Analisando o emocionante jogo Fifa 08 (Jogos De Futebol) Maracanaú, Ceará

Confira todas as técnicas de jogar esse jogo que mais parece uma real partida. Poucas séries conseguiram alcançar tamanha tradição e longevidade nos PCs como FIFA. Mesmo com a acirrada disputa nos últimos anos com a franquia concorrente da Konami Winning Eleven (ou Pro Evolution Soccer), a EA Sports não deixa de investir em uma nova versão a cada final de ano, sempre com a promessa de melhorias na jogabilidade, inovações gráficas e novos modos de jogo.

J.ALDENIR BORDADOS
(085)30672643 (085)87185401 (085) 96430026
RUA JOSE CARLOS GURGEL NOGUEIRA NO 348 PAPICU
FORTALEZA, Ceará
 
Danielle Alves- Assessoria para eventos
(88) 8851-3471
rua josé Sebastião de carvalho 1340
Crato, Ceará
 
Francisco A Xerez
(85) 382-1129
av Vii, 240, Jereissati I
Maracanaú, Ceará
 
Liderança Loterias
(85) 371-1955
rdv CE 251, 188
Maracanaú, Ceará
 
Luiz ML Pereira
(88) 511-2078
r Cruzeiro, 173, Centro
Juazeiro do Norte, Ceará
 
Danielle Alves-Assessoria e Cerimonial para casamentos
(88) 8851-3471 ou (88)9694-5258
Rua José Sebastião de Carvalho 1340
Juazeiro do Norte, Ceará
 
Vanessa Vieira - Assessoria e Cerimonial
(88) 9250-4519
Rua Enéias Arrais, 1065
Juazeiro do Norte, Ceará
 
Loteca Quixadá
(85) 371-2060
r Manuel Pereira, 43, Centro
Maracanaú, Ceará
 
Maria VB Carvalho
(85) 382-1626
av Vii, Pacheco
Caucaia, Ceará
 
Maria SM D Carneiro
(85) 812-0171
r Epitácio Pessoa, 1175, Quixadá
Quixada, Ceará
 

Analisando o emocionante jogo Fifa 08 (Jogos De Futebol)

Introdução:

Poucas séries conseguiram alcançar tamanha tradição e longevidade nos PCs como FIFA. Mesmo com a acirrada disputa nos últimos anos com a franquia concorrente da KonamiWinning Eleven (ou Pro Evolution Soccer), a EA Sports não deixa de investir em uma nova versão a cada final de ano, sempre com a promessa de melhorias na jogabilidade, inovações gráficas e novos modos de jogo. E o final de 2007 não poderia ser diferente, então veio a tona oFIFA 08, oferecendo um conteúdo ainda mais abrangente e algumas novidades para agraciar os fãs do esporte bretão virtual. Como o FIFA 07 já tinha obtido uma qualidade muito boa (se você perdeu, leia a nossa review ), faltando mais alguns detalhes e um pouco mais de capricho nos gráficos, FIFA 08 já nascia com a herança do antecessor, para continuar os bons frutos e melhorar aquilo que deixou a desejar.

Mesmo com toda a expectativa em cima do game, FIFA 08 para computador acabou frustrando muita gente antes mesmo de ser lançado, com a confirmação de que ele não traria a nova engine gráfica, que já havia mostrado uma qualidade fantástica no ano anterior nos vídeo-games. Sendo assim, se você viu e gostou deste game rodando no Xbox 360 ou PS3, pode esquecer que nada tem a ver com a versão para PC, para a infelicidade geral da nação futebolística. Segundo a EA, o motivo de manterem a engine antiga é que a versão atualizada disponível nos consoles tornaria o game inacessível para muitos jogadores que possuem uma configuração mediana para baixo nos dias de hoje, limitando o número usuários que muitas vezes se enquadram entre os jogadores casuais, que na maioria não podem investir numa placa de vídeo de última geração, assim como em um processador mais avançado e mais memória RAM. O fato, porém, é bastante relevante e já começa a perder pontos para quem se impressionou com o game rodando em um dos consoles da nova geração.

