ser humano.

Para os hindus, a mandala é a reprodução da mente humana quando equilibrada. Por esta razão, meditar corretamente, olhando para uma mandala, pode reordenar os processos mentais, trazendo paz e soluções para conflitos sobre os quais nem mesmo conseguimos ter consciência. Ou seja, mesmo sem que você saiba exatamente o que causa uma determinada perturbação em sua vida, a meditação com uma mandala pode acabar com o problema.

Dicas para meditar com mandalas:

1. Escolha a sua mandala - aquela que mais te fascina - e observe-a bem, pensando naquilo que está buscando: foco, concentração, criatividade, abundância, fertilidade, saúde, amorosidade, serenidade, etc.

2. Procure sentar numa posição confortável com a coluna ereta, colocando a mandala diante de seu rosto pendurada na parede. O centro da mandala deverá estar à altura dos olhos, numa distância semelhante à extensão de seu braço.

3. Focalize toda sua atenção no centro da mandala. Não exerça tensão sobre os olhos que deverão permanecer repousados no centro da mandala durante todo o exercício. Procure aos poucos esvaziar sua cabeça, deixando a mandala agir em você através do movimento que lhe é inerente. A idéia é chegar a preencher toda a sua mente com a imagem da mandala. Ela será reconstruída dentro de você.

4. Não queira controlar seus movimentos. Respire profundamente e bem devagar permanecendo relaxada(o) todo o tempo. Seus olhos poderão ficar pesados, lacrimejar ou arder. Permita que isso aconteça. Deixe a mandala limpar, desobstruir e energizar seus olhos físicos e seus componentes etéricos. Fixe sempre o olhar no centro do desenho. Perceba os detalhes captados pela visão periférica, sinta sua vibração, mas não desligue do centro.

5. Procure piscar o mínimo possível e quando o fizer, que seja suavemente e com total atenção. Não faça apreciação ou juízo crítico. Não deixe a sua mente interferir no processo. Apenas observe o que está acontecendo dentro e fora de você.

6. Perceba que, quando sua mente se aquieta, você gasta menos energia com o pensamento, e, como não existe vácuo no universo, outra função assume essa energia. É hora de funcionar a intuição, o autoconhecimento, a clarividência e a clariaudiência. Começam a emergir interiormente potenciais normalmente submersos do seu ser.

7. Mergulhe na mandala por 15 minutos. É opcional o uso de música ou qualquer outro estímulo auditivo. Durante todo o exercício é vital a atenção na respiração, que poderá ter variantes de acordo com o que se quer atingir.

8. Quanto mais imóvel você conseguir ficar, mais a mandala penetrará em você, harmonizando seu campo de energia e os chacras.

9. No final, feche os olhos, esquente as mãos e as coloque sobre eles, relaxando-os.

10. Não deite logo em seguida. Permaneça por mais 15 minutos sentado, observando o que está acontecendo internamente com você. Essa observação é o objetivo de toda e qualquer técnica meditativa. Fique em silêncio, de olhos fechados e coluna ereta.

11. Após este período, se quiser, deite.

12. Esta meditação não deve ser feita antes de dormir ou logo após as refeições.

13. Depois de um período de prática de 21 dias, mude a mandala.

Clique aqui para ler este artigo na Portal CMC