Não adianta ficar se lamentando, porém, se a empresa tomou a decisão de manter a engine antiga, temos que nos contentar e torcer para que, pelo menos, a jogabilidade e a atenção aos detalhes tenham compensado a falta de inovações na parte gráfica - e bola para frente. Certamente, assim como qualquer time de futebol, muita gente torce para que FIFA 08 consiga êxito, enquanto outros torcem contra por serem fãs da série da Konami, cabendo a nós, porém, a função de narrador ou comentarista, na tentativa de fazer uma análise imparcial e bem equilibrada. Então é hora de saber quem saiu vencedor e quem vai ter que conviver com a derrota após este clássico:

Jogabilidade:

Se há algo praticamente inalterado nos últimos anos desta série é a jogabilidade básica. Os comandos fundamentais, como passar, lançar, cruzar alto, chutar a gol, etc, permanecem nos mesmos moldes, fazendo com quem já tenha jogado qualquer game dos anos anteriores comecem a jogar sem nem precisar ler o manual ou precisar de treinamento. Porém, isso não significa que está tudo exatamente igual, em especial na precisão dos passes e controle de bola. É aí que entra logo de cara uma das novidades de FIFA 08: acabaram os passes automáticos nos pés do companheiro. Para fazer a bola chegar corretamente onde você quiser, é necessário acertar não somente a direção no controle direcional, mas também a força controlada pelo tempo que você segura o botão correspondente. A primeira vista, a mudança é muito bem vinda e torna a jogabilidade mais real, porém, para aqueles que não são tão aficionados pela simulação e preferem a diversão, podem acabar se irritando, pois a mudança tornou muito mais comum os passes errados, seja longo ou curto demais, ou mesmo na direção errada de onde o seu companheiro se encontra.

Como muitos podem estar imaginando, o uso de um joystick se tornou ainda mais obrigatório do que já era, pois no teclado fica quase impossível fazer passes corretos, tendo em vista que é necessário mirar exatamente a posição do companheiro para que a bola chegue até ele, algo que nem no Pro Evolution Soccer chega a ser tão realista, pois a ajuda do computador para completar os passes aqui é praticamente nula. Claro que, ao citar o joystick, estamos falando de um modelo de qualidade, nos moldes do PlayStation 2 ou equivalente, que traz dois direcionais analógicos, essenciais para um controle de bola mais aguçado e para conseguir tocar a bola pelo menos com mais chance de acertar os passes.

A relação de times e ligas está mais completa do que nunca, oferecendo 576 clubes dos mais diversos países e seleções, bastante atualizados até agosto de 2007 (quando as escalações foram finalizadas), acompanhando 30 ligas de diversos países, aos tradicionais campeonatos europeus, como o Italiano, Espanhol e Inglês, chegando até aos quase desconhecidos do mercado principal, tais como os campeonatos nacionais da Bélgica, República Tcheca, Coréia e Áustria. Claro que o Brasil não poderia ficar de fora, contando com os 20 clubes que estava na primeira divisão em 2007 que chegam todos com os uniformes e escalações oficiais, com exceção de três clubes que acabaram sendo representados por times genéricos devido a falta da assinatura dos termos de contrato por parte de seus dirigentes a tempo de ser incluído no jogo. São eles: Internacional de Porto Alegre, Fluminense e América de Natal. Os times restantes estão bem representados, e a inclusão da Liga do Brasil acaba substituindo a altura o Brasileirão, para aqueles que querem disputar com o seu time do coração.

Mas a verdade é que são tantos times e ligas, que fica até difícil ter uma idéia de todos, já que muitos acabam ignorados, como os vários times dos países de pouca tradição e qualidade, quando se tem tantos clubes e ligas de qualidade infinitamente superiores, a não ser é claro para os moradores dessas nacionalidades, que podem ter o seu interesse particular. Amplos também são os desafios e modos de jogo oferecidos, que vão liberando pontos conforme se completa missões especificas em cada continente, fazendo com que os pontos possam ser usados posteriormente na loja do jogador, para liberar novos uniformes, bolas inéditas, efeitos de áudio e até times especiais como a seleção com os melhores jogadores de cada país, entre outras opções.

A grande novidade no quesito modo de jogo, porém, esta no inédito "Seja um Pro", algo que parecia um grande trunfo da série, mas que acabou se mostrando bem menos interessante na prática do que se imaginávamos quando foi anunciado meses atrás. O que o modo prometia fazer era colocar você para comandar apenas um jogador durante toda a partida, podendo assim focar todos os seus esforços no posicionamento, marcação e avanço conforme a sua posição durante os 90 minutos de jogo, sem controlar os outros jogadores, que ficam a cargo do computador. É possível inclusive criar um jogador totalmente novo para você representar, escolhendo o nome, características físicas e posição, para atuar no clube que você quiser representar, que começa com um nível mediano de habilidade, e vai ganhando pontos no decorrer das partidas, conforme você atinge os objetivos propostos, que são somados até que o jogador sobe de nível e você pode distribuir um acréscimo de atributos nas diferentes opções de habilidade, como velocidade, força do chute, fôlego ou drible.

Até aqui, o modo "Seja um Pro" parece até interessante, não é mesmo? Mas não se iluda: aEA Sports acabou errado a mão em sua execução. A começar que jogar controlando apenas um jogador acaba sendo extremamente chato, em especial porque a IA que controla todo o restante do time é incrivelmente fraca e pouco objetiva, necessitando que você acabe tendo que pedir todas as bolas para armar as jogadas ou sair em disparada para o ataque caso queira fazer gols (e, afinal, qual é o objetivo do futebol mesmo?!). Se ficar esperando uma definição do computador, vai se irritar na maioria das vezes, ao ver que ele dificilmente toca a bola para frente e ainda assim erra demais, mesmo em situações claras onde há um companheiro livre e numa boa posição, enquanto que o seu companheiro de time controlado pelo computador toca para trás ou fica segurando demais a bola, que acaba roubada pelo adversário. Como você controla apenas um jogador específico durante toda a partida, acaba sendo quase obrigação mandá-lo correr atrás da bola durante boa parte do jogo, pois esperar pela ação da IA acaba sendo inútil, embora a ação de ficar correndo atrás da bola também traz um desgaste excessivo com o passar do tempo, e como você não pode substituí-lo durante a partida, acaba sendo comum o jogador terminar a partida quase sem fôlego.

As falhas não se resumem a isso. As missões dadas para o seu jogador e o seu time cumprir durante a partida se mostram pouco interessantes, e revelam várias falhas na localização (processo de tradução e adaptação do game originalmente de uma língua para outra) para o português, com vários erros de interpretação, como quando é mostrado que a missão do seu jogador é "ter a posse da bola por menos de 4 minutos", mas ao jogar você descobre que na verdade a missão era ter a posse de bola por pelo menos quatro minutos, que traz um significado totalmente controverso ao objetivo, e que se mostra muito mais comum do que o aceitável, em vários outros exemplos além do que trouxemos.

Passando para o controle da bola, temos em FIFA 08 um domínio mais difícil, sendo que a bola parece permanecer menos colada no pé do jogador, mas de maneira não muito confortável, se mostrando excessivamente fácil de roubar a bola do adversário, pois basta uma corridinha para a bola sair facilmente do domínio, em especial quando há um zagueiro ou volante no caminho. A corrida também é um fator decisivo na hora da conclusão para o gol, pois ao correr, você terá uma chance consideravelmente menor de acertar o ângulo ideal para fazer a bola entrar, tirando a chance do goleiro defender. Com isso, o ideal é sempre parar de correr um pouco antes de chutar a gol, para aumentar a chance de obter sucesso na finalização. De forma similar ao que acontece no PES, não dá para garantir o gol mesmo que se finalize da mesma maneira com o mesmo atacante duas vezes seguida, após obter êxito na primeira, pois o fator "sorte" parece que tem um peso maior, acontecendo do jogador muitas vezes errar o gol, mesmo se tratando de um craque (claro que quanto melhor for o jogador, maior é a chance de arrematar o gol).

As cobranças de falta também ganharam modificações tanto para quem bate, sendo que agora está mais fácil de acertar o gol e fazer combinações chamando um segundo jogador para a cobrança, como também para a barreira, que agora ganha um papel mais fundamental, podendo ser decisiva para evitar o gol ao escolher o momento certo para mandar os jogadores pularem ou avançarem assim que a bola for tocada. O mesmo vale para os escanteios, que se mostram a jogada certamente mais comum de se aprender esquemas para marcar gols com alta taxa de acerto. Independente muito do time, é muito comum marcar gols com cruzamentos no meio da área ou começando a jogada tocando curto para um jogador na estrada da área.

Para aqueles que estão acostumados com algumas facilidades da franquia PES, tais como poder realizar uma substituição na mesma hora quando há uma saída de bola e ter uma liberdade suprema no posicionamento e características de movimentação dos jogadores, deve ficar avisado que vai ter opções bem mais limitadas no FIFA 08, que além de não trazer tanta liberdade na hora de mexer no posicionamento de cada atleta, ainda tem que continuar aguardando até a próxima saída de bola ao optar por uma substituição, mesmo que a bola já esteja fora de jogo no momento. A EA Sports também demonstrou que não continua dando bola para alguns defeitos já constatados nas edições anteriores, como é o caso dos bandeirinhas e do juiz, que tem a opção para serem mostrados nas opções do jogo, mas que demonstram uma atuação praticamente sem sentido, pois não apontam o lado quando há uma saída de bola e nem fazem qualquer movimento característico na hora das marcações de falta, impedimento, etc. Com isso, permanece a impressão de que eles estão lá só para dizer que tem, pois no fundo não trazem qualquer benefício e não se movimentam como deveriam.

Antes de finalizarmos a jogabilidade, temos que falar do sistema de dribles, que está mais avançado e englobando belíssimas jogadas dignas e exclusivas de alguns craques, tais como Kaká e Ronaldinho Gaúcho, embora não sejam simples ou garantidas de se executar. Para realizar algumas jogadas de efeito, é necessário acertar uma combinação exata entre o direcional analógico da esquerda e da direita, e ainda assim ter alguns cuidados como espaço adequado até o marcador e o estado físico do atleta para concluí-lo com perfeição. Por fim, os dribles especiais estão presentes, mas não são muito fáceis de serem executados e não vão funcionar em qualquer momento do jogo ou mesmo com a marcação acirrada do adversário, então requerem alguns cuidados e treinamento.

Áudio:

O áudio de FIFA pode ser dividido em dois pontos principais: o primeiro inclui a narração e comentários, enquanto que o segundo é relativo à trilha sonora. Na primeira parte, após a boa renovação do ano passado, a dupla brasileira de narrador e comentarista formada respectivamente por Nivaldo Prieto e Paulo Vinícius Coelho (também chamado de PVC) foi mantida, seguindo o esperado depois da boa aceitação no game anterior. As falas de ambos fazem bem o seu papel, alternando entre frases bem diretas com outras mais complexas e até usando o bom-humor em alguns casos - como quando o goleiro da Inter de Milão e da Seleção Brasileira, Júlio César, faz uma bela defesa, e o narrador diz "Que bela defesa... Eu gostei, e a Suzana [Werner, esposa do arqueiro] também!". Um dos destaques desta edição são as frases mais personalizadas para cada jogador, pelo menos os mais famosos, que ganharam alguns comentários específicos, correspondo as suas habilidades e histórico futebolístico.

Mas as falhas também estão presentes, em especial quando o jogador faz o gol logo no primeiro chute e o narrador diz "Até que enfim, ele já tinha errado demais" mesmo que seja nos primeiros cinco minutos de jogo. Também há um problema até mais grave, quando a bola vai diretamente para fora após um chute do atacante, mas o narrador diz que o goleiro colocou a mão ou defendeu, quando ele nem ao menos chegou perto.

Outro ponto que sempre leva destaque nos jogos da série FIFA é o repertório de músicas que formam a trilha sonora que toca enquanto se está nos menus do jogo e enquanto o game é carregado. Desta vez, embora conte com uma lista mais inflada com 50 músicas, não há nenhum destaque muito famoso entre as bandas e cantores que representam ao todo 27 países. Mas, surpreendentemente, a seleção se mostrou uma das melhores já feitas da equipe da EA, com faixas bem descontraídas - mesclando entre os gêneros pop, rock, indie e música eletrônica - e que ajudam a embalar os momentos que antecedem e posteriores às partidas, sem causar aquela situação de enjôo como normalmente acontecia nos anos anteriores, depois de muitas horas de jogo. O Brasil também é representados em três faixas, com destaque para a banda Cansei de Ser Sexy que cedeu a música "Off the Hook", tendo ainda a cantora de MPB CéU com a música "Malemolência" e o grupo Bonde do Rolê que fecha a participação nacional com "Solta o Frango".

Fora essas duas frentes principais, o que se pode destacar do quesito áudio de FIFA 08 são os gritos da torcida, em especial dos clubes europeus, que atuam muito bem e cantam os hinos e gritos de guerra de seus clubes em vários momentos da partida, em especial quando se está vencendo ou quando você realiza um drible especial ou uma jogada bonita.

Multiplayer:

O multiplayer é um dos principais atrativos de um jogo de esporte, e tanto na série FIFA como na PES, ele sempre desempenhou um papel fundamental na disputa entre amigos ou desconhecidos pela Internet. O fato é que, depois de muitas partidas contra o computador, a graça não é a mesma e acaba-se pegando muito o jeitão de como a IA atua, colocando sempre uma boa dose de renovação quando se joga contra outros seres humanos.

As disputas comuns de partidas tendo um jogador controlando cada time pouco mudou nesta edição, tendo como principal diferença um jogo mais pegado, devido as mudanças de controle de bola e da própria marcação, além é claro da dificuldade em acertar os passes e lançamentos no pé do companheiro. Com isso, as partidas se tornaram mais disputadas, praticamente eliminando aqueles esquemas táticos de colocar um time fechado lá atrás com um craque como atacante avançado e usando como estratégia roubar a bola e chutar lá para frente, onde o atacante normalmente receberia com facilidade e bastaria um pouco de técnica para estar em frete ao gol. Mas com o FIFA 08, é necessário pensar melhor no meio de campo e na ligação entre a defesa e o ataque, ou as bolas dificilmente chegarão com boa chance para os jogadores de frente, tornando também mais rara as goleadas, já que fazer o gol não é mais tão banal como na edição passada.

Uma das únicas novidades do modo vem também com o "Seja um Pro", que permite jogar ao lado de até 3 pessoas reais, formando assim um time com 4 jogadores reais fixos em cada posição - podendo escolher do goleiro ao atacante -, o que torna tudo um pouco mais interessante, pois o controle de 4 jogadores quase compensa toda a falta de competência e preparo da IA. A previsão da EA é permitir jogar até 11 jogadores por time com posições fixas, um para cada posição, até 2010, o que deve tornar tudo ainda mais surpreendente e bastante animador, formando times completos com amigos ou até clãs de futebol virtuais com membros de cada posição, assim como nas peladas e partidas reais tão populares no Brasil.

A plataforma que suporta as partidas online pelo sistema da EA continua praticamente inalterada, usando aquele mesmo formato dos últimos jogos, que é uma página em Flash, onde se entra ou realiza o cadastro, escolhe-se então o Lobby ou outras opções pouco interessantes, e a seguir pode-se criar ou entrar em uma partida criada por outra pessoa, com opções diversas como tempo, nível de dificuldade (que afeta em especial os goleiros) e até se vai valer ou não uma pontuação criada pela EA, na qual os jogadores recebem os créditos apostados em cada partida, caso saia vencedor. Desta vez, sentimos em FIFA 08 que as conexões entre 2 jogadores quaisquer não são complicadas como no ano anterior, embora seja difícil jogar nas salas mais movimentadas, que são as dos principais países da Europa, pois o lag na transmissão dos dados com o servidor internacional acaba decaindo a qualidade e prejudicando a precisão do controle, já que você tem que realizar as ações em alguns segundos ou milésimos de segundo antes do esperado.

Gráficos:

No quesito gráfico, tivemos a infelicidade de conhecer em FIFA 08 a edição mais retrograda da série, resguardando o seu tempo, é claro. Demorou a acreditar que os gráficos conseguiram ficar de qualidade tão inferior a dos consoles da nova geração, usando a velha e ultrapassada engine, e ao mesmo tempo tão longe de parecer realistas. Mesmo após mexer nas configurações para deixar todos os detalhes com a qualidade máxima, o game continuava feio e as animações de resolução assustadoramente baixa, ficando uma espécie de blur padrão na imagem, onde não se tem muita definição e aparece tudo meio borrado. Com isso, as repetições e vários ângulos de replays que sempre foram um dos pontos fortes da franquia, perderam demais a sua graça, pois eles pioram os gráficos "normais" que já não eram grandes coisas, ultrapassando o limite daquilo que pode ser considerável aceitável para um lançamento de peso como este.

Tudo bem que cada jogador possui suas características físicas e feições bem parecidas com ele na vida real, mas ainda assim, não há muita qualidade e detalhamento, assim como cantos poucos arredondados e imperfeições bastante incomuns. A movimentação e os campos em si também estão longe de trazer qualquer novidade para a franquia, se limitando a uma qualidade mediana, sem maiores destaques.

A torcida, por sua vez, é um dos únicos pontos positivos dos gráficos, com uma impressão relativamente agradável, em especial quando se tem o estádio lotado, mas ainda assim só quando vista de longe, pois quando a câmera pega de perto acaba indo tudo por água abaixo.

Os bugs também marcam presença no FIFA 08, mesmo com o segundo patch instalado (que era a última atualização quando terminamos os testes), que chega a apresentar erros grotescos, como sumir todos os seus jogadores de campo após uma substituição. Também encontramos problemas com o uso do Anti-Aliasing em placas da Nvidia, em especial na GeForce 8800 GT, que ao ligar o filtro causou várias discrepâncias nas imagens, tornando impossível de se jogar, mesmo utilizando o último driver ForceWare oficial até o final de dezembro de 2007. Há alguns outros detalhes que não deixam de passar desapercebidos, como o jogador Kaká que, quando visto de longe, aparece com o cabelo um tanto quanto cumprido, mas ao dar o foco de perto ele tem um corte totalmente diferente, com o cabelo bem curto.

Conclusão:

Se há algo extremamente inconveniente em um título multiplataforma é quando ele tem muitos pontos positivos em uma edição e em outra peca de modo exagerado. Este é bem o caso do FIFA 08, que traz qualidades de sobra e diversas inovações nos consoles PS3 e Xbox 360, sendo considerado por muitos como o game que enfim coloca em xeque a franquia concorrentePro Evolution Soccer, mas que não chega a ser nem metade disso nos PCs, devido aos seus gráficos bem ultrapassados e excessivos problemas em diversos aspectos. Dizer que os PCs não têm a mesma capacidade de renderização dos consoles da nova geração parece piada de mal gosto, tendo em vista títulos lançados na mesma época como CrysisHL2: The Orange Box ou as conversões de BioShockCall of Duty 4. Dizer que o público principal também estaria fora do nicho de mercado também não dá, tendo em vista o barateamento das placas de vídeo mais avançadas e que uma qualidade com paridade aos consoles incentivaria muita gente a fazer um upgrade só para jogar esta que prometeria ser um dos melhores FIFAs da história. Também seria cabível à equipe de desenvolvimento trabalhar para oferecer alguma forma de reduzir um pouco a qualidade gráfica para quem tem uma configuração não tão avançada, e aqueles que tivessem uma placa de vídeo melhor poderiam ter o prazer e a recompensa de rodar um belo game, e não um título de visual ultrapassado que parece de 2 anos atrás ou pior.

Como se não bastassem os problemas na parte visual, a localização de FIFA 08 para o português também pode ser eleita facilmente a pior já feita até aqui, com erros grotescos nas traduções, palavras que não cabem nos espaços determinados, se sobrescrevendo com outras adjacentes, entre outros problemas alarmantes. Parece que não houve tempo disponível de fazer uma revisão antes do lançamento, ou o trabalho mudou de mãos, mostrando claramente uma falta de competência ou experiência no assunto. O pior é notar que este sempre foi um dos pontos fortes do game, com raríssimos erros em cada edição, e agora temos a constatação de uma grave queda na qualidade.

A jogabilidade até que trouxe uma boa dose de mudanças, ganhando um realismo maior nos passes e lançamentos, que tornam as partidas mais truncadas e realistas, contando como ponto positivo para os que preferem o gênero de simulação. Já nos modos de jogo, o tão comentado "Seja um Pro" acaba não se mostrando tão empolgante na prática, como parecia na teoria, em especial pela fraca atuação da IA ao tentar desenvolver o jogo enquanto você fica limitado a controlar um único jogador. Mesmo assim, colocando todos os pontos positivos e negativos na balança, ela pende bastante para o lado ruim, devido a várias repetições de falhas já encontradas nas edições anteriores, e um enorme alastramento para características que sempre foram o forte da série, como os gráficos realistas e os cuidados com os detalhes.

Só mesmo no áudio o FIFA 08 parece não ter perdido pontos com relação às edições anteriores, justo num dos quesitos menos relevantes para um game de futebol tão cobiçado como este. Melhor mesmo para a Konami, que deve ganhar um mercado ainda maior entre os gamers de computador, e se a EA não rever suas estratégias para o próximo game FIFA, a tão virtuosa franquia pode estar a beira do abandono total. O número de jogadores online no modo multiplayer neste ano já foi consideravelmente menor com relação aos games anteriores no período dos nossos testes, e os motivos parecem bem claros depois de tudo o que vimos.

Luiz Soares

Luiz Soares, editor do Jogos Gratis , Jogos de Vestir , Jogos de Futebol

Clique aqui para ler este artigo na Artigonal.Com